[RESENHA #430] O MESTRE E MARGARIDA - MIKHAIL BULGÁKOV - Saga Literária

Breaking

segunda-feira, 5 de março de 2018

[RESENHA #430] O MESTRE E MARGARIDA - MIKHAIL BULGÁKOV



Título: O Mestre e Margarida
Autor: Mikhail Bulgákov
Editora: Editora 34
Páginas: 408
Ano: 2017
ISBN: 9788573266801
Onde Comprar: Amazon - Editora 34

Sinopse: Espécie de Fausto russo, inspirado na obra de Goethe e na ópera homônima de Charles Gounod, O mestre e Margarida, de Mikhail Bulgákov, é considerado um dos grandes romances do século XX. Situado na Moscou dos anos 1930, o livro narra as peripécias de satã na cidade acompanhado de um séquito infernal, composto por um gato falante e fanfarrão, um intérprete trapaceiro, uma bela bruxa e um capanga assustador. Seu caminho se cruzará com o dos amantes mestre e Margarida — ele um escritor mal compreendido, autor de um romance sobre Pôncio Pilatos, ela uma das personagens mais fortes da literatura russa, que, qual Orfeu, fará de tudo para reencontrar seu amado desaparecido. Escrito entre 1928 e 1940, ano da morte do autor, mas só publicado no fim dos anos 1960, no Ocidente, e em 1973, na Rússia, o livro se tornou então sucesso imediato no mundo todo e inspirou centenas de adaptações para o teatro, cinema, televisão, animação, ópera, dança e música. História de amor e desejo, sátira do mundo das letras e das pequenas e grandes vaidades humanas, além de crítica ferina mas bem-humorada ao regime soviético, o romance empresta recursos da linguagem teatral, musical e mesmo da linguagem cinematográfica, com cortes e saltos temporais e espaciais que imprimem à narrativa um ritmo vertiginoso, divertido e sempre surpreendente — tudo isso captado com maestria pela tradução de Irineu Franco Perpetuo, feita a partir da mais recente edição crítica russa. 


Resenha: Em "O Mestre e Margarida", Mikhal Bulgákov nos leva para a cidade de Moscou dos anos de 1930. É uma tarde de primavera e acompanhamos no Largo do Patriarca (Patriarchy Prúdy) a conversa de dois cidadãos, Berlioz o editor de uma revista de artes e presidente de uma associação literária de Moscou com o poeta Ivan Nikoláievitch Ponyriov, que escreve os seus trabalhos sob o pseudônimo Bezdômny, o tema central da conversa dos dois era Jesus, pois o editor encomendara ao poeta um poema antirreligioso e ficou insatisfeito com o que Bezdômny escrevera.

"(...) Berlioz queria demonstrar ao poeta que o principal não era como Jesus tinha sido, mau ou bom, mas sim que esse Jesus, como indivíduo, jamais existira, e que todas as narrativas a seu respeito eram simplesmente invencionices, o mais corriqueiro dos mitos." p. 17.

Quando ambos começam a conversar sobre a existência de Jesus, eis que surge um homem misterioso e se intromete na conversa de Berlioz e Bezdômny. Esse misterioso homem apresenta-se como sendo um professor e historiador. Esse homem é Woland e ele defende piamente a tese de que Jesus realmente existiu e que inclusive ele presenciou a vida de Jesus de perto. Porém, a existência de Jesus e o fato de Woland ter presenciado a vida de Jesus de forma próxima é algo inconcebível para a dupla, pois eles consideram-se ateus e não acreditam nas forças sobrenaturais. Woland realiza então duas previsões sobre o destino e a vida de Berlioz e Bezdômny, a primeira profecia cumprida é sobre Berlioz e deixa Bezdômy completamente assustado, o poeta inclusive começa a fugir de Woland; fica claro que ele é o diabo em pessoa.

"(...) como o homem poderia governar se ele não apenas está privado da possibilidade de elaborar um plano para um período relativamente curto, como, digamos, mil anos, mas nem consegue responder pelo dia de amanhã? (...)" p. 22.
Assustado, Bezdômny busca alertar a polícia sobre o professor Woland e alega que ele usa uma identidade falsa, porém ele acaba caindo em descrédito e é levado para um hospício onde conhece outro homem que se auto-denomina Mestre, ele acredita ter conversado com o próprio diabo em pessoa. Bezdômny e o Mestre buscam encontrar uma forma de desmascarar e revelar a identidade do professor para o mundo, porém o Mestre perde-se nas lembranças do passado e em sua amada, Margarida.

"Porém, a feitiçaria, como se sabe, basta começar que ninguém segura." p. 82.

Margarida Nikolaievna, uma jovem mulher que pertence a classe da burguesia, ela casou-se apenas por interesse, porém, certo dia, infeliz com essa união ela resolve largar tudo para fugir com o seu grande amor, o Mestre. Ele é um escritor de meia-idade que escreveu um romance protagonizado por Pôncio Pilatos que, nas escrituras sagradas, nada faz para evitar a crucificação de Jesus. Encorajado por Margarida, ele publica um trecho da sua obra e isso desperta a fúria de intelectuais que são aliados ao regime de Stálin. Abatido e perseguido pelos críticos, o mestre queima o manuscrito do seu romance e desiludido com o meio literário, acaba num manicômio.

Em sua visita por Moscou, Woland não está sozinho e conta com a companhia de alguns seguidores, na verdade um séquito infernal. Com Woland, andava um grupo composto por um gato falante chamado Behemoth que incrivelmente conseguia andar sobre duas patas, demônios como Azazzell e Abadon, uma bela bruxa chamada Hella e Korôviev, um negociador. Esse estranho e misterioso grupo aproxima-se da comunidade artística e intelectual na cidade de Moscou, eles agendam diversas apresentações no Teatro de Variedades da cidade que são anunciadas como "Sessões de Magia Negra". Esse grupo causa um enorme furor, trazendo a loucura e a desordem por onde passam. Os caminhos de Woland e seu grupo acabam cruzando com os de Mestre e Margarida, ela por sinal busca reencontrar o seu grande amor.

Opinião: O Mestre e Margarida é uma leitura complexa e densa, esse é um romance que vai desafiar o leitor. Bulgákov apresenta um texto que certamente vai tirar o leitor de sua zona de conforto. O autor apresenta uma sátira àquele período histórico, tece uma forte crítica ao regime despótico de Josef Stalin,  tece críticas a esse governo que foi sustentado por meio de muita vigilância e de um estado administrativo repleto de departamentos. Mikhail Bulgákov também fala sobre como as pessoas são egoístas, de como elas se esquecem do bem maior quando podem levar alguma vantagem, quando podem ter algum benefício próprio.

Bulgákov nos presenteia com uma inteligente e repleta de humor, o autor ainda  abre espaço para no final do seu romance introduzir uma reflexão sobre a natureza da bondade, algo que é sugerido nas conversas entre Jesus e Pôncio Pilatos. Bulgákov também 
cria um contraponto, uma oposição entre Moscou e Jerusalém. Enquanto Moscou é descrita e apresentada como um cenário mítico, por onde podemos ver bruxas e demônios, a cidade de Jerusalém no tempo de Jesus é retratada de forma magistral com extremo rigor histórico. O Mestre e Margarida foi uma leitura difícil, porém é um livro incrível, como eu disse acima aborda diversos elementos como: críticas sociais, usos e costumes, fatos históricos, amor e liberdade. Antes que eu esqueça, Mick Jagger deixou registrado que o romance de Bulgákov serviu como inspiração para a criação da música Sympathy for the Devil (Simpatia pelo Diabo). Essa leitura foi incrível, esse é um livro soberbo e só tenho que agradecer à Editora 34 por me enviar essa obra-prima!
Sobre a Edição: A Editora 34 caprichou na edição, a capa é linda, retrata Moscou e tem tudo a ver com a história. As folhas são amareladas (impressão em papel pólen soft), a edição recebeu nova tradução e a revisão ficou excelente. A fonte e o espaçamento estão confortáveis. O livro conta ao todo com 32 capítulos mais epílogo, essa divisão ficou ótima, pois facilita a leitura. O livro conta ainda com notas sobre a tradução, notas de rodapé, posfácio com informações sobre o autor e sobre o tradutor.
Sobre o Autor: Mikhail Bulgákov nasceu em 15 de maio de 1891 na cidade de Kiev, Ucrânia. Bulgákov era o primogênito de um professor de seminário. Ao fim da Guerra Civil acabou em Paris. Começou a trabalhar como jornalista. Em 1913 casa-se com Tatiana Lappa. Formou-se em medicina mas decide seguir a literatura. Três anos depois de mudar-se para Moscou, casa-se com Lhubov Belozyorskaya. Publicou vários livros na década de 1920, mas por volta de 1927 começa a sofrer críticas de comportamento anti-soviético. Em 1929 sua carreira está destruída e seus trabalhos censurados. Após se casar pela terceira vez, continuou seus trabalhos criticando o regime soviético. Sua obra mais famosa é O Mestre e a Margarida, que levou doze anos para ser concluída. Faleceu em março de 1940 de uma doença hereditária nos rins.

43 comentários:

  1. Oi Yvens, tudo bem?
    Não conhecia o livro, mas quando vi que o autor é Ucraniano, fiquei com vontade de ler, mesmo o livro não sendo muito do gênero que gosto. Meus bisavós vieram da ucrânia e tenho poucas referencias sobre a cultura e o país, sempre que posso estou atras de algo, para saber mais! Valeu pena dica e anotado! Amei sua resenha e a dica!
    http://colecionandoromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Ivens!
    Tinha comentado no post anterior que esperava ótimos títulos da 34 por aqui!
    Adorei esta dica. Ainda não li O mestre e Margarida, mas adorei a sinopse. Já coloquei na minha lista
    O post ficou ótimo e adorei as fotos
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Para se ter uma ideia eu já viajei na complexidade da resenha. Esse negócio de anjo, demônio, mestre, amor, ateísmo... caramba. Preciso ler. Os elementos abordados são bem interessantes e como nunca li nada ucraniano, essa é uma ótima recomendação. Quero ler.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá! Que interessante esse livro! Nunca havia falar do livro, ou do autor, mas fiquei interessada logo de cara, por se passar em Moscou, na Rússia, pela qual eu sou particularmente curiosa. Achei incrível os personagens, a ambientação e como o autor inseriu temas diversos que se complementaram ao decorrer do livro. Achei fascinante satã e sua gangue, andando pelas ruas da cidade, criando caos e bagunça, e o mestre a procura de si mesmo e seu grande amor, que apesar de não ter lido, me deu a impressão de ser um pouco auto-biográfico. Que obra diferente!
    Bjoxx

    ResponderExcluir
  5. O que aprecio no blog é o tipo de literatura diferente da maioria dos blogs.
    Não é uma espécie de “leitura modinha” rsrs
    Putz! Que livrão da po**! rsrs
    Na verdade sua resenha me pareceu um pouco confusa.
    Mas é porque fica difícil de realizar uma resenha de um livro tão denso, né?
    Mas valeu a pena! Dica anotada!

    Eliziane Dias

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem? Nossa parece ser uma leitura que sai na zona de conforto mesmo. Nunca li nada do autor, mas a partir da sua resenha me bateu curiosidade. Quem sabe eu leia mais pela frente?! Gosto de livros que também trazem pequenas reflexões. Ótimas palavras!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá! Sendo sincera agora, se eu visse esse livro em uma prateleira, certamente não pegaria para ler. Mas lendo sua resenha confesso que me atraiu bastante. Jesus, magia negra e tal são temas que me chamam à atenção. Inclusive, suas fotos ficaram maravilhosas! Adorei seu espaço. Bjos

    www.momentosdeleitura.com

    ResponderExcluir
  8. Olá!! :)

    Eu confesso que não conhecia este livro, mas ainda bem que gostaste de fazer a leitura! :) Mesmo que tenha sido assim difícil...

    QUe ótimo que há rigor histórico em tudo, e que a narrativa e tao inteligente assim, ainda para mais acompanhada de humor!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  9. A Editora 34 sempre capricha nas edições e amo as traduções dela.
    Preciso ler mais clássicos como esse =/ Fiquei com vontade de me jogar nessa leitura após ler sua resenha.

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  10. A empolgação que vejo na sua resenha me deixou muito curiosa para conhecer essa obra fabulosa. Ainda não li nada dessa Editora! Uma leitura que envolve complexidade e humor deve ser bem interessante!! Dica anotada!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  11. Caramba, até Jagger se baseou na obra, que demais! Deve ser sensacional ter parceria com essa editora, eles são incríveis! Vi essa edição fazendo sucesso pelo booktube e fiquei interessada, apesar de ser uma leitura difícil, como você mencionou, parece ser primorosa demais.

    ResponderExcluir
  12. eu conheci o título justamente por causa da declaração de Jagger e desde então, ele está em minha lista de futuras obras russas para ler... o trabalho da 34 é um primor. espero ter a chance de ler num futuro não mto distante...
    bj ^^

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem? Não conhecia esse livro e logo de cara ele não me interessou, porém depois de ler tua resenha fiquei doida pra ler, parece realmente se incrível.

    ResponderExcluir
  14. Parece ser uma leitura bem interessante e a sua resenha me deixou curiosa para ler, eu achei a capa maravilhosa e gostei bastante de ver a sua opinião sobre a obra.

    ResponderExcluir
  15. Olá!!!
    Sua resenha está muito bem escrita e confesso que se eu visse esse livro antes da sua resenha iria passar longe!!
    Adoro livros com temática histórica e sua resenha com certeza me convenceu a ler.
    www.garotasdevorandolivros.com

    ResponderExcluir
  16. Olá, tudo bem? Eu não conhecia a obra, mas, lendo suas impressões, fiquei curiosa. Mas devo admitir que preciso de mais opiniões antes de iniciar, para me sentir mais confiante durante a leitura.

    Beijos,
    http://www.livroapaixonado.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Olá, tudo bom?
    Tenho um sério problema com clássicos Russos, justamente por essa densidade. As vezes sinto que não estou madura o suficiente como leitora para lê-los, sabe?
    Mas curti muito, muito mesmo, a premissa desse livro e já anotei a dica para uma futura leitura. As críticas políticas, sociais e essa discussão sobre religião chamaram muito minha atenção.
    Parabéns pela resenha, ficou fantástica! ♥
    Beijos!

    ResponderExcluir
  18. Hey, Yvens!

    Ainda não li nada de literatura russa, mas quero muito começar!
    Já vi esse livro por aí, mas nunca li nenhuma resenha dele. A sua foi a primeira e é claro que já me encantei, né? Tenho certeza de que vou gostar desse livro. Sua resenha está ótima! O livro já foi pra lista de desejados.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  19. Ola
    Não conhecia o livro e apesar de ser um clássico e tal confesso que não me animei muito a conhecer não, principalmente por você comentar que é uma leitura densa e o enredo acho que não me agradaria. Tenho minhas próprias opiniões sobre religião e acho que ficaria incomodada. Mas, gostei de saber que serviu de inspiração para o Mick Jager. Beijo
    Raquel Machado
    Leitura kriativa
    Http://leiturakriativa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Olá, tudo bem?

    Confesso que não conhecia o autor, menos ainda sua obra.
    É engraçado ver que vários autores só foram agraciados após suas mortes, digamos assim.
    Pela premissa o livro parece bem bacana e reflexivo, confesso que não é muito o meu estilo, mas a forma com que você o apresentou me deixou curiosa.

    Beijo!
    Ana.

    ResponderExcluir
  21. As obras da editora 34 são realmente muito bem feitas, sempre com revisões impecáveis , nos apresentando livros maravilhosos. Eu não connehcia o livro, mas desde que vi o título e o autor soube que seria uma leitura densa. Gostei muito de saber que o livros aborda os mais diversos temas discursivos, isso certamente deixa o livro ainda mais interessante. Super anotado! Beijos do Wes ^^

    ResponderExcluir
  22. Olá!
    Conheço Gounod ( quem não conhece né?) rs
    Por isso fiquei bem curiosa, faz tempo que não leio nada realmente instrutivo e reflexivo embora no momento estou travada, não consigo ler nada(desespero) . No entanto vou anotar para uma possível leitura mais pra frente.
    Bjs

    ResponderExcluir
  23. Olá
    muito legal sua resenha, não conhecia o livro, parece ser uma leitura forte e complexa, algo que estou procurando para alternar com as mais tranquilas, então essa é uma boa dica, quem sabe eu não arrsique

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Fiquei aqui em dúvida se gostaria de ler ou não... Logo na primeira linha da sinopse me interessei, sou apaixonada por Fausto, mas ao ler sua resenha achei que talvez eu me perca nas referências e não consiga entender as críticas ao momento histórico. Acho que é mais complexo do que eu daria conta, mas vou pesquisar mais a respeito.

    ResponderExcluir
  25. Olá!
    Achei essa dica muito interessante principalmente por trazer a cultura de um país que nunca li em outros livros.
    Parece uma leitura repleta de elementos culturais, fiquei apenas com receio dessa narrativa, acho que não conseguiria me envolver com a trama.
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  26. Oiii,

    Acho romances russos muito criativos, eles precem sempre ter algo diferente em suas obras o que me deixa curiosa, mas concordo que em geral eles são leituras complexas o que é uma barreira pra mim no atual momento ler O Mestre e Margarida, mas vou deixar a dica anotada pra quando tiver uma oportunidade.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  27. Oiii tudo bem??

    Não conhecia esse romance, apesar de conhecer o autor, e achei bem interessante o enredo.
    A capa é lindo, e realmente me encantei,
    mas acredito que é o tipo de romance que me faria desistir da leitura, por ser muito denso, não esto tendo cabeça para isso, mas adorei conhecer mais uma obra do autor.
    Adorei a resenha.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  28. Oi!
    Apesar de não fazer muito meu estilo literário dá pra ver pela sua resenha que é um ótimo livro!
    Adoro quando as histórias são inteligentes, tecem críticas á problemas vividos naquela época e que ainda anos depois se encaixam na nossa sociedade.
    Não leria agora por estar bem atolada de leituras, mas com certeza é uma ótima indicação

    ResponderExcluir
  29. O Mestre e Margarida é um livro adulto para leitores maduros, com uma bagagem que possa dar subsídio para compreender as nuances do texto. Conheço o livro, mas infelizmente, não tenho essa edição.

    ResponderExcluir
  30. Oie!

    Não conhecia essa obra, achei a capa muito bonita, mas lendo sua resenha a história em si não despertou meu interesse, acredito que se eu fosse ler acabaria abandonando a leitura pela metade, mas fico feliz que tenha gostado da leitura e da história em si!

    ResponderExcluir
  31. Oi, tudo bem?
    Não vou mentir, buguei. A história do li em si me pareceu muito confusa. Sua resenha foi bem explicativa, mas eu juro que deu um nó e tô admirada que você tenha terminado. Agora, não vou negar, ando uma leitora preguiçosa e preciso de histórias assim, que me tirem da zona de conforto do óbvio e dos romances padrões. Obrigada pela dica, beijos!

    ResponderExcluir
  32. Hey, tudo bem?
    Eu não li nenhum livro desse estilo de literatura mais pesada e densa, sabe? Mas tenho muita vontade de ler livros com essa pegada, apesar de não desejar ler esse em específico, pois não simpatizei com a história, mas é muito legal que ele tenha essa pegada de humor que você falou e que você tenha aproveitado a leitura.
    Vou passar a dica, por enquanto.
    Beijos,
    http://www.umoceanodehistorias.com/

    ResponderExcluir
  33. Oi, tudo bem?
    Eu nunca li nenhum autor russo, acredita? Mas tenho muita curiosidade, justamente por serem leituras mais densas e que fogem do que estou acostumada. Confesso que esse, especificamente, eu ainda não conhecia e não me interessei muito pela premissa. Porém, quero procurar outras obras da literatura russa.
    De qualquer forma, adorei sua resenha e fico feliz que, apesar de difícil, esta tenha sido uma boa leitura.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  34. Olá, tudo bom?

    Esse livro é MUITO diferente de tudo que eu já li. A premissa interessante e fiquei curiosa sobre como todas essas histórias serão desenvolvidas ao longo da narrativa. Além disso, quero ver se eu entendo as referências e
    Por outro lado, parece ser uma narrativa densa e que pode ser difícil de ler. A história não é daquelas lindas, mas sim daquelas que iria me tirar da zona de conforto, conforme você falou. Quero ver, na verdade, se conseguiria entender do que o autor tenta nos mostrar e as referências na qual ele se baseia para criar a obra.
    Não posso deixar, também, de elogiar a capa, que é simples, mas bonita. Adoraria ter na minha esntante ;)

    Enfim, adorei a postagem e agradeço a indicação :)
    Abraços.

    ResponderExcluir
  35. Ola!
    É, não sei o que falar hahaha
    Que resenha mais bem escrita! Parabens... bom, isso é a primeira coisa.
    Nunca tive a oportunidade de ler um clássico da Rússia dessa forma e para lhe ser bem sincera, não sei nem se é meu estilo de leitura, por isso, no momento prefiro não sair da minha zona de conforto e por isso vou ter que deixar a dica passar :/

    beijos,
    Mayara

    ResponderExcluir
  36. Oi, Yvens

    Só pela sinopse a gente já percebe a complexidade dessa história! Tá para nascer um livro russo que não seja denso e complexo, e confesso que por mais que eu sinta curiosidade eu meio que fujo, pois sei que vou ficar postergando eternamente. É o caso de Guerra e Paz, cuja leitura quero muito fazer, mas tenho receio de abandonar. Nunca saberei se não tentar, mas no momento, com tanta leitura para fazer, seria contraproducente fazer essa tentativa.
    só de ler os nomes dos personagens já me deu um nó no cérebro! hahaha Mas achei bacana o fato de ser uma sátira repleta de críticas e humor.
    Confesso que não leria agora e nem em um futuro próximo, mas quem sabe em um mais longínquo...

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  37. Não conhecia o livor e fiquei curiosíssima por saber que o autor é Ucraniano e por ter lido pouquíssimos livros que se passem em Moscou. Gostei de saber que o livro traz o humor na narrativa e isso já me atraiu.
    Valeu pela dica
    Beijos

    ResponderExcluir
  38. Isso na capa é um gatinho de costas? Só consigo enxergar isso! Hahaha
    Não é meu tipo de leitura MESMO, passo beem longe dessa dica!

    ResponderExcluir
  39. Oi, tudo bem?

    Eu nunca li nada dessa editora, o catálogo deles não fazem muito meu estilo, então, eu nunca me interessei pelos livros. Este eu ainda não conhecia, mas até que fiquei com vontade de conhecer. Acho que valeria a pena dar uma chance ao livro e ver se eu acabo gostando. Vou anotar o nome e procurar assim que tiver a chance.

    ResponderExcluir
  40. Oiee ^^
    Lendo a sua resenha percebi que li pouquíssimas (ou vi, em caso de filmes) histórias que se passavam na Rússia, e fiquei um pouco curiosa para saber mais sobre o livro. Mas acontece que não é bem o tipo de história que eu gosto de ler, sai beeeem da minha zona de conforto - e não de uma maneira "ai que legal, algo diferente", mas mais "aaaaah não quero agora" kkkkkk' Mas é uma boa dica, bem diferente :)
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  41. Gentee, que livro incrível! Eu não conhecia essa obra, mas já adicionei na minha lista. Achei muito interessante essa proposta do autor e estou ansiosa para conferir essa história. A sua resenha está ótima, obrigada pela dica. Bjss!

    ResponderExcluir
  42. Nossa que tema mais diferente!
    Gostei da proposta e do que eles debatem, é algo inusitado de se encontrar.
    Não gostei tanto da capa, mas leria sim pela resenha.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  43. Já ouvi muito sobre este autor e tenho vontade de conhecer seu trabalho. Ainda não tinha ouvido falar deste título. Gostei do que escreveu. Boa indicação.

    ResponderExcluir