[RESENHA #555] A BATALHA DO ACAMPAMONSTRO - VOL. 01 - JIM ANOTSU - Saga Literária

Novidades

Home Top Ad

Post Top Ad

Post Top Ad

Responsive Ads Here

segunda-feira, outubro 08, 2018

[RESENHA #555] A BATALHA DO ACAMPAMONSTRO - VOL. 01 - JIM ANOTSU

Título: A Batalha do Acampamonstro
Autor: Jim Anotsu
Editora: Nemo [Grupo Autêntica]
Páginas: 256
Ano: 2018
ISBN: 9788582864029
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse:
Na Ilha do Enforcado as coisas são um pouco diferentes. Lá, monstros convivem com pessoas, e ser um escoteiro é muito mais perigoso do que você pode imaginar. Mas Nemo e Louise estão acostumados com o perigo, e nem uma ameaça sinistra é capaz de fazer os dois irmãos conviverem de forma pacífica. Até que as situações em que ambos quase morrem parecem acontecer com uma frequência bem além do normal. Mas por que alguém iria querer matá-los?

Quando os irmãos e seus amigos são interceptados por uma fantasma assustada que afirma que eles correm perigo, Nemo, Louise e seus amigos precisam encontrar uma forma de impedir que algo maligno tome conta da ilha onde é sempre verão.

Resenha: Não é nada fácil ser um escoteiro de monstros na Ilha do Enforcado e Nemo já sabia muito bem disso. Pendurado em um penhasco depois de ser atacado por um miraj [uma espécie de coelho com chifres muito, mas muito perigoso e mortal] em uma das missões do acampamento, Nemo estava tentando sair daquela baita enrascada em que havia se metido. Ele estava machucado e sabia que não iria conseguir sair daquele lugar sozinho, pois estava sem forças e já sentia sua mão fraquejar e escorregar por causa do suor.

"Senti um toque frio segurando meu pulso, dedos que se fecharam feito garras, impedindo a morte certa. Uma dor explodiu no meu ombro, levando todos os pensamentos por um segundo, mas eu estava feliz demais para reclamar." p. 14.
Não fosse seu par naquela missão, Julia Juba, mais conhecida como Jujuba, Nemo estaria mortinho da silva, pois ninguém conseguiria sobreviver a uma queda daquela altura. Jujuba era uma garota zumbi e que fazia parte da Patrulha dos Corvos, assim como Nemo. Depois de terem percebido que a chefe do acampamento, Kokomo, não havia dado o apito de encerramento, sabiam que ainda tinham uma chance de capturar o miraj e conseguir a tão cobiçada insígnia do rastreador.

Jujuba e Nemo realmente conseguiram achar o rastro do miraj e já estavam praticamente capturando o bicho, depois de elaborarem um plano de captura que envolvia uma distração do animal por parte de Nemo e a arma secreta, mas não tão secreta assim, de Jujuba que era o pó de bruxa que nocautearia o miraj facilmente, quando foram surpreendidos por um ataque de fumaça de ronco, que paralisava animais de porte médio e pelo que parecia, escoteiros também.

"Eu sabia muito bem quem estava ali: a pior pessoa no mundo inteiro, um demônio em forma de gente que ocupava todos os minutos de sua vida para incomodar a minha. Louise, a irmã que os céus haviam enviado para me atormentar." p. 21.
Nemo, realmente, não estava com sorte naquele dia. Foi por muito pouco, mas sua irmã Louise e seu companheiro de patrulha, o Enrolado, uma múmia de mais de mil anos de idade [não se iludam, isso em idade de múmia é só um garotinho], tinham passado a perna nele e em Jujuba e conseguiram capturar o temível miraj. Foi quando eles ouviram os três apitos da chefe do acampamento, Kokomo, o que significava que ela queria todo mundo reunido o mais rápido possível e foi no caminho de volta que eles encontraram mais dois integrantes da patrulha dos Corvos: Gustavo e Yuri.

Ao contrário do que pensava, Louise não iria receber a insígnia do rastreador por ter capturado o miraj. Quando chegaram no acampamento, todos os escoteiros o encararam como se tivessem feito uma grande besteira e o olhar de Kokomo só piorou as coisas para os corvos.

"Aquilo fez o meu estômago gelar. Era como descer uma escada e pisar em falso num degrau, sentindo, por um segundo, o pé vazio no ar e a antecipação de um desastre, uma queda que quebraria braços, pernas e dentes." p. 35.
Depois de toda a confusão que arrumaram, era hora de voltar para casa. Nemo, Louise eram órfãos e moravam com sua avó, Dona Amélia em um lugar chamado Fim da Esperança. No caminho que pegaram para ir para casa junto de Jujuba e Enrolado, Nemo viu algo que o fez parar e ficar alerta. Ele sentia que algo estava os observando, foi quando ele viu o brilho que ficou cada vez mais forte e então uma fantasma apareceu. 

O recado que a fantasma deu foi algo bem claro: alguém na ilha queria matar os órfãos; um súdito do Rei Pálido, que tinha sido morto na batalha dos espinhos, queria vingança e iria destruir toda a ilha trazendo a morte através dos rastejantes e dos monstros caóticos. Os amigos não sabiam muito sobre a guerra que fizera os pais dos órfãos heróis, assim como sua avó, mas o que mais importava naquilo tudo era apenas uma coisa para eles: alguém queria matar Nemo e Louise e isso era só para começar.
Opinião: Tenho que repetir mais uma vez que o ano de 2018 está me trazendo surpresas muito mais do que agradáveis, sim senhor. Quando via a capa do livro A Batalha do Acampamonstro, tive praticamente certeza que seria um livro legal, mas depois de devorar cada palavra dessa história, percebi que não só gostei como virei fã desse autor, até então totalmente desconhecido por mim.

Jim Anotsu tem uma escrita espetacular e suas ideias são colocadas de uma forma que não te deixa largar seu livro de forma alguma. Com uma fluidez e sagacidade em diluir toda a aventura, suspense e drama ao longo da páginas de Acampamonstro, Jim cria uma estrutura perfeita que se estende até as últimas linhas dessa história tão gostosa e divertida de se acompanhar.
Existem algumas referências na história, que vou deixar para vocês descobrirem. Mas o que mais importa aqui é como o autor conseguiu juntar em uma história seres humanos e uma grande variedade de monstros e deixar tudo muito legal. Temos um prefeito vampiro, uma avó feiticeira e que adora sanduíches de pepino, servos imortais, zumbis, múmias, monstros marinhos e também dragões... isso mesmo D.R.A.G.Õ.E.S.

O grande barato de A Batalha do Acampamonstro fica por conta da amizade que é demonstrada pelos personagens principais. Os quatro amigos, dois deles irmãos, tem um elo bastante forte que só aumenta conforme a trama vai se desenrolando e estando todos em uma mesma faixa de idade, faz com que as situações da infância sejam parecidas para todos eles.
É bem bacana e engraçado ver até mesmo aquelas "picuinhas" que alguns personagens têm um com outro e que nos relembra nossa infância em muitas passagens. Quem nunca teve aquele desafeto na escola que vira e mexe entrava em atrito? E quem não "detestava" seu irmão ou irmã enquanto estava crescendo? Tenho certeza que muitas passagens nessa história serão nostálgicas para aqueles leitores e leitoras mais adultos.

Sem sombra de dúvidas, como disse lá acima, que esse livro foi uma grande surpresa por sua excelente qualidade tanto na escrita quanto no enredo, execução e finalização. Tenho certeza e espero sinceramente, que A Batalha do Acampamonstro alcance uma grande quantidade de leitores, pois é uma leitura muito prazerosa e extremamente divertida. Sem sombra de dúvidas, Jim Anotsu e seu A Batalha do Acampamonstro, publicado pela editora Nemo, do Grupo Autêntica são I.M.P.E.R.D.Í.V.E.I.S.
Sobre a edição: A editora Nemo escolheu o formato brochura para A Batalha do Acampamonstro e com uma capa belamente ilustrada. A edição vem com folhas amareladas, fonte bastante confortável e com muitas ilustrações ao longo da história, que ficaram ao cargo de André Dias. Realmente, uma edição muito robusta, bonita e extremamente bem feita pela editora. Agradeço imensamente ao Grupo Autêntica pelo envio desse excelente livro que me proporcionou muita diversão.
Sobre o autor: Jim Anotsu gosta de emocore, skateboard, moda e games. É autor de vários livros, entre eles Rani e o sino da divisão, A morte é legal e A espada de Herobrine. Seus contos já foram publicados em coletâneas e revistas como Dragão Brasil e Trasgo, e seus livros estão em treze países - Inglaterra, Polônia, Estados Unidos, França, Itália, Alemanha, África do Sul, Índia e muitos outros.

9 comentários:

  1. hahaha Adorei o enredo do livro. Estórias envolvendo aventuras entre amigos são sempre muito boas, e essa coisa da divergência entre os irmãos, imagino, seja o que da um quê engraçado a trama.
    Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Malu, muito obrigado. Leia que vale a pena demais. Beijos e volte sempre.

      Excluir
  2. Olá
    Adorei, sempre fico encantada com livros com essa pega de aventura infanto-juvenil, parece uma aventura muito gostosa de se acompanhar é uma leitura bem leve e divertida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniele, eu me diverti muito. Leia sim. Beijos e muito obrigado. Volte sempre, tá?!

      Excluir
  3. Oi, tudo bem?

    Adorei seu post, não conhecia o autor e nem o livro, mas pela sua resenha dar para ver que é muito bom. Parece bem o tipo de livro que leio, e ainda mais adorei as ilustrações.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sue, o livro é muito bacana mesmo. Tenho certeza que vai gostar. Muito obrigado, viu. Beijos e volte sempre.

      Excluir
  4. gostei bastante, e o tipo de livro que eu gosto bastante por ter aventura, magia e nesse caso em especial ate uma múmia. E também pelo principal motivo que esse livro eu posso lê para mim e meu filho

    ResponderExcluir
  5. Eu acho demais as publicações da Nemo, eles tem um cuidado especial com as suas edições, sempre trazendo ótimas histórias.
    Beijos
    Mari

    ResponderExcluir
  6. Adorei a resenha, adoro esse tipo de enredo e gostei bastante da edição,a capa muito bonita e as ilustrações ficaram ótimas.

    ResponderExcluir

Post Bottom Ad