[RESENHA #546] COLEÇÃO FOLHA LENDAS DO JAZZ - VOLUME 12 - THELONIOUS MONK - Saga Literária

Novidades

Home Top Ad

Post Top Ad

Post Top Ad

Responsive Ads Here

terça-feira, setembro 18, 2018

[RESENHA #546] COLEÇÃO FOLHA LENDAS DO JAZZ - VOLUME 12 - THELONIOUS MONK

Título: Coleção Folha Lendas do Jazz
Artista: Thelonious Monk
Autor: Carlos Calado
Editora: Folha de São Paulo
Ano: 2017
Páginas: 48
ISBN: 9788579493102
Onde comprar: Livraria da Folha

Sinopse: No ano em que se comemora o centenário das primeiras gravações de jazz, a Folha lança uma coleção com obras de 30 dos maiores artistas desse gênero musical. De cultuados cantores a conceituados compositores e instrumentistas, a Coleção Folha Lendas do Jazz oferece um extenso panorama do que já se produziu de melhor nessa música que valoriza a improvisação. 

Resenha: Thelonious Sphere Monk, nasceu na Carolina do Norte em 10 de outubro de 1917, em 1923, com apenas quatro anos de idade, se mudou com sua mãe, a empregada doméstica Barbara Monk, para Nova York. Seu pai, que era um diarista que transportava gelo, entre outros bicos, não pode ir junto, pois sofria de asma. Na escola, Monk era um aluno exemplar, mas que sofria com o bullying, principalmente por frequentar uma escola onde a maioria dos alunos era branca que implicava, entre outras coisas, com seu nome diferente. 

"Barbara conseguiu um pequeno apartamento no distrito de San Juan Hill - uma das áreas com maior concentração negra, conhecida como The Jungle [A Selva], nas proximidades do rio Hudson." p. 14.

Antes que Thelonious pudesse ter seu contato direto com o piano, chegou a tocar trompete, mas graças à sua grande habilidade de reproduzir qualquer música, Monk, só foi ter aulas de piano ao 11 anos; mais tarde estudou harmonia em um conservatório local. Depois, aprendeu todo o resto por conta própria. Já aos 13 anos de idade, conseguia seus primeiros cachês tocando em algumas festas.
Assim como Ella Fitzgerald, Monk participou dos populares concursos de novos talentos no Apollo Theater e de tanto vencer esses concursos, foi proibido de participar para poder dar chances aos outros concorrentes. Foi então que decidiu se tornar músico profissional e aos 17 anos de idade, largou o colégio no seu último ano. Por dois anos, e com anuência de sua mãe, Monk viajou com uma cantora evangélica onde foi visto pela pianista Mary Lou Williams.

Alguns anos depois, Monk acompanhou a cantora Helen Humes por cerca de um ano e em 1939 foi contratado como pianista em um restaurante chinês próximo ao lendário clube Savoy, no Harlem. Seu estilo já estava bem definido, Monk só precisava de uma oportunidade, que só foi ocorrer em 1941, quando se tornou pianista da banda de Minton's Playhouse. Começava aí, a grande trajetória de um dos maiores músicos do jazz de todos os tempos.

"Não deixa de ser sintomático que ele tenha entrado em um estúdio de gravação, pela primeira vez, somente em outubro de 1944. Foi Coleman Hawkins, grande mestre do sax tenor, que o convidou para gravar quatro faixas, depois de ouvi-lo tocar nas jam sessions do Minton's." p. 19.
Opinião: Thelonious Monk foi um dos músicos mais inventivos de todos os tempos e que ajudou a criar o jazz moderno, através do bebop. Era um músico esquivo e não gostava de falar com a imprensa. Suas entrevistas eram raríssimas e isso ajudou a criar uma aura quase sobrenatural do músico.

Sua genialidade, antes de ser apreciada de vez, foi muitas vezes esnobada e ignorada por músicos conservadores que não aceitavam aquele que viria ser o jazz mais popular da história da música. Monk foi até considerado como louco por mais de uma década; mas a ironia é que esses mesmos esnobadores o viram ser considerado um gênio até sua morte.

Monk era um excêntrico, não há dúvidas quanto a isso, mas essa excentricidade pôde ser relevada a cada composição sua, a cada disco entregue ao seus apreciadores, onde trazia composições inovadoras e eletrizantes. Suas apresentações ao vivo eram de um imenso prazer tanto aos ouvintes quanto aos próprios músicos que o acompanhavam.
Como muitos músicos daquela época, Monk teve alguns problemas com drogas e até passou algum tempo na cadeia por posse. Pode-se dizer que Thelonious Monk foi salvo pela baronesa Pannonica de Koenigswartes, que o ajudou e incentivou, além de ter conseguido fazer com que ele se apresentasse no grande Carnegie Hall.

Thelonious Sphere Monk morreu em 17 de fevereiro de 1982, com a alcunha de gênio inovador e criador do jazz moderno, deixou um legado imenso com seus discos e shows ao vivo. Um dos melhores e maiores influenciadores da música instrumental de todos os tempos.

Sobre a Edição: A Coleção Folha Lendas do Jazz, segue o formato já conhecido da editora e é vendido, principalmente, na bancas de jornal de todo o país, mas também pode ser encontrado na loja da folha pela internet. A coleção é apresentada no formato tradicional do cd/livro, com uma arte muito bonita na capa e a lombada é fragmentada, formando uma cena no final da coleção, muito bacana.
O material é de primeiríssima qualidade, com a capa dura e brilhante e papel interno em couché brilhante também. Em resumo, exatamente como um cd deveria ser. O livro é recheado de fotos e sua fonte é bastante agradável. No final de cada edição, existe um glossário de termos utilizados, uma seção denominada "Frases", recomendações para ler, ouvir e assistir, o repertório do cd e uma breve descrição do autor Carlos Calado. Realmente, uma coleção que vai agradar tanto aos experientes como aos novatos nesse mundo tão maravilhoso chamado, JAZZ!
Agradeço imensamente a Editora Folha por ter me enviado essa coleção, pois esta me proporcionando ótimos momentos de nostalgia em relembrar todos esses maravilhosos, saudosos e incomparáveis artistas da música. Leitores, a Coleção Folha Lendas do Jazz é ABSOLUTAMENTE IMPERDÍVEL!!

26 comentários:

  1. Olá!! :)

    Eu confesso que não conhecia este livro, mas ainda bem que gostaste de fazer a leitura! :) Fiquei algo curioso, mesmo que não seja de ler biografias e menos ainda de músicos.

    Que bom que a historia e interessante, e especialmente que a edição te tenha cativado assim tanto. Realmente, parece caprichada!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado meu amigo. Volte sempre. Abraços.

      Excluir
  2. Olá!

    Eu não conhecia esse projeto da folha, obrigada por nos apresentar! Eu não tenho o hábito de ler biografias, mas pra quem gosta deve ser maravilho ter essa oportunidade, principalmente em uma edição tão bonita e caprichada! Minha irmã é fã de Jazz, vou falar com ela sobre essa coleção :)

    Com Carinho,
    Ana | Blog Entre Páginas
    www.entrepaginas.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, a coleção é uma beleza só e tem cada discão que vou te falar, viu. Muito obrigado pela visita e volte sempre. Beijos.

      Excluir
  3. Olá, tudo bem? Gente, que maravilha essa coleção da editora, não conhecia! Não sou fã de jazz, porém para quem gosta esses livros são mais do que necessários. Adorei a resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Larissa, muito obrigado. E olha, posso te dizer que essa coleção é muito bacana. Logo tem mais resenhas dos próximos volumes. Beijos e obrigado novamente.

      Excluir
  4. Nossa, que achado! Eu ainda não conhecia essa coleção e fiquei completamente tentada a procurar agora mesmo para comprar. Eu amo música boa, embora o Jazz eu ouça com menos frequência. Adorei a tua resenha, o post está sensacional.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beatriz, muito obrigado pelas palavras e pela visita também. Que bom que gostou, pois essa coleção é muito bacana mesmo. Beijos e volte sempre.

      Excluir
  5. Que edição mais lindinha! Eu não a conhecia mas só pelo formato já morri de amores. Eu adoro Jazz mas confesso sem medo nenhum que não conhecia ele, e fico bastante contente de ter encontrado sua resenha, já vou passar o final de semana pesquisando sobre haha valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dayhara, é muito legal essa coleção. Os outros volumes também fora resenhados por mim aqui mesmo no Saga Literária. Que bom que gostou. Beijos e obrigado pela visita.

      Excluir
  6. Olá, como vai? Eu amo biografias, sempre gostei de ler como as pessoas conhecidas da sociedade viveram as suas vidas e, principalmente criaram as suas histórias incríveis! Ainda não tive a oportunidade de ler nenhuma biografia de músicos, porque nenhuma havia chamado tanto a minha atenção como essa que você mostrou, eu achei ela lindíssima e com uma história incrível.

    Eu amo ler relatos de pessoas negras sobre o inicio da suas carreiras, porque, como negra eu sofro preconceito na minha área de atuação mas, tenho certeza que as pessoas que iniciam antes de mim sofreram muito mais e tenho coisas importantes a aprender com elas. Gostei muito da sua indicação de leitura e com toda certeza estarei comprando esse livro em breve.
    Parabéns pelo texto.

    Beijos e Abraços Vivi
    Resenhas da Viviane

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viviane, muito obrigado. Essa coleção é muito legal e conta um pouco da história desses gigantes do jazz. Que bom que gostou. Beijos e volte sempre.

      Excluir
  7. Oi Jeffa, tudo bem?
    Lendo a história dele fiquei pensando na quantidade de pessoas talentosas que existem pelo mundo, também apenas esperando uma oportunidade. Fico feliz que ele tenha tido e por isso se tornado um dos grandes nomes do jazz. Não conhecia essa coleção, mas é um ótimo presente para os amantes da música. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cila, muito obrigado pelas palavras. Essa coleção é ótima, tenho certeza que vai adorar. Beijos e volte sempre.

      Excluir
  8. Olá,
    Não entendo muito sobre Jazz, mas o material do livro parece bem bonito.
    A capa também ficou bem legal, gostei da ilustração.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Debyh, é uma coleção muito bacana. Vale a pena conhecer. Beijos e obrigado.

      Excluir
  9. Oi, Jeffa!
    Jazz é o estilo musical que eu ouço em algumas músicas e filmes, gosto, mas não é algo que tenho em playlist e ouço a todo instante. Mas sempre acho muito legal quando a história de pessoas são tratadas e mostra-se como elas chegaram ao lugar de serem conhecidas por tantos. Muito legal conhecer mais de Monk.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernanda, muito obrigado. Eu ouço Jazz desde os 15 anos e te digo que é fenomenal. Essa coleção é muito bacana, pois mostra como esses grandes ídolos conseguiram chegar ao patamar de "Lendas". A folha acertou em cheio nessa coleção que está muito bacana. Beijos, querida.

      Excluir
  10. Oi, tudo bem? Não estava sabendo dessa coleção da Folha, mas adorei! Não ouço muito Jazz, mas tenho um super respeito, gostaria de ouvir mais, mas sempre esqueço. Não conhecia o músico e achei muito legal saber sobre ele. É impressionante como a gente vai morrer sem saber nem de 10% do que o mundo tem pra nos oferecer, às vezes fico triste com isso, gostaria de ter uns 300 anos de vida pra conhecer sobre tudo e conhecer tantos artistas incríveis <3 Adorei sua resenha, me fez ficar com vontade de comprar a coleção :)

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nina [Simone??], Muito obrigado pelas palavras. Compre sim, pois vale a cada centavo. Você pode ver aqui no blog mesmo as resenhas que eu fiz dos volumes anteriores, se desejar. Concordo com você, eu queria viver muuuuuito mais para conhecer todo esse mundo artístico fantástico. Beijos e volta mais vezes, tá?!

      Excluir
  11. Oii, tudo bem?

    Eu amo ler biografias, principalmente de pessoas que eu admiro.
    Sou apaixonada por Jazz, e vivo escutando o Monk, mas não conhecia esse livro ainda, o que é um absurdo. Já vou logo colocar essa coleção na minha lista de desejados, obrigada pela dica!!

    Beijinhos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mirelly, muito obrigado pela visita. A coleção é muito bacana. Aproveite. Beijos.

      Excluir
  12. Essa coleção está um escândalo de maravilhosa, babando aqui para ter a minha. Quero, nos próximos dias, me organizar financeiramente para comprar a minha, é tanta coisa boa para comprar que tem que ser aos poucos e por prioridades.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poesia, também acho, viu!! Aproveita enquanto ainda tem. Beijos e volte sempre, tá?! Muito obrigado.

      Excluir
  13. Olá! Não cheguei a ver o restante da coleção, mas achei essa edição linda! Não só achei interessante o pouquinho que li aqui sobre a história, mas a capa é fantástica, daquela que a gente coloca na estante para fazer inveja. Confesso que não conheço muito do Jazz, mas as poucas vezes que escutei seja na rua ou em alguma série, é um ritmo bem gostoso de se ouvir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vanessa, a coleção é bem legal e fica muito bonita na estante depois de terminada, pois as lombadas dos fascículos formam uma ilustração muito bacana. Beijos e muito obrigado.

      Excluir

Post Bottom Ad