[RESENHA #565] ANJOS PARTIDOS - RICHARD K. MORGAN - Saga Literária

Breaking

quarta-feira, 31 de outubro de 2018

[RESENHA #565] ANJOS PARTIDOS - RICHARD K. MORGAN


Título: Anjos Partidos (Takeshi Kovacs #2)
Autor: Richard K. Morgan

Tradução: Marcia Men
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 490
Ano: 2018
ISBN: 9788528623062

Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: O segundo livro da eletrizante saga de ficção científica que inspirou a série da Netflix Altered Carbon Bem-vindos de volta ao admirável e brutal mundo novo do século XXV, no qual a política global não se limita à Terra e a morte é apenas um contratempo, graças ao milagre tecnológico que preserva a consciência humana e a baixa em corpos novos. Takeshi Kovacs — ex-Emissário da ONU, cínico e rápido no gatilho — trocou de profissões, e de corpo, mais uma vez. Agora contratado como mercenário, seu dever é ajudar um governo planetário a reprimir uma violenta revolução em uma terra distante. Kovacs, no entanto, não está de fato do lado de ninguém além do seu próprio. Então, quando um piloto desertor lhe faz uma oferta lucrativa, ele não hesita em abandonar o campo de batalha e embarcar em uma traiçoeira caça ao tesouro. Tudo o que o separa de seu objetivo, uma antiga nave alienígena, são uma cidade banhada em radiação, nanotecnologia assassina e quaisquer surpresas que a avançadíssima civilização marciana possa ter deixado para trás. Mas armado com seus instintos geneticamente modificados e suas armas duplas Kalashnikov, Kovacs está pronto para qualquer coisa que entrar em seu caminho.


Resenha: Anjos Partidos foi escritor por Richard K. Morgan, autor britânico que atua no campo da literatura de fantasia e ficção científica. O presente livro é a continuação de Carbono Alterado que tiver o prazer de ler após receber do Grupo Editorial Record e a minha experiência não ficou limitada ao livro, pois eu acompanhei a primeira temporada da série homônima e adaptada do livro que foi publicada pela Netflix. Em Anjos Partidos temos o retorno do personagem principal do primeiro livro, Takeshi Kovacs um ex-emissário e atualmente mercenário.

Nessa trama os marcianos existiram, eles foram a raça mais inteligente que já existiu entre os planetas já visitados ou descobertos, mas eles estão extintos ou ao menos estão desaparecidos há vários séculos e cerca de 200 corpos dessa raça foi achada há quatro séculos espalhados em diversos locais no universo. Os corpos dos marcianos são raros e qualquer herança, qualquer objetivo ou algo que sirva de estudo é considerado muito valioso. Dessa forma uma corrida arqueológica é iniciada quando descobrem algo extremamente valioso sobre essa raça, tão valioso é que consideram que é a maior descoberta já realizada sobre os marcianos, e, quem for mais rápido e esperto leva tudo.

"Eu já fazia uma ideia muito boa de onde o formato virtual estaria localizado. O padrão numa situação de guerra planetária era tacar um punhado de estações furtivas de baixo albedo em órbitas elípticas malucas e torcer para que nenhuma nave militar em tráfego local esbarrasse nelas. As chances de ninguém jamais encontrar você eram muito boas. O espaço, como dizem os livros, é grande." p. 11.

Enquanto a corrida arqueológica tem início, Takeshi Kovacs está em um planeta distante lutando em um guerra, mas ao morrer ele é reencapado e recebe a proposta de Jan Schneider, um piloto desertor de abandonar a guerra e partir com ele atrás desse tesouro arqueológico. Jan sabe onde pode encontrar um portal que os levará até essa descoberta, mas eles não sabem como lidar com esse artefato que na verdade é uma nave marciana que está a deriva no espaço e para isso eles precisam tirar a arqueóloga Tanya Wardini de um campo de concentração, ela é a única que poderá ajudá-los nessa arriscada empreitada.

"A costa se encolhia a partir de um mar cinzento gelado, colinas erodidas de granito parcamente vestidas com uma vegetação rasteira e alguns remendos de floresta. Era uma roupa que a paisagem começara a despir, preferindo líquen e rocha nua assim que a altura permitia [...]" p. 105.


Com o objetivo de concluir essa missão, Kovacs vai ao mercado de almas e compra diversos cartuchos com o objetivo de encontrar parceiros (mercenários) que estejam dispostos a encarar essa perigosa missão e encontrar o almejado artefato e no caminho Kovacs e seus parceiros precisam enfrentar todos os tipos de perigos e dificuldades para conseguir a nave  e tecnologia marciana.
Opinião: Anjos Partidos consegue manter o alto nível de qualidade visto em Carbono Alterado, contudo o livro apresenta pouca coisa que se assemelha ao livro anterior. Aqui por exemplo tem guerra e uma corrida arqueológica espacial, Kovacs utiliza outra capa, pois a sua foi detonada na guerra. O autor por sua vez consegue criar outro universo complexo, rico em detalhes e consegue apresentar uma trama dotada das características inerentes a literatura de ficção científica. Takeshi Kovacs é um personagem bem construído, ele é determinado e inteligente, comete os seus erros e essas falhas servem para deixá-lo mais maduro ao longo da trama. É interessante acompanhar as interações dele com os outros personagens que surgem ao longo da história, isso porque sempre há bons diálogos.

Richard Morgan é magistral ao elaborar o enredo, gostei muito das descrições do espaço e as cenas apresentas são bem construídas, principalmente as que ocorrem dentro da nave marciana. Apesar de ser considerado uma continuação de Carbono Alterado, eu acredito que qualquer leitor pode ser Anjos Partidos de forma independente, mas ainda assim é mais recomendado ler a trilogia em ordem para compreender as minúcias desses universos apresentado pelo autor. Recomendo a leitura desse livro, é muito legal, conta com diversas cenas de ação mistérios, mas o que mais gostei foi a possibilidade de contato com uma raça alienígena e o quanto a tecnologia pode impactar na civilização humana, o quanto ela pode ser fatal.
Sobre a Edição: A Bertrand Brasil novamente caprichou na capa, eu já havia gostado da capa de Carbono Alterado, mas por algum motivo gostei ainda mais da capa de Anjos Partidos, talvez por esse clima de mistério em face a um local desconhecido, mas também pela tonalidade mais escura e sombria. A diagramação ficou legal, a fonte e espaçamento estão confortáveis e as folhas são amareladas (papel pólen). A revisão também ficou boa e a Bertrand está de parabéns pelo projeto gráfico apresentado.
Sobre o Autor: Richard Morgan é autos de diversos livros de ficção científica e fantasia. Foi tutor do departamento de língua inglesa na Strathclyde University antes de sua carreira como escritor deslanchar. Fluente em espanhol, já morou e trabalhou em Madri, Istambul, Ancara, Londres e Glasgow, assim como viajou amplamente pelas Américas, África e Austrália. Atualmente vive no Reino Unido com a esposa e o filho.

3 comentários:

  1. ótima resenha, bem detalhada, repleta de imagens, com direito a bio do autor e trechos do livro, e vale como alerta para mim que preciso voltar a ler num ritmo maior. Parabéns pelo blog!
    Emerson Lemes Santos.

    ResponderExcluir
  2. Eu vi o primeiro epísodio de Altered Carbon e confesso que não me empolguei a continuar. Talvez se ler a saga possa me interessar mais! E gostei da resenha, bem escrita, me deu vontade de conferir a obra!

    ResponderExcluir
  3. fiquei encantada com o enredo dessa historia. Ultimamente nenhum livro além dos de estudos tem me chamado atenção, mas esse gostei muito. Nunca li livros de ficção cientifica, mas esse pelo visto faz o meu estilo completamente. Adoro quando o personagem principal cria uma equipa de foras da lei para caçar um tesouro


    Com carinho Renata Prado | LuArtico |

    ResponderExcluir