[RESENHA #440] A FÚRIA DO ASSASSINO - ROBIN HOBB - Saga Literária

Novidades

Home Top Ad

Post Top Ad

Post Top Ad

Responsive Ads Here

sábado, março 24, 2018

[RESENHA #440] A FÚRIA DO ASSASSINO - ROBIN HOBB


Título: A Fúria do Assassino (A Saga do Assassino #3)
Autora: Robin Hobb
Editora: Leya
Páginas: 832
Ano: 2014
ISBN: 9788544101063
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: 
No Último Volume Da Trilogia Saga Do Assassino, Fitz Sai Em Busca De Uma Vingança Que Pode Torná-Lo Humano Novamente Ou Matá-Lo! Rei Sagaz foi morto pelas mãos de seu filho Majestoso. E Fitz também está morto — ou assim acreditam tanto seus oponentes como seus amigos. Mas com a ajuda de seus aliados e a magia dos animais, ele emerge da sepultura, profundamente marcado no corpo e na alma. O reino também oscila em direção à ruína e somente o retorno de Veracidade — ou o nascimento do sucessor que a Princesa Kettricken espera — pode salvar os Seis Ducados. Mas Fitz não vai esperar. Impulsionado pela perda e por amargas lembranças, ele iniciará uma missão extrema: matar Majestoso. A viagem irá lançá-lo em águas profundas, enquanto desvenda correntes selvagens de magia dentro de si — cursos que irão afogá-lo ou torná-lo maior do que ele era. Robin Hobb conclui a trilogia Saga do assassino com um grande romance de formação. Mas todo o encanto neste mundo de faz de conta não consegue encobrir o ensinamento agridoce da história: o de que a busca pela verdade exige um preço e a solidão que só alguns podem ou irão pagar.


Resenha: Assassin's Quest ou A Fúria do Assassino é o terceiro volume da Saga do Assassino. Fitzcavalaria está vivo após os últimos acontecimentos, porém para o conhecimento geral ele ainda está morto, então ele precisa permanecer oculto, escondido de tudo e todos, apenas Bronco e Breu sabem que ele está realmente vivo, pois eles preservaram a alma de Fitz dentro de Olhos-de-Noite. A dupla acaba protegendo e escondendo o jovem, eles cuidam dele da melhor forma possível. Agora eles buscam trazer o jovem de volta para a sua forma humana, pois após um longo tempo dentro do lobo, os instintos animais falam mais alto e após despertar, Fitz precisará se ajustar para recuperar a sua humanidade.

"O quarto estava quente demais. E era demasiado pequeno. Arquejar já não me esfriava. Levantei-me da mesa e fui até o barril de água que estava no canto. Tirei a tampa e bebi longamente. O Coração da Matilha ergueu os olhos com um quase rosnado." p. 19
O Príncipe Veracidade está desaparecido, ele partiu em busca dos antigos e ninguém conhece o seu paradeiro, nem ao menos se ele está vivo ou morto. Bobo e Kettricken empregaram uma fuga do castelo e o paradeiro deles também é algo desconhecido, ninguém sabe como eles conseguiram escapar. Após a morte do Rei Sagaz, aliado ao desaparecimento do Príncipe Veracidade, herdeiro do trono, Majestoso acaba assumindo o trono e um dos seus primeiros atos no poder é saquear e transferir tudo o que há na Torre do Cervo (artigos de luxo, móveis, tapeçarias e animais) para a cidade de Vaudefeira. Majestoso deixa a Torre do Cervo em condições deploráveis. Enquanto isso, os Navios Vermelhos  colocam em ação o plano de invasão total, eles desolam e assombram a costa dos Seis Ducados.
Após passar um tempo como hospedeiro no corpo do lobo, revoltado, Fitz decide partir em uma jornada com o lobo para matar Majestoso e finalmente encontrar Veracidade. Enquanto caminha em busca de concluir essas missões pessoais, Fitz precisa lidar com as suas angústias ao mesmo tempo que precisa fugir de diversas pessoas que querem vê-lo morto. Essa jornada é lenta e árdua, repleta de perigos, mas também serve como uma jornada para o autoconhecimento, ainda que de forma melancólica e deprimente para ele, pois ele está separado de tudo e de todos, principalmente de Molly. 

Esse afastamento das pessoas que Fitz conhece acaba interferindo em suas decisões, pois ele acaba cometendo algumas ações precipitadas, mas principalmente desesperadas. É durante essa sua jornada que Fitz recebe a companhia de duas mulheres: Kettle, uma senhora extremamente sarcástica e misteriosa, além de Starling, uma trovadora bastante independente e irreverente que decide acompanhá-lo por acreditar que um dia Fitz vai lhe render uma boa canção. Em certo momento, Fitzcavalaria, suas companheiras e outros personagens acabam explorando em busca do verdadeiro Rei dos Seis Ducados, mas será que esse rei está vivo?
Opinião: A Fúria do Assassino finaliza a trilogia Saga do Assassino e sem sombra de dúvidas é o melhor livro dos três. A atmosfera apresentada pela autora é muito boa, o aspecto de magia elaborada por ela é tranquila de entender. O aspecto política abordado nos outros livros da série continua presente nesse último volume, algo que achei super positivo. Contudo, a autora foca principalmente em um aspecto tradicional nos livros de literatura fantástica: a jornada e todos os elementos que vem como ela, como aventuras e principalmente o autoconhecimento. É também possível através da jornada de FitzCavalaria vermos como a sucessão pelo poder e a invasão nos Seis Ducados afetou o povo.

Hobb abre espaço para trabalhar temas como a honra, o sacrifício e a solidão que são inseridos nos seus personagens, esses temas nos leva a refletir sobre tudo o que esses personagens enfrentaram, mas serve principalmente para  podermos refletir sobre a natureza do ser humano. O final da história está à altura da trilogia, o clímax ficou sensacional. Esse livro é espetacular, são tantos elementos fantásticos que a autora insere na trama que fica difícil de se despedir da trilogia, eu fiquei com gostinho de quero mais.
Sobre a Edição: A Leya está de parabéns pela edição, o projeto gráfico ficou muito bom. A capa ficou muito bonita e repleta de detalhes. A revisão ficou boa, as folhas são amareladas, a topologia/fonte está no padrão da editora. A edição conta com orelhas, sumário, mapa e ao final do livro temos algumas informações sobre a autora.
Sobre a Autora: Robin Hobb é o pseudónimo da romancista Margaret Astrid Lindholm Ogden (nascida em 1952), que produz principalmente obras de ficção contemporânea e fantasia épica. De 1983 a 1992, ela escreveu exclusivamente sob o pseudónimo Megan Lindholm, gêneros de ficção contemporânea. Em 1995, ela começou a usar o nome de Robin Hobb, que o daria mais fama, para escrever obras de fantasia com cenário de influências medievais, épico. Ela publica atualmente, sob ambos os nomes e vive em Tacoma, Washington. 

Até 2003, ela havia vendido mais de 1 milhão de cópias de seus nove primeiros romances como Robin Hobb. Seus livros mais famosos são da trilogia The Farseer ("A Saga do Assassino" como conhecido em português), que é uma das mais famosas séries nas listas das obras de fantasia da atualidade, traduzida para diversas línguas em diversos países. A série ganhou versão em histórias em quadrinhos e gerou uma extensa continuação pela autora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad