[RESENHA #461] O PEQUENO PRÍNCIPE - ANTOINE DE SAINT-EXUPÉRY - Saga Literária

Breaking

quarta-feira, 9 de maio de 2018

[RESENHA #461] O PEQUENO PRÍNCIPE - ANTOINE DE SAINT-EXUPÉRY



Título: O Pequeno Príncipe
Autor: Antoine de Saint-Exupéry
Editora: ViaLeitura (Edipro)
Páginas: 145

Ano: 2014
ISBN: 9788567097039

Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: 
O grande clássico de todos os tempos! As sábias, encantadoras e inesquecíveis histórias contadas pelo pequeno príncipe falam de seu próprio planeta, com seus três vulcões e uma flor presunçosa. Uma história maravilhosa e profunda, para todas as idades, e ilustrada pelo próprio autor. Edição brochura, no formato tradicional da obra. Nova tradução, pela professora de Literatura Francesa Isolina Bresolin Vianna. Ilustrado com as aquarelas do próprio Saint-Exupéry.

O pequeno príncipe é um dos maiores clássicos da literatura francesa. Sempre presente nas listas de best-sellers, já foi publicado em mais de 250 idiomas, e tornou-se o livro mais lido e mais traduzido na literatura internacional. Esta edição, que conta ainda com uma inovação editorial: é a única a trazer as ilustrações posicionadas fielmente à sequência da própria narrativa, chega ao mercado em um momento oportuno, em que se produz um filme de animação contando a história do Pequeno príncipe, com lançamento previsto para outubro de 2015 no Brasil.

Resenha: Tudo começa quando um piloto de um monomotor que está sobrevoando o deserto do Saara precisa realizar um pouso forçado, pois uma pane ocorre no pequeno avião. Apesar do incidente, nada de grave acontece com o piloto, mas este se vê obrigado a dormir no deserto. Na manhã seguinte, ao acordar bem cedo e planejando o demorado conserto do avião, aparece ali naquele deserto, um menino de pouca estatura com cabelos da cor de ouro e utilizando um cachecol vermelho ao redor do pescoço.

"Quando eu tinha seis anos, vi, certa vez, uma ilustração fascinante em um livro sobre a Floresta Virgem, que se chamava História Vividas. Ela representava uma joboia que havia engolido uma fera (...)" p. 9.

Nesse primeiro e misterioso contato, o menino pede ao aviador que lhe desenhe um carneiro, e este confuso, sem entender como o menino surgiu em meio ao deserto, impaciente e querendo consertar logo o seu monomotor, resolve mostrar ao garoto o seu antigo desenho de um elefante que fez na sua infância. Contudo, para a surpresa do aviador, o menino interpreta corretamente o desenho, que mais parece um chápeu, mas na verdade é a representação de um elefante dentro de uma jiboia; e essa rápida interpretação deixa o adulto surpreso, tendo em vista que nenhum dos adultos conseguira interpretar o significado daquele desenho. Não satisfeito, o menino insiste para que o adulto desenhe um carneiro e após algumas tentativas, o adulto consegue satisfazer o garoto.
"Ele não conseguiu dizer mais nada. E subitamente irrompeu em soluços. A noite havia chegado. Eu larguei minhas ferramentas. Fiz pouco caso do meu martelo, do meu parafuso, da minha sede e da morte. Havia numa estrela, num planeta, o meu, a Terra, um pequeno príncipe a ser consolado!" p. 30.

O Pequeno Príncipe era o único habitante do asteroide B 612 e ele passa a ter interesse pelo planeta Terra devido ao contraste com o asteroide, pois a Terra, em seu modo de ver, apresentava muitas paisagens distintas e diversos animais desconhecidos. Aos poucos, o jovem príncipe conta para o piloto algumas características do seu planeta/asteroide, como o crescimento das baobás ou mesmo como é possível ver o pôr do sol. Enquanto o garoto apreciava toda aquela novidade para ele, o piloto lutava contra o tempo para arrumar o seu monomotor e também sobreviver, pois a água que ele tinha iria durar apenas oito dias e eles precisavam encontrar o quanto antes alguma forma de sair do deserto ou o piloto iria perecer.
Opinião: O Pequeno Príncipe é considerado um clássico da literatura, contudo em pleno 2018 eu ainda não tinha realizado essa leitura, e posso tranquilamente dizer que o livro é magistral e encantador com uma história cativante e que fluiu extremamente bem. Saint-Exupéry através de poucas páginas, leva ao leitor a refletir sobre diversos temas considerados essenciais. Essa é uma obra literária profundamente metafórica e simbolista, os personagens apresentados pelo autor estão diretamente ligados ao mundo real, além disso, no período em que o livro foi escrito e publicado o mundo estava em pleno declínio moral e humanístico com a fatídica Segunda Grande Guerra Mundial, e Antoine por meio de "O Pequeno Príncipe" transmite sábias palavras sobre a necessidade de amar e tolerar, ele questiona a conduta do ser humano e nos leva a refletir sobre os nossos atos e escolhas.
Mundialmente conhecido, O Pequeno Príncipe tem uma linguagem acessível e de fácil compreensão, o que contribuiu para esse livro conquistar público de diversas faixas etárias. O enredo é extremamente rico, tornando o livro de Saint-Exupéry uma leitura essencial e praticamente obrigatória por ser um livro único, além disso, extrapola qualquer limitação que um livro voltado para o público infantil poderia apresentar. É impossível deixar de recomendar a leitura desse livro incrível.
Sobre a Edição: A Edipro por meio do selo ViaLeitura caprichou na edição, o livro conta com capa dura, a espessura do papel é muito boa, a fonte está em tamanho super confortável e eu não encontrei qualquer erro na revisão. O livro é repleto de ilustrações e todas elas coloridas. A edição ficou muito boa e a editora arrasou, um verdadeiro item de colecionado, um luxo!
Sobre o Autor: Antoine de Saint-Exupéry nasceu 29 de Junho de 1900 na cidade de Lyon, França. Antoine foi escritor, ilustrador e piloto da Segunda Guerra Mundial, seus pais eram o conde Jean Saint-Exupéry e a condessa Marie Foscolombe. Apaixonado desde a infância pela mecânica, estudou a princípio no colégio jesuíta de Notre-Dame de Saint-Croix, em Mans, de 1909 a 1914. Neste ano da Primeira Guerra Mundial, juntamente com seu irmão François, transfere-se para o colégio dos Maristas, em Friburgo, na Suíça, onde permanece até 1917. Quatro anos mais tarde, em abril de 1921, Antoine inicia o serviço militar no 2º Regimento de Aviação de Estrasburgo, depois de reprovado nos exames para admissão da Escola Naval.

4 comentários:

  1. Uma das melhores obras que já tive o prazer de ler. Foi o meu primeiro livro, eu tinha 7 anos.

    ResponderExcluir
  2. Olá, esse foi um dos livros que mais amei ler e até hoje é um dos meus favoritos, fiz a leitura muito nova mas é aquele tipo de obra atemporal! Não importa a idade que leia sempre se derrete e se apaixona pela história! Linda resenha! Beijos até a próxima!

    ResponderExcluir
  3. O livro é ótimo mesmo né? Fiz uma releitura dele no ano passado e me vi com outra visão da história e com novas reflexões
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  4. Olá amore,
    Sou suspeita falar, porque tenho um amor incondicional pelo Pequeno Príncipe, mas vamos lá... amooo!!!
    Não conhecia essa edição, mas já me apaixonei e quero!!!
    Beijokas!!!
    Adorei a resenha!

    ResponderExcluir