[RESENHA #499] MAIS LINDO QUE A LUA - JULIA QUINN - Saga Literária

Novidades

Home Top Ad

Post Top Ad

quarta-feira, julho 11, 2018

[RESENHA #499] MAIS LINDO QUE A LUA - JULIA QUINN


Título: Mais Lindo Que a Lua
Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Páginas: 272
Ano: 2018
ISBN: 978-85-8041-797-5
Onde Comprar: Saraiva - Amazon

Sinopse: Foi amor à primeira vista. Mas Victoria Lyndon era a filha do vigário, e Robert Kemble, o elegante conde de Macclesfield. Foi o que bastou para os pais dos dois serem contra a união. Assim, quando o plano de fuga dos jovens deu errado, todos acreditaram que foi melhor assim.
Sete anos depois, quando Robert encontra Victoria por acaso, não consegue acreditar no que acontece: a garota que um dia destruiu seus sonhos ainda o deixa sem fôlego. E Victoria também logo vê que continua impossível resistir aos encantos dele. Mas como ela poderia dar uma segunda chance ao homem que lhe prometeu casamento e depois despedaçou suas esperanças?
Então, quando Robert lhe oferece um emprego um tanto incomum - ser sua amante -, Victoria não aceita, incapaz de sacrificar a dignidade, mesmo por ele. Mas Robert promete que Victoria será dele, não importa o que tenha que fazer. Depois de tantas mágoas, será que esses dois corações maltratados algum dia serão capazes de perdoar e permitir que o amor cure suas feridas?
Mais lindo que a lua, primeiro livro da série Irmãs Lyndon, é uma história irresistível sobre reencontrs e desafios, romantismo e perseverança.

Resenha: Você acredita em amor à primeira vista? Robert não acreditava, até que em um dia como outro qualquer, ele viu Victoria à beira de um lago. Linda, mas desengonçada. Ele a observava de longe, mas por algum motivo ela percebeu a sua presença. 

Depois daquele encontro, onde um se encantou pelo outro, muitos outros se sucederam, fosse durante o dia, ou mesmo na calada da noite, onde iam observar a lua e as estrelas no meio do bosque. 

"Em minha mente, entendo que a vi pela primeira vez há dez minutos, mas meu coração a conhece desde sempre. E minha alma também." p. 14


A cada novo encontro, eles se apaixonavam mais. Porém, Victoria tinha medo, afinal, ele era um conde, ele não podia se apaixonar por ela, a filha do vigário. Mas aconteceu e eles prometeram que fariam esse romance ser real.

Até que decidiram fugir. Robert não imaginava, porém, que ela não ia aparecer. Nem Victoria imaginava que ele iria embora no dia seguinte, sem nem ouvir suas explicações. Ele acreditou então no que o pai disse, que ela queria apenas o seu dinheiro, o seu título e Victoria acreditou no que o pai disse, que ele apenas queria se aproveitar dela. Os caminhos se separaram e ele não se falaram, nem se viram mais durante sete anos.
Até que Robert Kemble apareceu na propriedade em que Victoria trabalhava como preceptora. Ali, eles notaram que sete anos não apagara os sentimentos puros, mas ambos estavam tão cheios de mágoa que só queriam alfinetar um ao outro.

O problema é que Robert não evitava sua presença, na verdade, ele a procurava e cada momento ao lado dela, além de reviver a dor, revivia o amor. Ele a queria para si e por isso pediu que ela fosse embora como sua amante. Victoria, ofendida, negou de imediato e o odiou ainda mais.

"Seria mesmo possível amar e odiar ao mesmo tempo? Robert sempre ridicularizou essa possibilidade, mas agora já não tinha tanta certeza." p. 86


Por mais que tentasse viver sua vida como tivera feito nos últimos sete anos, Robert não conseguia mais esquecer a mulher linda, inteligente e de lingua afiada que se encontrara nas últimas semanas. Quando, então, ele descobre o que realmente aconteceu na noite em que ele e Victoria fugiriam juntos, sua redenção começa. Ele precisará mostrar que não é o babaca insensível que fez ela acreditar ser. Precisará mostrar todo o seu amor, acumulado por sete anos, e revivido de forma tão intensa que não é possível extinguir. Victoria, porém, não se recente mais do passado, mas da forma como foi tratada durante o último encontro e precisará superar suas dores caso deseje se entregar ao amor. Porém, sabemos que isso não é uma coisa fácil de se conseguir.
Opinião: Há muito tempo sinto vontade de ler os romances de época da Julia Quinn, afinal, sou apaixonada por esse gênero literário e ela é uma das queridinhas desse meio. Quando tive a oportunidade de conhecer "Mais Lindo que A Lua", a agarrei com todo o coração, pois amo histórias com amor à primeira vista, mesmo sem acreditar.

Como Julia ressalta em suas notas, nem ela acreditava nesse tipo de amor, até a cena se desenrolar no livro. Ela promete e cumpre: todos passamos a acreditar no amor de Robert e Victoria. 

Mas da mesma forma que me apaixonei por seu amor puro, eu senti tremenda raiva de Robert ao longo do livro. Ele começou a agir de forma babaca, ofendendo Victoria por se sentir "magoado". O pior é que ele a procurava para isso, fazendo questão de se vingar quando ela só queria viver sua vida. Eu estava quase torcendo para que ela encontrasse alguém e largasse de vez esse amor por um babaca. 

"Algo dentro dela ainda falava ao seu coração e ele sabia que não viveria em paz consigo mesmo se propositalmente lhe causasse alguma dor." p. 107


Ainda bem, porém, que as coisas começaram a mudar. Robert se deixou sim vencer pelo amor, mesmo que apenas depois de descobrir os acontecimentos do passado, e começou a mudar. Quando isso aconteceu, eu fiquei bem mais admirada e consegui torcer pelo casal novamente. No final, acabei ficando agoniada com Victoria lutando contra todos os sentimentos.

No âmbito dos personagens secundários, além da irmã de Victoria (que será a protagonista do próximo livro), outra que me deixou encantada com suas aparições foi Harriet, a jovem prima de Robert, que apareceu pouco, mas possuía um carisma tão grande que me fez desejar mais de sua presença na história. 

"Você me deu a lua, Robert. Não, fez mais do que isso. Você me pegou e me levo até ela." p. 143


Mais Lindo Que a Lua é um romance de época com cenas quentes, porém, que carrega junto um romance tão puro que singular, incapaz de não aquecer nossos corações e nos fazer acreditar que tudo é possível, inclusive um amor à primeira vista.
Sobre a Edição: Impossível não comentar sobre essa capa linda do livro, que tem tudo a ver com a trama e nos apaixona antes mesmo de abrir. Ele também conta com uma página de rosto que é igual à capa, folhas grossas e amareladas, com fonte em tamanho e espaçamento confortáveis para a leitura. Os capítulos são contínuos, não havendo quebra de páginas para iniciar um novo. Não encontrei erros de digitação ou de ortografia. Uma diagramação encantadora e simples, condizente com o gênero.
Sobre a autora: Julia Quinn começou a trabalhar em seu primeiro romance um mês depois de terminar a faculdade e nunca mais parou de escrever. Seus livros já atingiram a marca dos 10 milhões de exemplares vendidos, sendo mias 3,5 milhões da série Os Bridgertons, publicada pela Arqueiro. Seus romances já foram traduzidos para 29 idiomas. 
Julia é formada pelas universidades Harvard e Radcliffe e foi a autora mais jovem a ser incluída no Romance Writers os America's Hall of Fame, a Galeria da Fama dos Escritores Românticos dos Estados Unidos. Atualmente mora com a família no Noroeste Pacífico.

Um comentário:

  1. Oi, Fernanda!
    Estou louca pra ler esse livro. Vou tentar colocá-lo na minha TBR do próximo mês!
    Muito boa a sua resenha e as fotos estão maravilhosas!
    Abração,
    Drica.

    ResponderExcluir

Post Bottom Ad