[RESENHA #522] FLORES PARA ALGERNON - DANIEL KEYES - Saga Literária

Novidades

Home Top Ad

Post Top Ad

Post Top Ad

Responsive Ads Here

sexta-feira, agosto 17, 2018

[RESENHA #522] FLORES PARA ALGERNON - DANIEL KEYES



Título: Flores Para Algernon
Autor: Daniel Keyes
Tradução: Luisa Geisler
Editora: Aleph
Páginas: 288
Ano: 2018
ISBN: 9788576573937
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: Uma cirurgia revolucionária promete aumentar o QI do paciente. Charlie Gordon, um homem com deficiência intelectual severa, é selecionado para ser o primeiro humano a passar pelo procedimento. O experimento é um avanço científico sem precedentes, e a inteligência de Charlie aumenta tanto que ultrapassa a dos médicos que o planejaram. Entretanto, Charlie passa a ter novas percepções da realidade e começa a refletir sobre suas relações sociais e até o papel de sua existência. Delicado, profundo e comovente, Flores para Algernon é um clássico da literatura norte-americana. A obra venceu o prêmio Nebula e inspirou o filme Os Dois Mundos de Charly, ganhador do Oscar de Melhor Ator, um musical na Broadway e homenagens e referências em diversas mídias.


Resenha: Escrito pelo autor estadunidense Daniel Keyes, Flores para Algernon foi publicado originalmente no ano de 1959 na forma de conto pela revista The Magazine of Fantasy & Science. Daniel Keyes ampliou o conto e no ano de 1966 publicou o seu trabalho na forma de romance. Com Flores para Algernon o autor venceu os prêmios Hugo e Nebula. No ano de 1968 o seu livro recebeu uma adaptação para os cinemas (Os dois mundos de Charly) e inclusive rendeu o Oscar de Melhor Ator para Cliff Robertson.

Em Flores para Algernon acompanhamos a história de Charlie Gordon, um homem de 32 anos que apresenta uma deficiência intelectual muito grave, ele na verdade tem 68 de QI e por isso é classificado como um retardado mental funcional. Charlie é uma boa pessoa, ele é prestativo e vê todos à sua volta como amigos. Apesar de todas as dificuldades e deficiências intelectuais, ele tem como grande motivação aprender novas tarefas e atividades, ele quer ser um homem inteligente e em certo momento da sua vida surge uma possibilidade ímpar em seu caminho, Charlie poderá se tornar o homem que ele tanto quer ser.

"Doutor Strauss diz que eu deveria iscrever o que eu penso e mi lembra de tudo que acontece de agora endiante. Não sei por que mas ele diz que é importante e então eles vão poder ver se vão mi usar. Quero que eles mi usem porque a professora Kinnian disse que tal vez eles possão mi fazer intelijente [...]" p. 9.
Charlie estuda em uma escola para adultos especiais e a sua professora Alice Kinnian reparou o esforço e a vontade de seu aluno em se tornar inteligente, foi então que ela lembrou de um projeto desenvolvido na universidade local que visa tornar pessoas com déficit intelectual inteligentes. Esse projeto é um experimento científico que foi elaborador pelo Doutor Strauss e o Professor Nemur. Charlie procura os responsáveis pelo projeto e é submetido a diversos testes, entre eles participar de uma competição com um rato de laboratório chamado Algernon para ver quem conclui primeiro um teste em que precisam chegar ao final de um labirinto e a cada caminho errado escolhido, Charles toma um leve choque. Os testes a que Charlie é submetido servem para ver se ele poderá participar como cobaia do projeto e, para a sua felicidade ele é aprovado.

Após sua aprovação, Charlie Gordon é submetido a uma cirurgia para ficar inteligente, mas também para que as pessoas possam, desse momento em diante, amá-lo de verdade. Após realizarem o procedimento cirúrgico em seu cérebro, Charlie fica com os olhos vendados por alguns dias, mas para ele essa cirurgia foi um tempo perdido, ele não acredita que obteve qualquer resultado, pois nos relatórios que ele precisa escrever continuava escrevendo errado e continuava sem entender muito bem as coisas. Contudo, com o passar dos dias ele vai obtendo uma melhora pequena, imperceptível para ele, pois ele acreditava que seria muito inteligente da noite para o dia. Com o passar do tempo Charlie vai demonstrando interesse por diversos campos como: teologia, política, economia e ciência. Ele passa a demonstrar uma enorme facilidade para absorver novos conhecimentos, mas algo nele além do intelecto também mudou, as suas emoções.

" [...] Ninguém naquela sala me considera um indivíduo - um ser humano. A constante justaposição de 'Algernon e Charlie' e 'Charlie e Algernon' deixava claro o que pensavam de nós dois, um par de animais experimentais que nunca existiram fora do laboratório. No entanto, além da minha raiva, eu não conseguia tirar da cabeça que havia algo de errado." p. 150.

Com essa enorme e rápida mudança em seu ser, um campo ainda precisa de atenção e ser trabalho, é o campo das emoções. Charlie é um homem imaturo para a sua idade, ele não consegue compreender muitos dos sentimentos que passam a fazer parte de si. Antes a vida para ele era só alegria, ele era basicamente uma criança, não compreendia as maldades e mazelas do mundo e via todos como seus amigos. Mas agora ele passa a questionar o mundo e todas as pessoas que estão presente em sua vida, ele passa fazer uma análise da sua própria vida, refletindo todos os traumas que passou a recordar desde quando era criança até a sua fase adulta, incluindo a traumática convivência com sua irmã e mãe. 

Para piorar a situação, Charlie precisa lidar com outro aspecto no campo emocional, pois aqueles que ele considerava que eram seus amigos passam a sentir-se inferiorizados e com isso acabam se afastando dele e ele compreende finalmente que eles na verdade nunca gostaram dele, apenas o utilizavam como um alvo para piadas, sarcasmos e esquemas sujos no local de trabalho. Charlie Gordon finalmente passa a conhecer a "selva de pedra" e o mundo hostil em que vive. Enquanto tenta se ambientar nesse "novo mundo", o nosso protagonista busca uma forma de conquistar e expressar tudo o que sente por Alice Kinnian.
Opinião: Flores para Algernon já está entre os meus livros favoritos de todos os tempos. Daniel Keyes tem uma narrativa incrivelmente envolvente e o texto é de fácil compreensão. Mas quero ressaltar que a narrativa não é leve, pois envolve temas tristes e pesados, como agressões verbais, o descaso do ser humano com o próximo, a solidão e a incapacidade de receber amor, mas também de amar o próximo que apresenta algum tipo de incapacidade ou deficiência, seja ela física ou psicológica. O autor aborda a necessidade de compreender e respeitar as diferenças, a necessidade de amar e a importância que o amor tem em nossas vidas. 

As experiências que Charlie precisa enfrentar desde criança até a fase adulta são dolorosas, tristes e chocantes, eu fiquei consternado com tudo o que ele precisou enfrentar até tornar-se inteligente para poder compreender todas as suas experiências de vida. Outra aspecto que podemos refletir é se o caminho para ignorância pode nos levar a felicidade, pois enquanto era considerado "burro" e intelectualmente defasado, Charlie Gordon era um ser humano feliz, mas à partir do momento que tornou-se um homem inteligente, passanso por um turbilhão de emoções e experiências, o mundo se torna complexo em relação ao seu passado e a felicidade é algo que está longe em sua "nova vida". Daniel Keyes simplesmente nos presenteia com um livro incrível, um livro emocionante e melancólico, mas que certamente tem o seu lugar entre os grandes clássicos da ficção científica e merece o lugar conquistado. Flores para Algernon é a melhor leitura que realizei esse ano. Agradeço à Editora Aleph por esse livro incrível.
Sobre a Edição: A Editora Aleph está de parabéns pelo projeto gráfico apresentado, Flores para Algernon recebeu uma edição em capa dura e a capa está de acordo com o enredo, pois me passa a impressão de mistério sobre a identidade do protagonista, sobre quem ele é de verdade. Os capítulos são divididos em relatórios de progressos (dias como subcapítulos) e isso deixou a leitura bem fluída. A letra é no padrão das edições 14x21, o espaçamento ficou bom e as folhas são amareladas (pólen soft e cartão supremo). A revisão ficou muito boa e a tradução ficou por conta da Luisa Geisler.
Sobre o Autor: Daniel Keyes foi professor e escritor norte-americano de Ficção Científica. Keys graduou-se em Psicologia, Inglês e Literatura pela Universidade do Brooklyn. Ganhador dos Prêmios Hugo e Nebula em 1959 e 1966 pela publicação do conto e, posteriormente, do livro, "Flores para Algernon". O ator Cliff Robertson recebeu um Oscar da Academia por sua performance na versão cinematográfica de 1968 (Os dois mundos de Charly). Flores para Algernon foi traduzido em múltiplos idiomas com direito a versão musical em Londres, Washington e na Broadway; foi adaptado para a televisão nos Estados Unidos e Japão e para o teatro na França, Polõnia e Japão. Keyes gravou a versão em audio book do livro. O conjunto de suas obras foi titulado na Alemanha com o Kurd Lasswitz para Melhor Autor Estrangeiro (1986) e com o Locus Award em 1998. Nominado para o Prêmio Edgar (Mystery Writers of America) e como Author Emeritus pela Science Fiction and Fantasy Writers of America em 2000.

24 comentários:

  1. Que história sensacional.
    Mas fiquei um pouco chocada por ele ter sido submetido a uma cirurgia para ficar inteligente..achei bem maluco.. E tem muita informação também.
    E as coisas todas que Charles precisa lidar me parece bem complexas para ele depois.
    É livro curioso e que requer atenção acredito.

    ResponderExcluir
  2. Oi! Não conhecia a história ou o autor, mas já fui fisgada logo na sinopse! Eu gosto muito de encontrar histórias que tratam das dificuldades, seja física ou intelectual, do personagem, e aborda a maneira como as outras pessoas convivem com isso. aprendi a amar histórias assim com Forest Gump e I am Sam, que são maravilhosos e emocionantes. Já tenho simpatia e afeto por Charlie e quero muito conhecer sua história! Obrigada de verdade por essa dica!

    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com

    ResponderExcluir
  3. Oi, Yvens!
    Lembro que comentaram sobre esse livro numa das aulas na graduação e o que ficou gravado na minha mente foi que o personagem precisava passar por uma cirurgia para ficar inteligente (na época achei meio bizarro e meio genial). Eu acho que essa narrativa propõe várias reflexões sobre como vivemos e como nos portamos diante das outras pessoas do/no mundo. A sua resenha me deixou morrendo de vontade de ler essa história (eu nem sabia que havia essa edição da Aleph).
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Olá!! :)

    Eu não conhecia o livro ou o autor ainda, mas acho ótimo que tenhas gostado tanto ao ponto de o livro entrar para os teus favoritos!

    Ainda bem que a escrita e envolvente e a compreensão facilitada!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  5. Oi tudo bem? Que história chocante, fiquei muito curiosa para o desenrolar da trama, fiquei um pouco triste em saber que as pessoas que estavam ao redor de Charlie só eram interesseiras porque ele tinha um QI baixo, e o sofrimento dele é bem pesado também, dica anotada espero ler esse livro e que Charlie consiga conviver com sua personalidade nova.

    ResponderExcluir
  6. O que dizer dessa resenha? Meus amigos, que resenha perfeita.
    Ficou nitifd os seus sentimentos em relação ao livro, você abordou brevemente sobre a história, não deu spoilers, disse sobre os assuntos citados no livro, adorei a riqueza de detalhes sobre a edição e por ter colocado um pouco sobre o autor
    Parabéns pela resenha ❤️

    ResponderExcluir
  7. Apesar de já ter lido algumas resenhas, não tive a oportunidade de me jogar nessa história. Amei essa edição da Aleph e está na lista de desejados. Espero conseguir iniciar essa leitura ainda este ano

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  8. Olá Yvens, não leio muito ficção científica, não por não gostar, mas normalmente estes livros são muito complexos, acho que vou ter que procurar um experimento destes para ver se fico mais inteligente. Mas brincadeiras a parte, achei bem interessante o tema, nunca tinha visto nenhuma sinopse parecida e gostei bastante, tua resenha me deixou bem interessada na leitura.
    Bjos
    Vivi
    http://duaslivreiras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Eu sou apaixonada pelas edições da Aleph, o capricho deles é algo que merece ser aplaudido.
    Quando soube deste livro não imaginava que a história poderia ser tão diferente e interessante, ainda bem que li sua resenha. Já vou colocá-lo na lista de desejados ♥

    ResponderExcluir
  10. Oiieee

    Ah eu gostei da história e essa edição da Aleph está bem bacana, super interessante saber que está já figurando entre teus melhores livros, mostra o quanto a obra imerge o leitor e agrada. Apesar de tratar temas pesados e tristes eu acho que leria, até porque a linguagem é fácil e eu gosto disso, de obras que apesar e profundas são de facil compreensão na narrativa para o leitor.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  11. Oi Yvens, tudo bem?
    Não conhecia até então esse título mas nossa, como fiquei impressionada com a trama. Me pareceu uma história bastante original e profunda. Confesso que pela capa eu passaria mas a sua resenha me deicou encantada com essa história.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Caramba!!
    Esse é exatamente o tipo de livro que estou procurando.
    Amo os livros da Aleph e essa edição está maravilhosa!
    Já estou animadíssima para ler!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem? Que resenha fantástica! Ótimo texto :D Eu estou maluca por esse livro! A trama parece trazer tudo o que eu curto em um livro, então estou suuuper empolgada, ainda mais agora depois da sua resenha. Espero conseguir ler em breve e curtir tanto quanto você :D

    beijos

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Uau, parece ser uma incrível obra. Tenho pouco contato com livros de ficção científica, mas amono gênero. O livro me parece ótimo, sua opinião me deixou ainda mais curioso para ler. Por se tratar de problemas sociais, também, o livro tem muito para ser explorado. Adorei a resenha.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  15. Adoro esses clássicos da ficção científica. Não conhecia a obra, mas a descrição despertou minha curiosidade. A única ressalva é esse teor melancólico que não costumo gostar nos livros. Preciso estar bem preparada para fazer uma leitura assim rsrs. Ótima resenha! A editora parece caprichar demais nas publicações :)

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Esse livro deve ser um mergulho bem emocionante. Adoro histórias envolvendo dramas e fiquei extremamente curiosa para saber mais do personagem e sua evolução. Parece ser um caminho árduo para ele, porém incrível de se acompanhar.
    Dica anotada!
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  17. Cada vez fico com mais vontade de ler esse livro! Por mais doloroso que ele possa ser. É uma história diferente e parece realmente digna de ser um clássico. Tinha ouvido falar do livro pouco tempo atrás num canal no youtube e já tinha despertado meu interesse.

    O ser humano sabe muito bem como ser cruel. É incrível que tratar os outros bem não nos custa nada, mas preferimos sempre fazer o mal. É algo que nunca compreenderei.

    Penso que a inteligência acaba abrindo nossos olhos... nos tirando a inocência, sabe? Quando eu era criança era esperta, mas ainda não tinha ficado "inteligente" ao ponto de perceber como o mundo realmente era. Conforme o tempo passou e fui adquirindo experiências minha inocência foi embora e já não vejo o mundo com os mesmos olhos.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  18. Oie!
    Gosto de livros que nos ajudam a refletir, ainda mais sobre os nossos sentimentos, nos ajudando com o cotidiano.
    Não é a primeira resenha que leio do livro, e cada vez mais estou curiosa para conferir esse volume.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  19. Olá Yvens!!!
    Eu acabo de colocar esse livro na minha lista de livros a querer ler, pois amei a sua resenha e de como o enredo do livro é construído.
    Realmente, nossa humanidade chega a tratar nós seres humanos como cobaias e não é algo apenas fictício mais real.
    A história tem uma trama toda bem costurada pelo que vi e reflexível. Adorei a edição e com certeza deve está fazendo muito sentido com o enredo como voc~e apontou.

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Ola...

    Nossa, que livro diferente. Acredito que nenhum livro que li até o momento se iguala a ele. Fiquei interessada no desenvolver da história, mas ao mesmo tempo fiquei meio relutante por ser totalmente fora da Minh zona conforto. Muito obrigada por me apresentar a obra, vou dar uma pesquisada a mais nele e quem sabe Nao o leia tbm
    Beijão

    ResponderExcluir
  21. O que mais me chamou a atenção nos seus comentários sobre o livro foi a carga dramática que ele tem e já estou aqui imaginando as situações dolorosas que a narrativa contem. Adorei sua empolgação para falar do livro e já quero ler e ter a mesma experiencia.
    beijos

    ResponderExcluir
  22. Adoro enredos melancólicos. Sei que o enredo dessa obra não é leve, mas fiquei encantada. Estou aqui com aquela cara de: como assim eu nunca tinha ouvido falar desse livro. Vou anotar tanto o nome do livro quando do filme que é baseado nele. Os temas abordados na narrativa me chamaram a atenção, fiquei curiosa para saber como tudo se desenrola. Bexus @prefirolercomcalma

    ResponderExcluir
  23. Olá,
    essa é a primeira vez que leio sobre esse livro, fico extremamente surpresa de não ter tomado conhecimento de sua existência antes, em se tratando de um clássico tão premiado. Me interessei bastante pelas abordagens realizadas pelo autor, o fato do protagonista se submeter a um experimento com o intuito de melhorar suas capacidades e então conseguir e encaixar e quando ele consegue se desenvolver acaba não obtendo o que deseja pois deixou de ser inferior para tornar-se superior, e não se igualar que era seu objetivo. É irônico e triste ao mesmo tempo, adoraria poder saber mais da história.

    Abraços!
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir
  24. Ola,
    Nossa eu já tinha visto somente a capa deste livro, porém nao timha visto nada sobre e super amei está indicação. O emredo parece envolver o leitor do inicio ao fim, e pela sua resenha posso ver que me encararia por cada personagem. Dica anotada.

    ResponderExcluir

Post Bottom Ad