[RESENHA #500] A MARCHA (LIVRO 1) - JOHN LEWIS, ANDREW AYDIN E NATE POWELL - Saga Literária

Breaking

quinta-feira, 12 de julho de 2018

[RESENHA #500] A MARCHA (LIVRO 1) - JOHN LEWIS, ANDREW AYDIN E NATE POWELL


Título: A Marcha - John Lewis e Martin Luther King Em Uma História De Luta Pela Liberdade
Autor: John Lewis, Andrew Aydin e Nate Powell
Tradução: Érico Assis
Editora: Nemo
Páginas: 128
Ano: 2018
ISBN: 9788582864524

Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: O parlamentar John Lewis é um ícone nos Estados Unidos e uma das principais figuras do movimento pelos direitos civis. Seu comprometimento com a justiça e a não violência o levou de uma pequena fazenda no Alabama para os corredores do Congresso norte-americano; de uma sala de aula segregada para a Marcha em Washington; dos ataques da polícia ao recebimento da Medalha Presidencial da Liberdade pelas mãos do primeiro presidente negro dos Estados Unidos. 
A Marcha retrata a longa batalha de Lewis pelos direitos humanos e civis, seu encontro com Martin Luther King Jr. e a luta para dar fim às políticas de segregação no país.

Resenha: Recebi da Editora Nemo (Grupo Autêntica) outra Graphic Novel e dessa dez é A Marcha que retrata a vida do ativista e uma das principais figuras que lutou no movimento dos direitos civis dos negros nos Estados Unidos que tinha como objetivo terminar com a segregação racial. Logo no início do quadrinho acompanhamos a Marcha sobre Washington que ocorreu 1963 sendo repelida por forças policiais e em seguida somos levados para o ano de 2009, período em que John Lewis é um deputado norte-americano. Lewis está se preparando para a posse do Barack Obama que será o primeiro presidente negro na história dos Estados Unidos.

Voltando ao passado, conhecemos a infância de Lewis, desprovida das melhores condições financeiras. O pai de Lewis com muito custo consegue juntar 300 dólares e em 1940 compra uma terra em Pike, Alabama. Nessa terra eles plantam algodão, milho e amendoim e o garoto Lewis, logo jovem, começa a ajudar seus pais ficando responsável por cuidar do galinheiro, mas rapidamente ele pega amor pelos pequenos animais, dando nome e reconhecendo cada uma das galinhas, ele inclusive passa a pregar para os animais. Porém, a cada morte de uma das galinhas ele fica triste e ressentido com a perda, demonstra muita preocupação com suas criações.

"Nós morávamos em uma fazenda de 45 hectares onde plantávamos algodão, milho e amendoim. Era num cantinho do condado de Pike, no Alabama." p. 21.
É no ano de 1951 que a vida de Lewis começa a mudar, ao menos a sua percepção sobre o mundo. Nesse ano o garoto realiza a sua primeira viagem para o Norte e essa jornada foi carregada de preocupações e tensões. Lewis via o seu tio nervoso e passou a entender o motivo de tanta preocupação, pois havia lugares em que as pessoas negras, pessoas de "cor", não poderiam parar para comprar alimentos, utilizar o banheiro ou até mesmo abastecer seus automóveis. As pessoas negras precisavam encontrar algum lugar seguro, algum lugar onde podiam atender as suas necessidades. Ao chegar no norte o jovem Lewis fica extremamente espantado ao ver a quantidade de pessoas brancas na região onde seu tio mora.

"Eu frequentava a Primeira Igreja Batista de Nashville, no centro. Seu eu sentasse nos degraus podia literalmente jogar uma bola de beisebol e acertar a sede do Governo Estadual do Tennessee." p. 75

Mudando a sua visão sobre o mundo e com aquele desejo de contribuir e mudar as coisas, Lewis passa a estudar muito e para isso enfrenta muitas dificuldades, inclusive seus pais como obstáculo, pois eles querem que Lewis ajude em casa e no trabalho do pai. O estopim para tornar-se um ativista foi quando Martin Luther King realizou um boicote após uma jovem negra ser presa por não ceder o seu lugar para uma pessoa branca, nesse momento surge em Lewis uma vontade sedente por mudar os direitos e obrigações civis dos negros.
Opinião: Eu achei muito interessante a narrativa, pois ela ocorre por meio das lembranças de John Lewis. A história é contada através de flashbacks que retrata desde a sua infância até a fase adulta. É por meio desses flashbacks que enxergamos através dos olhos de Lewis toda a discriminação e os direitos desiguais que os negros precisaram enfrentar e lidar, levando como consequência aos movimentos pela luta dos direitos civis de forma igualitária. Em termos de história essa luta ocorreu poucas décadas atrás, é um período muito próximo e é meio louco ter acontecido essa segregação até os anos de 1960, principalmente se levarmos em conta que a abolição da escravatura ocorreu no ano de 1863 nos Estados Unidos e outro detalhe ainda mais relevante, os negros norte-americanos lutaram pelo Estados Unidos na Primeira e Segunda Guerra Mundial, então eles estavam aptos para lutar e defender o país em uma guerra, mas não estavam aptos para receber tratamento igualitário em relação aos brancos?

Confesso que gostei muito da HQ, a leitura fluiu muito bem, as ilustrações de Nate Powell são magníficas, impressionam e retratam bem a história de Lewis e a luta dos negros pelos direitos civis, facilitando ainda mais a leitura e compreensão do tema. Eu particularmente amo história e adorei essa oportunidade concedida pela Editora Nemo de conhecer a vida de John Lewis, mas também esse momento negro da história norte-americana. Essa obra é tão importante e marcante que conseguiu ser a primeira graphic novel a vencer o National Book Award. Essa é uma leitura imperdível, recomendo para todos que curtem quadrinhos e para aqueles que querem conhecer um pouco mais da história de John Lewis e dos Estados Unidos da América. Agora é aguardar os outros dois volumes da trilogia para dar prosseguimento a essa leitura que até o momento foi maravilhosa.
Sobre a Edição: A Marcha é uma graphic novel muito bonita, a capa ficou bem arquitetada e retrata bem o teor da trama. As ilustrações ficaram lindas e impressionam pelo realismo. Essa é uma edição formato 17 x 24, a capa é cartonada com orelhas, o papel utilizado foi offset e apresenta boa gramatura. Não encontrei erros de revisão, a única dificuldade que tive foi encontrar em alguns momentos balões no início da leitura com letras bem pequenas. No geral ficou excelente o projeto gráfico da Nemo.
Sobre o Autor: O parlamentar John Lewis foi um dos líderes do Movimento Americano pelos Direitos Civis. Foi presidente do Student Nonviolent Coordinating Committee (Comitê Coordenador Estudantil Não Violento – SNCC) e desempenhou um papel-chave na luta pelo fim da segregação. Mesmo com mais de quarenta prisões, ataques e ferimentos graves, continuou a advogar pela filosofia da não violência.

10 comentários:

  1. Oiii,

    É uma história muito interessante, de grande aprendizado e que nos faz pensar em como o nosso mundo era a um tempo atrás. Mas mesmo eu gostando muito da premissa eu não sou uma pessoa que curte muito Grafic Novels. Ou quadrinhos como um todo, mas pra quem curte eu tenho certeza que é uma ótima dica, principalmente porque a edição está belíssima.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  2. Oiee, tudo bem?

    Eu adoro Grafic Novels, e essa resenha me deixou com uma vontade enorme de conhecer essa história! Parece ser muito interessante, aquelas histórias que deixam marca na vida mesmo né?

    Obrigada pela dica, essas histórias precisam ser compartilhadas ♥


    Beijos,
    www.dreamsandbooks.com

    ResponderExcluir
  3. Olá, acho muito interessante a história contada em Grafic Novels, fica fácil entendimento e muito acessível para todos. Deveriam fazer do cotidiano nas escolas, tornado essa matéria muito interessante. Adorei essa que você indicou e vou procurar mais títulos na editora. Bjs

    ResponderExcluir
  4. A Nemo sempre traz HQs lindas e caprichadas, alem de é claro contar com historias tão maravilhodas assim como esta.. gostei muito da indicação, fiquei bem interessada pela história e achei o traço lindo! Obrigada pela dica!

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Ola Yvens, tudo bem?
    Você acredita que ainda não li nenhuma Grafic Novels?
    Tenho visto várias resenhas e divulgações por ai, mas nunca as encaixo na minha lista de compras.
    Quando vi que sua resenha era de uma fiquei ainda mais ansiosa. Amei a sua dica, essa parece ser realmente uma história realmente instigante com os fhash backs e as super ilustrações. Acho que vou adquiri-lo para conhecer o gênero.
    Parabéns pela resenha
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Que baita história. Gosto muito das HQs da Nemo, são de extrema qualidade, e as ilustrações dessa em especial parecem maravilhosas. Acho que eu curtiria ler.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  7. Oi Yvens,
    Tenho lido resenhas muito positivas sobre esse livro e tenho ficado bastante curiosa para fazer a leitura, pois essas obras têm me agradado. Fiquei muito contente por saber que o formato do livro fez a leitura ficar fluída. O livro parece trazer muitas reflexões e vou super anotar a dica.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi Yvens, tudo bem?

    Gosto muito de narrativas que são contadas em parte por flashbacks, isto sempre me faz imergir na leitura e curtir a narrativa. Como uma HQ, já tinha tudo para ser conquistada e trazer uma leitura tão magnífica, só me faz aumentar minha curiosidade. Os traços estão bem marcantes. Com toda certeza vai para a lista de desejados.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. quer esse livro pra ontem!
    eu amo história e amo política e amo livros que abordam esses temas
    sem duvida é uma história emocionate e importantíssima
    vou procurar ja pra mim

    ResponderExcluir
  10. Olá
    muito legal saber mais sobre a história tão marcante e forte, é um jeito de entender mais sobre politica, que é algo que preciso e também se emocionar muito

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir