[RESENHA #420] HERDEIROS DE DRÁCULA - RICHARD DALBY - Saga Literária

Novidades

Home Top Ad

Post Top Ad

segunda-feira, fevereiro 05, 2018

[RESENHA #420] HERDEIROS DE DRÁCULA - RICHARD DALBY



Título: Herdeiros de Drácula
Autores: Vários

Organizador: Richard Dalby
Editora: HarperCollins
Páginas: 528
Ano: 2017

ISBN: 9788595081727
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: Drácula, de Bram Stoker, é a mais famosa história de vampiro já escrita, embora não tenha sido a primeira a descrever a malignidade dos mortos-vivos — muito menos a última. Em comemoração aos 120 anos de publicação de Drácula, esta antologia única reúne 25 contos raros escritos entre 1867 e 1940 por autores igualmente geniais, como Sir Arthur Conan Doyle e M.R. James. Herdeiros de Drácula é um verdadeiro banquete para todos os aficionados por literatura fantástica e sobrenatural, um delicioso mergulho na história desses seres fascinantes e assustadores. 


Resenha: Herdeiros de Drácula foi organizado por Richard Dalby e publicado no Brasil pela HarperCollins em 2017. Essa antologia reúne 25 contos escritos entre os anos de 1867 e 1940, o que incluí a literatura da Era Vitoriana e tem como foco mitos e lendas envolvendo vampiros, serve também para demonstrar a influência desses contos em Bram Stoker e no surgimento do seu Drácula, tendo em vista que vários deles antecedem ao trabalho de Bram, mas também conta com contos que foram influenciados por seu trabalho. Essa edição conta com a escrita de autores como: M. R. James, William Gilbert, Algernon Blackwood, Anne Crawford e um grande nome da literatura clássica: Sir Arthur Conan Doyle, responsável por criar o detetive mais famoso de todos os tempos.

Richard Dalby nos joga em um mundo desconhecido e bizarro onde conhecemos diversas histórias que retratam esses seres que ceifam e sugam a vida dos seres humanos. Eles podem tanto sugar o sangue como a alma ou energia humana, algo que varia conforme os contos. Em comum, os vampiros possuem como principal característica a maldade, eles usam de todos os meios possíveis para se manterem saciados e principalmente vivos. Abaixo selecionei alguns contos que estão entre os que mais gostei.

O Destino de Madame Cabanel (Eliza Lynn Linton): Esse conto é ambientado na aldeia de Pieuvrot, um lugar onde o progresso e a ciência não chegou. Seus moradores são pessoas humildes, simplórias e supersticiosas, elas não sabem o que é luxo, trabalham diariamente e o único evento social é frequentarem a igreja. A calmaria do vilarejo é quebrada quando uma doença ataca o local e todos acreditam que a responsável por isso é uma jovem estrangeira, eles acreditam que ela é uma vampira e a responsável por trazer tal agouro para suas vidas.

"[...] Os lábios ficaram ainda mais vermelhos, as bochechas, mais rosadas, os ombros mais rechonchudos do que nunca. Porém, enquanto ela desabrochava, a saúde da pequena aldeia minguava, e mesmo o habitante mais antigo não se lembrava de uma temporada com tantas doenças e mortes. Até mesmo a saúde do monsieur Cabanel se deteriorou um pouco, e a do pequeno Adolphe, muito." p. 61.

Opinião: Nesse conto, a autora retrata como a fofoca, a superstição, intriga e ignorância podem influenciar o comportamento das pessoas em relação ao desconhecido, levando-as por exemplo a julgarem Fanny Campbell (Madame Cabanel) por ela ser uma forasteira e diferente das demais pessoas da aldeia de Pieuvrot, tudo isso começa quando uma estranha doença começa a afetar a saúde dos locais. O conto de Eliza é um tanto triste, mas bem elaborado. 
A Árvore Assassina (Phil Robinson): Narrado em primeira pessoa, esse conto traz a história de Peregrine Oriel, que ao viajar para a Núbia, região situada no vale do rio Nilo, depara-se com uma misteriosa e terrível planta em meio a uma floresta. Essa árvore misteriosamente adoecia todas as plantas e árvores que estavam ao seu redor, além disso ela possuía uma enorme sombra que servia para animais selvagens exaustos descarem do sol de meio-dia, porém essa árvore aproveita-se de tal situação para alimentar-se deles e Peregrine Oriel descobre isso da pior forma possível.

"Cheguei a menos de vinte metros da árvore. Cada galho tremia, murmurando por sangue, e, como ela estava presa por suas raízes, cada um de seus galhos desejosos se estendia em minha direção. Era como um monstro marinho terrível que os homens do norte tanto temiam [...]" p. 81

Opinião: Phil Robinson apresenta um conto ambientado em uma floresta no continente africano, achei legais as descrições que o autor realiza sobre a fauna e flora. O conto é um pouco sombrio, vemos o personagem principal partir em uma expedição e durante essa jornada ele chega a questionar a sua sanidade ao ver algo no mínimo estranho acontecer. Gostei da escrita de Robinson, A Árvore Assassina é um bom conto de suspense e terror.

O Vampiro (Vasile Alecsandri): Esse conto é uma poesia que fala sobre um lugar ermo e abandonado, no qual tem uma cruz arruinada que fora dominada por um musgo. Tamanha é a decadência em tal lugar que nenhum camponês fica por ali durante a noite, até mesmo o pássaro da noite evita sobrevoar tal lugar. É nesse clima obscuro que vemos o amor entre dois jovens e a figura de um vampiro obsceno.


"Perto da borda do penhasco, ano alto
Contra o céu, em ressalto,
Vees tu uma cruz arruinada,
Repleta de musgo, pelo tempo tomada,
Escura, em desolado abandono,
Por temporais perdido forma e sono?" p. 87


Opinião: Publicado em 1886 pelo escritor romeno Vasile Alescandri, esse conto é uma poesia vampiresca gótica, fala sobre uma região desolada e sobre o amor entre um cavaleiro e uma donzela. Essa poesia vampiresca é bem curta, são apenas três páginas, mas é bem legal.
O Travesseiro de Penas (Horácio Quiroga): No início do conto conhecemos Alicia, uma jovem loira e angelical que casou-se com Jordan um homem com personalidade totalmente distinta da sua. A lua de mel foi uma experiência que causou tremores na jovem, os três primeiros meses de casamento mesmo com toda a severidade do marido foi algo especial. Tudo começa a mudar na vida de Alice, a casa em que viviam não ajudou a diminuir os tremores ou calafrios da jovem. Com o passar do tempo a sua saúde foi ficando debilitada, médicos eram contratados e não descobriam o que estava acontecendo com ela. Aos poucos Alicia vai morrendo, vai perdendo suas forças, durante o dia a sua saúde fica estável, porém é durante a noite que ela piora cada vez mais e ninguém sabe o que está acontecendo.

"Ela olhou, confusa, para o marido, olhou para o carpete, olhou de novo para Jordan e, depois de um longo momento de confrontação estupefata, recuperou os sentidos. Ela sorria e tomou a mão do marido, acariciando-a, trêmula, por meia hora." p. 381

Opinião: Esse é um conto melancólico, um conto que fala sobre a fraqueza e a debilidade humana diante da doença, mas principalmente a impotência do homem diante da morte. Esse conto tem um ar sobrenatural, o mistério sobre o que está ocorrendo com a aldeia e a protagonista que perdura até o final do conto.

A Estranha Morte de Morton (Algernon Blackwood): Ambientado em um vale de Pinheiro na Europa, dois amigos e viajantes encaram o forte calor de Julho enquanto buscam sair da floresta para descansar em uma aldeia próxima. Contudo, na floresta, eles encontram um chalé perto da escalada de "Chenille" e lá eles buscam por alguém na casa que possa lhes dar algo para se refrescarem. Em princípio, o local estava vazio e aparentemente abandonado, mas surge uma garota muda que oferece aos dois um jarro de leite que ambos prontamente aceitam. Um dos dois amigos não consegue beber o leite por achar o gosto estranho, contudo o mais velho deles (Morton) bebe tudo enquanto olha fascinado para a garota. Desse momento em diante o mais velho dos viajante muda completamente o seu comportamento, passando a falar coisas sem sentidos e ficar absorto com tudo ao seu redor.

"Por um trecho de luar via-se a silhueta de uma jovem, que olhou para eles como se prestes a parar, mas pensou duas vezes, sorriu levemente e seguiu para fora de vista, dentro da escuridão que os cercava." p. 386

Opinião: Esse é um conto fantástico e gostei muito de acompanhar a transformação  de Morton e todo esse clima de mistério que perdura o conto, o que incluí a misteriosa garota. Achei legal a jornada deles por meio da floresta de pinheiros até chegar a aldeia, o clima de desespero do amigo mais jovem na estadia, mas também a preocupação dele com o amigo. Vemos que nesse conto a misteriosa garota tem toda aquela sensualidade e ar de mistério claro dos vampiros (algo que assistimos em filmes), despertando atração e interesse de Morton em sua figura.
O Sumagre (Ulric Dalbene): Em Cleeve Grange, Irene Barton e May Watcombe debatem sobre uma uma árvore estranha, um sumagre. A árvore apresenta em suas folhagens um vermelho carmesim, seus galhos são tortos e retorcidos, algo incomum, dando um aspecto irreconhecível para a mesma. Os pássaros da região são frequentemente encontrados mortos ao longo do jardim em que se encontra esse Sumagre. A vida de Irene dá uma guinada, quando certa noite sem dormir, esperando pelo retorno do marido que está em Londres a negócios, ela quase que mecanicamente vai até o Sumagre visitar o tumulo do seu cachorrinho Sport. 

"A sra. Watcombe a estudou com cautela, pois a palidez no rosto de Irene estava muito acentuada. Em contraste, um ponto vermelho vívido se estampava no pescoço fino, um centímetro ou mais abaixo do ouvido. Intuitivamente, Irene levantou a mão e se voltou para a amiga para explicar." p. 424


Cansada, ela acaba adormecendo na árvore que já não tinha mais o seu aspecto carmesim e durante o sonho, estranhos pesadelos surgem para atormentar Irene. No dia seguinte, ao receber a visita da sra. Watcombe, Irene estava mudada, pálida e com o aspecto de exausta. Após esse evento a árvore que tinha perdido toda aquele vermelho vivo, consegue misteriosamente recuperar a vivacidade, algo que contrasta profundamente com o aspecto de Irene. Uma história estava se repetindo naquele mesmo jardim, naquele mesmo Sumagre.

Opinião: O Sumagre é um conto claustrofóbico, passa uma sensação de sufoco e horror, acompanhamos todo o sofrimento físico e psicológico que Irene precisa enfrentar, tem uma atmosfera sombria e um ar degradante. Esse conto é notável, primeiro tendo como protagonistas duas mulheres, algo um pouco raro para a época, segundo que o personagem masculino quase não tem relevância na história. Essa é uma história de horror que você precisa conhecer e em certos momentos parecia que eu estava assistindo um filme do Tim Burton.
Opinião Geral: Herdeiros de Drácula é uma antologia de tirar o fôlego, é uma grande obra repleta de histórias de arrepiar, o livro serve ainda como um marco histórico para a literatura de terror. Os contos foram magistralmente organizados por Richard Dalby em ordem cronológica, o que é algo muito bom, pois podemos acompanhar o sobrenatural e a figura do vampiro interagindo em épocas diferentes. Achei muito interessante como muda a figura dos vampiros, onde temos não somente o clássico vampiro, mas também a figura do vampiro na forma de fantasma. Outro fato importante é que percebemos também as características dessas épocas remotas. Por meio desses contos podemos notar toda a força dessas lendas e mitos junto aos leitores dos séculos XIX até o século XX.

Esse livro apresenta grandes contos e grandes histórias que estavam perdidas no tempo e que, ao menos para mim, eram desconhecidas. Para os leitores que são apaixonados por contos, pelo sobrenatural, por literatura clássica e principalmente sobre o tema Vampiros, esse é de fato um prato cheio, pois é um livro rico em detalhes, de uma leitura profunda e tudo isso fica claro pela pesquisa que Richard Dalby realizou para nos trazer esse livro magnífico. Agradeço a HarperCollins por me proporcionar essa leitura ímpar, pois eu simplesmente amei Herdeiros de Drácula.


Sobre a Edição: A HarperCollins está de parabéns, o livro vem em uma edição em capa dura e ficou simplesmente lindo e que também conta com uma bela arte no interior da capa. Ao início de cada conto temos uma biografia do respectivo autor e um breve comentário sobre o que iremos ler. A diagramação ficou muito boa e adorei essa disposição dos contos por ordem cronológica. A revisão está excelente, pois não encontrei erros ortográficos. A fonte e o espaçamento também ficaram confortáveis. Em suma, o projeto gráfico ficou sensacional.
Sobre o Organizador: Richard Dalby nasceu em 15 de abril de 1949 na cidade de Londres, Inglaterra. Ele foi editor e pesquisador literário, ficou conhecido por suas antologias de histórias de terror. Editou uma série de antologias pioneiras reconhecidas por sua qualidade, além de diversos livros populares de histórias de terror e thrillers com temáticas natalinas. Dalby faleceu em 04 de maio de 2017.

13 comentários:

  1. Sou muito fã de contos, adoro quando são publicados por escritores diferentes, essa em questão é interessante pr tratar-se de obras mais antigas, fiquei curiosa em ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Helana!
      Eu adoro livros de contos e quando vi essa novidade na HarperCollins eu coloquei em mente que precisava ler, principalmente por contar com clássicos contos de horror e suspense!

      Excluir
  2. Que capa maravilhosa é essa? De primeiro momento achei que o livro fosse da Darkside pela edição maravilhosa. Gosto muito de ler contos, mas não gosto de coisas de vampiros. Medo de arriscar e não gostar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que nada Taísa, o livro é muito bom, são contos de alta qualidade, inclusive tem do Sir Arthur Conan Doyle. Tem contos que o protagonismo ocorre por mulheres, achei super legal isso!

      Excluir
  3. Olá! Já fui atraído pela capa de tirar o fôlego, confesso que amo contos e com certeza esse livro vai entrar na minha lista de desejados. Ah! Só o fato de saber que o criador de Sherlock Holmes faz parte dessa antologia, já aumenta ainda mais de ter essa obra em minha estante. Obrigado pela dica.

    ResponderExcluir
  4. Yvens amigo, posso dizer que estou louca para ler esse livro. Sou meio fascinada por livros que tenham relação de Drácula, esse de cara me impressionou e está na minha listinha de desejados, espero futuramente também poder ler.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bom?
    A ideia da antologia é muito legal, além da edição ser muito bonita. Acho que os contos antigos sobre vampiros tem algo a mais, não sei dizer o que é. O conto A Árvore Assassina é bem interessante, acho que foi o que mais me interessou. Adorei a resenha.
    Até mais o/

    ResponderExcluir
  6. Hey, Yvens!

    Eu não sou muito de ler antologias, mas essa me ganhou!
    Amei sua resenha e já estou morta de vontade de ler esses contos.
    Adoro histórias de terror e já tem um tempinho que não leio uma boa.
    Espero poder ler em breve.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Olá! Que edição maravilhosa a desse livro, lindo demais! Confesso que não curto muito ler livros desse gênero (aquelas medrosas mesmo) mas gostaria de ter esse livro nem que fosse pela capa! Adorei sua resenha, pelo que vi, pra quem gosta, deve ser um prato cheio!

    Um beijo, Pri :*

    ResponderExcluir
  8. Oii, tudo bem?
    Adoro livros de contos mas não com essa temática, livros com esse gênero nunca me atraíram...
    Vou deixar a dica passar dessa vez
    Mas parabéns pela resenha, achei ótimo você dar destaque para cada conto, assim conhecemos mais do livro!

    https://blog-myselfhere.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Que capa linda, não tive oportunidade de ler o livro, aliás, eu não conhecia o livro, aprecio ler contos e a temática e o fato de ser clássico, me interessa. Uma outra coisa bem interessante do livro, é o tempo, os contos foram escritos entre os anos de 1867 e 1940, ou seja, épocas muito distintas e isso influencia a escrita do autor para além da parte estética, acho bacana fazer essa análise.

    ResponderExcluir
  10. Olá
    uau que edição mais linda e com certeza os contos parecem muito bons, eu adoro livros de contos, estou sempre tentando ler um alternando com outras leituras, muito legal sua dica, e amei saber um pouco mais sobre a obra através da sua resenha

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Não gosto de contos nem de vampiros, e muito menos de terror ou horror, então não é mesmo leitura pra mim. Mas achei um livro riquíssimo para quem curte o tema, e já até sei quem presentear com ele. Obrigada pela dica.

    ResponderExcluir

Post Bottom Ad