[RESENHA #458] CONTOS DE TERROR - TOMO II - Saga Literária

Novidades

Home Top Ad

Post Top Ad

terça-feira, abril 24, 2018

[RESENHA #458] CONTOS DE TERROR - TOMO II



Título: Contos de Terror - Tomo II
Autor: Vários
Editora: Martin Claret
Páginas: 168
Ano: 2015

ISBN: 9788544000977
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: 
Bem-vindos ao mundo da literatura de terror! O segundo tomo da serie de contos de horror e mistério traz histórias de seis grandes autores da literatura fantástica e universal: Ambrose Bierce ('A coisa maldita'); Elizabeth Gaskell ('A história da velha babá'); Arthur Conan Doyle ('A mão parda'); Bram Stoker ('O convidado de Drácula'); Charles Dickens ('O manuscrito de um louco'); e Walter Scott ('O quarto das tapeçarias'). Seis contos que deixarão você, leitor, envolto na névoa do sobrenatural e do ilógico.

Resenha: Contos de Terror - Tomo II é uma coletânea com seis contos de um grupo seleto de autores renomados como: Ambrose Bierce, Elizabeth Gaskell, Arthur Conan Doyle, Bram Stoker, Charles Dickens e Walter Scott. Faz parte desse volume os contos: "A coisa maldita", "A história da velha babá", "A mão parada", "O convidado de Drácula", "O manuscrito de um louco" e "O quarto das tapeçarias". Confira abaixo a resenha de alguns contos.
A Coisa Maldita (Ambrose Bierce): É noite, um grupo de homens estão reunidos à luz de uma sombria vela em uma casa que aparenta está localizada em algum deserto americano. Um desses homens está morto e deitado de barriga para cima em uma mesa de madeira, este é Hugh Morgan. Enquanto isso outros sete estão sentados, silenciosos e aguardando o magistrado acabar de ler um livro que foi encontrado em posse do homem morto. Em certo momento surge um jovem chamado William Harker nascido e criado na montanha, ele chega para prestar depoimento e dizer o que aconteceu nos últimos momentos na vida de Hugh Morgan. Harker relata que foi convidado pelo seu hóspede para caçar, porém tudo dá errado quando uma besta surge no caminho deles.

"À luz da vela de sebo colocada em uma das pontas de uma mesa rústica, um homem lia algo em um livrinho. Era um livro contábil antigo, bastante gasto; aparentemente a escrita não estava muito legível, pois de vez em quando o homem segurava a página perto da chama da vela para lançar uma luz mais forte sobre ela (...)" p. 25.

Opinião: Essa é uma boa e envolvente história de terror, pois a besta ou o monstro que surge no caminho de Harker e Morgan jamais é revelada fisicamente, dessa forma o conto tem todo um ar de mistério e um toque sobrenatural, de certa forma o conceito do filme "O Predador" lembra esse conto, já que temos dois homens caçando algo que não conseguem ver. A leitura foi muito rápida e fluiu bem.
A História da Velha Babá (Elizabeth Gaskell): Esse conto acompanhamos a vida de Hester, a velha babá. Ela traz ao nosso conhecimento algo que aconteceu na sua juventude. Muito jovem, Hester nasceu em uma família pobre, ainda nova foi escolhida para trabalhar como babá para uma família rica, quando chega na casa dessa família, a sua patroa já encontrava-se grávida e logo nasceu a pequena Rosamond. Mas o destino quis que a pequena Rosamond com poucos anos de vida perdesse seus pais, tornando-a órfã. Desse momento em diante Hester fica responsável por cuidar da menina e levá-la até a casa dos Furnivall, onde morava uma tia-avó do pai da pequena Rosamond.

"Vocês sabem, meus queridos, que a sua mãe era órfã e filha única; e suponho que também saibam que o seu avô foi clérigo em Westmoreland, de onde venho. Eu era apenas uma menina na escola do povoado, quando, um dia, a sua avó foi até lá pra perguntar à professora se havia alguma aluna com aptidão para ser babá; fiquei muito orgulhosa, sabem, quando a professora me chamou e falou que eu era boa com a agulha de costura e uma garota tranquila e honesta (...)" p. 41.

A nova casa de Rosamond e Hester é na verdade uma mansão, elas adoravam explorar a mansão e seus cômodos. O único lugar que elas não poderiam ir era na ala leste que ficava trancada. Em uma certa noite de inverno, uma forte tempestade atingiu as redondeza, Hester já tinha colocado para dormir a pequena Rosamund, quando começou a ouvir um barulho vindo do hall, era o som de um órgão. No dia seguinte, quando foi perguntar quem havia tocado o órgãol, todos os criados da casa ficaram assustados e não comentaram nada. Curiosa, ao inspecionar o órgão ela percebeu que o mesmo estava quebrado e imediatamente um calafrio percorreu o seu corpo. Com o passar dos dias os sons vindos do órgão era algo constante e Rosamond passou a ser atormentada por alguma presença. Hester parte em busca de descobrir o que está acontecendo na mansão e também com a garotinha, nesse jornada ela acaba descobrindo o passado da família Furnivall.

Opinião: A atmosfera de suspense e mistério nesse conto é incrível, eu confesso que fiquei completamente envolvido pela autora, pois ela nos apresenta um conto bem elaborado, personagens bem construídos e cativantes. Os eventos são conduzidos com maestria pela autora e isso contribuiu para que eu ficasse curioso sobre o que iria acontecer na trama. Essa é uma história de terror que beira à perfeição onde a autora utiliza muito bem do elemento sobrenatural.

A Mão Parda (Arthur Conan Doyle): Esse conto foi publicado originalmente em 1899 na Strand Magazine e acompanhamos a história do famoso cirurgião indiano chamado Sir Dominick Holden que é narrada por seu sobrinho, um jovem médico chamado Dr. Hardacre. O jovem médico relata alguns acontecimentos que levaram o seu tio a fazer dele o seu herdeiro. Hardacre descreve com o seu tio conseguiu construir uma carreira de sucesso como médico na Índia Britânica, tudo começa quando Holden iniciou a sua carreira como médico militar e depois como médico em Bombaim. Sir Dominick Holden demonstra ser um homem assombrado, porém ele não revela a natureza do que está assombrando e deixando-o aflito. Após o primeiro jantar com o seu sobrinho, Holden o convida para visitar o laboratório, onde ele guarda restos de coleção fantástica que ele recolheu após um incêndio em sua casa na cidade de Bombaim.

"Todos sabem que Sir Dominick Holden, o famoso cirurgião indiano, me fez seu herdeiro, e que a sua morte me transformou em um homem rico; de uma hora para outra deixei de ser alguém que trabalhava duro, um médico sem recursos, para me tornar um próspero proprietário de terras." p. 77.

Durante a noite, Hardacre acorda e presencia algo sobrenatural, ele vê a figura de um homem indiano parado na sala da casa do seu tio e o jovem médico observa que tal homem está perdendo aos poucos a sua mão direita. Na manhã seguinte Hardacre relata ao seu tio o que aconteceu durante a noite e Sir Dominick revela que tal aparição o assombrou por alguns anos. Essa aparição na verdade está relacionada com um caso que ocorreu dez anos antes em Peshawur quando Dominick amputou a mão de um montanhista, como forma de pagamento pelo serviço prestado ao montanhista, Sir Dominick exigiu ficar com a mão do homem. Desse momento em diante Hardacre oferece a sua ajuda para acabar com essas aparições que vem atormentado o seu tio há alguns anos.

Opinião: Apesar de focar no sobrenatural, esse não é um conto muito assustador e Conan Doyle deixa uma clara mensagem, que não devemos manter em nossa posse algo que não nos pertence. Esse conto foi publicado no fim do século XIX e tem como características principais o clima de suspense e mistério aliado ao sobrenatural. Doyle levanta outra questão importante ao retratar os hábitos dos médicos daquela época que era colecionar e manter em posse restos ou fragmentos dos corpos dos pacientes.
O Convidado de Drácula (Bram Stoker): Tudo começa com a visita de um homem inglês na cidade de Munique antes de seguir viagem até a Transilvânia. É noite de Walpurgis Nacht (algo semelhante ao Dia das Bruxas), e esse homem resolve passear pela cidade, porém Herr Delbrück recomenda ao cocheiro Johann para retornar antes do cair da noite. Obstinado, esse homem decide ir em direção à uma vila, um local abandonado e assombrado, ignorando os conselhos do assustado cocheiro.

"Quando nos preparávamos para começar o nosso passeio, o sol brilhava intensamente em Munique e o ar estava repleto de alegria do início do verão. Já estávamos prestes a partir, quando Herr Delbrück (o maître d'hotel do Quatre Saisons, onde eu me hospedava) veio até a carruagem, sem nem colocar o chapéu, desejou-me um passeio agradável (...)" p. 103.

Diante do medo do cocheiro, esse homem resolver seguir a sua jornada sozinho e após caminhar por alguma distância, o tempo repentinamente começa a mudar e uma forte nevasca surge, algo que acaba atrapalhando esse homem, pois ele se vê em meio a um cemitério, onde dá de cara com uma tumba que contém às seguintes inscrições: Condessa Dolingen de Gratz, na estíria buscou e encontrou a morte 1801. Ele vê outra inscrição que está escrita a seguinte frase: Os mortos viajam depressa. 

O clima no local era sinistro, sombrio e um pensamento acaba abalando o inglês, a noite de Walpurgis, de acordo com a crença popular, é nessa noite que o diabo está solto. Misteriosamente surge uma tempestade de granizo que leva o homem a buscar refúgio e se proteger na entrada de uma tumba, é nesse momento que ele vê uma misteriosa mulher surgir da escuridão, uma bela mulher e sons assustadores que o levaram a desfalecer.

Opinião: Inicialmente destinado a fazer parte do romance "Drácula", o conto O Convidado de Drácula foi excluído do livro, contudo trata-se de um conto extremamente envolvente, é muito bom e arrepiante, a atmosfera apresentada por Stoker ficou incrível, o tom nas ambientações são pesadas e sinistras. O homem inglês, protagonista da trama nos leva a crer que estava destinado a ser o personagem Jonathan Harker. Em sua jornada para explorar Munique e o desconhecido ele age mais de forma corajosa e brava do que inteligente, dessa forma ele acaba sendo surpreendido no caminho.
O Manuscrito de um Louco (Charles Dickens): Aqui acompanhamos um homem que divagava até que surge em sua cabeça a ideia de ler o "Manuscrito do clérigo", uma leitura que poderia se capaz de interessá-lo no momento ou mesmo despertar nele algum sono. Aos poucos acompanhamos pelo manuscrito a vida de um homem louco, ele é feliz com a sua condição e acreditava que escondia essa sua loucura de todos. Esse homem casa-se com uma bela mulher e a família da sua esposa, pobre, acreditava que estava dando um golpe no homem louco que era visto como rico. A sua mulher desprezava toda a sua riqueza, na verdade ela se vê envolvida emocionalmente por outro homem. Diante desse cenário, o homem passa semanas arquitetando um plano e diversas formas para assassinar a sua esposa, pois mesmo não odiando ela, ele odiava o homem que despertava nela o amor e por isso, não podendo ser o centro das atenções da sua esposa, ele decide que ninguém mais poderá ser.

"Tinha caminhado algumas vezes entre a porta e a janela e entre a janela e a porta, quando o manuscrito do clérigo entrou pela primeira vez na sua cabeça. Foi um pensamento bom. Se não fosse capaz de levantar seu interesse (...)" p. 125.

Opinião: Charles Dickens nos apresenta um conto em que o protagonista é considerado um louco, ele vive em constante reflexão sobre tudo o que o cerca, sobre a sua condições, como os seus amigos iriam reagir sabendo que ele é um louco e principalmente o protagonista vive refletindo sobre o seu casamento, sobre a sua mulher e o desprezo que ela dá a ele, ao mesmo tempo ele fica preocupado com o fato de descobrirem a sua loucura. Esse é um conto gótico e com uma forte abordagem sobre o campo da psicologia e psiquiatria. A escrita do autor é muito boa e o conto me agradou.

Opinião Geral: Essa foi uma leitura fascinante, a Martin Claret selecionou grandes autores da literatura clássica (eu já conhecia a escrita de todos) e com toda a sinceridade o único conto que eu já conhecia era "O Convidado de Drácula". Os contos são envolventes, possuem uma ambientação repleta de suspense e mistério, o fator gótico também está presente, principalmente no conto "O Manuscrito de um Louco" de Charles Dickens. Os autores retrata o sobrenatural, usos e costumes, mas também a própria condição humana. Eu torço para que a Martin Claret possa publicar um terceiro tomo dos Contos de Terror, pois os contos até agora apresentados nos dois volumes são de altíssima qualidade.
Sobre a Edição: O projeto gráfico apresentado pela Martin Claret ficou bem legal, ao início de cada conto temos uma ilustração, uma arte que visa representa o conto em questão. A fonte e o espaçamento ficaram confortáveis, já a revisão ficou muito boa. A edição conta com uma introdução elaborada por Luciana Duenha Dimitrov, professora e doutoranda no curso de letras na Universidade Presbiteriana Mackenzie que faz informações diversas relacionadas aos contos e aos temas origens, sentimentos e medos.

17 comentários:

  1. Eu não sou muito de ler terror. O único que li, e até gostei bastante, foi Frankenstein. Drácula já tentei mas não rolou... Bjks

    ResponderExcluir
  2. Olá Yvens!
    Eu não consigo ler terror! Acredito que é um dos únicos gêneros literários que simplesmente não consigo embarcar.
    Gostei bastante da edição, mas dessa vez deixo passar a indicação.
    Parabéns pelas resenhas dos contos, resumidas, mas instigantes para quem curte o gênero.

    ResponderExcluir
  3. Oi Yvens, eu adoro contos de terror, embora a sinopse diga que é de grandes autores, acho que só ouvi falar de um: Arthur Conam Doyle, mas é porque sou mais focada nos escritores mais atuais, mas tenho certeza, pelas tuas resenhas e principalmente, por tuas opiniões, que são contos incríveis, as vezes, aquilo que fica implícito, é o que dá mais medo.
    Tua resenha ficou muito boa e conquistou mais uma leitora, adicionado a lista de desejados.
    Bjos
    Vivi
    http://duaslivreiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. É um tipo de leitura que não faço, pode me indicar uma centena de livros com a temática terror mas não leio, eu sou medrosa e também não é o que procuro em uma leitura, mas de qualquer forma é sempre bom conferir opiniões sobre obras desse gênero, bela resenha. Parabéns.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    O contos desse volume me chamaram bastante atenção, especialmente "O Convidado de Drácula" e "A História da Velha Babá". Fiquei bem curiosa para conhecer mais sobre eles.
    Como eu não lia muito terror, Stoker é o único autor que conheço dos citados, mas todos me chamaram muita atenção.

    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Oi.
    Os enredos das histórias de terror chama muito minha atenção, mas não leio muito o gênero por ser extremamente medrosa. Mas estou tentando mudar isso. Por isso achei esse livro uma excelente pedida, pois nos fornece uma "degustação" da escrita dos autores clássicos do gênero. E os autores têm que ser realmente muito bons para dar esse clima sinistro em um conto.
    Adorei a dica.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Apesar de não ler livros/contos de terror, lendo sua resenha fiquei com vontade de conhecer o livro. Só de ler o post meu coração já acelerou de medo kk
    Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  8. Oiiieee


    Eu não sou muito de ler contos, mas se tratando de terror ja li alguns muito bons, acho que o gênero permite aos autores criarem histórias curtas que mesmo assim impactam o leitor. Achei essa edição um charme, eu com certeza leria, acho que desfrutaria da maioria das histórias.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  9. Eu amo uma boa história e terror. Fiquei realmente interessada nessa edição.O tima de autores é dos melhores e, pelos seus comentários, os contos parecem muito envolventes. O conto A história da velha babá me deixou curiosa.

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem? Essa capa tá linda, hein! Essa editora arrasa muito nas capas <3 Mas, apesar do time de peso, só gente de referência, eu não leria, porque não chego perto desse gênero. Mas imagino que, pra quem gosta, é uma experiência muito boa, especialmente porque parece que esses contos são meio inéditos na contemporaneidade. Adorei a resenha, achei muito bom você ter escolhido alguns contos e falado mais sobre eles :)

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Olá, confesso que nem chego perto de livros de terror já que esse gênero não me agrada muito, mas essa capa é tão linda que meu instinto compulsivo me deixou doida para comprar. Adorei o modo como você contou sobre alguns contos, me parece ser suspense puro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oi, Yvens! Gostei muito mais desse tomo do que do anterior, os contos parecem mais interessantes. rsrs
    Achei legal ver um conto de Elizabeth Gaskell, achei que ela só escrevesse romances. Os contos me pareceram mais sombrios e misteriosos que o tomo anterior, mas leria os dois se tivesse oportunidade.
    bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  13. OMG, preciso desse livroo! Quantos autores maravilhosos, fiquei bastante curiosa para conhecer esses contos de terror. A edição está lindíssima e as histórias parecem ser bem envolventes e sinistras haha. Adorei a sua resenha, obrigada pela dica. Bjss

    ResponderExcluir
  14. Muito bom, ainda mais para mim que estou procurando indicações do gênero, sem falar que o livro parece conter aquele ar mais macabro
    Bjos Rose

    ResponderExcluir
  15. Embora eu não curta muito o gênero, quando alguma obra me interessa eu leio e tenho tido boas leituras. Não conhecia o livro e adoro contos, gostei de ver a sua opinião e fiquei curiosa para poder ler também.

    ResponderExcluir
  16. Eu não tenho o livro, mas conheço os autores e os contos, essa edição ficou linda, a cor da capa é perfeita, o terror, neste caso, está mais, eu acho, fazendo uma relação com a época, acho que A História do Olho, apesar de ser erótico, tem mais 'terror' que alguns dos contos selecionados, entretanto, gosto de todos os contos dessa seleção.

    ResponderExcluir
  17. Oi Yvens, como está?
    Exceto por "O convidado de Drácula", que eu AMO DE PAIXÃO, não conhecia o resto dos contos, mas ADOREI cada proposta, ainda mais quando ouvi falar da maioria dos autores, especialmente do Conan Doyle, cujo Sherlock Holmes eu amo muito! Onde encontro esses tomos? São fáceis de adquirir?
    Abraços e beijos da Lady Trotsky...
    http://www.galaxiadeideias.com/
    http://osvampirosportenhos.blogspot.com

    ResponderExcluir

Post Bottom Ad