[RESENHA #426] O NAVIO ARCANO - ROBIN HOBB



Título: O Navio Arcano - (Os Mercadores de Navios Vivos #1)
Autora: Robin Hobb
Editora: Leya
Páginas: 864

Ano: 2017
ISBN: 9788544105474

Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: 
George R.R. Martin é um dos maiores fãs da literatura de Robin Hobb, que, no mundo todo, é uma das mais celebradas e cultuadas autoras contemporâneas de literatura fantástica. Em a “Saga do Assassino”, Robin Hobb retorna, numa nova trilogia, “Os Mercadores de Navios-Vivos”, ao universo ficcional conhecido como o Reino dos Antigos. Nesse primeiro volume, O navio arcano, Robb faz referências a clássicos como Moby Dick e Mestre dos mares para conduzir o leitor por uma aventura marítima repleta de magia, contando a história de um orgulhoso grupo de famílias que navega por mares bravios repletos de piratas e serpentes, a bordo do seu protagonista: os seus navios-vivos – embarcações raríssimas e mágicas feitas de madeira-arcana, capazes de adquirir vida própria. Com personagens muito bem caracterizados, tanto física quanto psicologicamente, Robin Hobb tece uma trama envolvente e complexa, que seduz o leitor a cada página. 

Resenha: Escrito pela autora Robin Hobb, O Navio Arcano é o primeiro volume da série Os Mercadores de Navios Vivos. A autora nos leva a conhecer os mercadores de Vilamonte, eles são navegadores de primeira qualidade, o ápice para eles é possuir um navio-vivo acordado. Essas embarcações são feitas de uma rara madeira arcana que ganha vida após três gerações da família dona falecer no navio, é necessário que alguém do sangue da família esteja presente, esteja a bordo. Esse acontecimento faz com que a personalidade dos navios seja moldada pelos membros da família proprietária.

"Enquanto andava, tirou a mão do bolso e tocou o outro punho, distraído. Uma fina tira dupla de couro preto lhe fazia a volta, oculta pelo punho rendado da manga da camisa de seda branca. A tira prendia firmemente um pequeno objeto de madeira. O ornamento era um rosto entalhado, perfurado na fronte e no maxilar inferior para deixar passar a tira de couro, de modo que ficava acomodado contra o punho, exatamente sobre o ponto onde alguém encostaria para sentir a pulsação [...]" p. 19.

A família Vestrit possui Vivácia, um navio de personalidade forte, característica comum dos membros da família Vestrit que morreram a bordo. Contudo, o navio despertou a pouco tempo e ainda demonstra ser uma embarcação insegura que está buscando o seu lugar nesse mundo. Nesse cenário conhecemos Althea, integrante da família Vestrit, ela é uma jovem que viveu a sua vida inteira no convés e nutre um imenso amor pelo mar, bem como pelo navio-arcano de sua família, chegando ao ponto de considerar o navio membro da família. A jovem navegante tem como sonho ser a próxima capitã do Vivácia, desejo esse que é compartilhado por seu pai Ephron Vestrit que leva sua jovem e promissora filha para diversas viagens pelo mar.

"Althea estava doida para tomar banho de água doce. Sentia cada músculo do corpo doer com o esforço de subir a escada até o convés, e a cabeça latejava depois de tanto tempo no ar carregado do porão de popa. Pelo menos terminara a tarefa. Iria até a cabine lavar-se com uma toalha molhada, trocar de roupa e talvez cochilar um pouco." p. 50.
Quando a vida de Ephron, pai de Althea e patriarca da família está por um fio, ele declara que o seu genro Kyle Porto terá o controle de Vivácia e será o próximo capitão do navio. Porém, ele não é um Vestrit de sangue e somente membros de sangue da família podem comandar o navio, para isso, ele resolve buscar por meio da força bruta o seu filho Wintrow, retirando-o da vida de sacerdócio, forçando-o a ficar no navio. Porém, isso é um perigo, pois Kyle não entende que a relação com uma navio-vivo deve ser harmoniosa e construída de boa-fé. Por ser considerado pequeno e frágil, Wintrow é desprezado, ele enfrenta dificuldades e também a maldade dos outros tripulantes, incluindo a do próprio pai que demonstra ser um homem cruel e ganancioso.

"O navio-vivo estava sofrendo, lutando contra a necessidade de estar na companhia de Wintrow, forçando-se a permanecer num isolamento gélido e cinzento como neblina [...]" p. 255.

Essa decisão na mudança do comando abala profundamente Althea, ela fica com o coração quebrado e fica arrasada, a jovem acredita que foi uma grande traição colocar Kyle no comando. Para piorar toda a situação, Althea descobre que a própria irmã Keffria e a sua mãe Ronica são as responsáveis pela mudança no poder, pela ascensão de Kyle no comando do navio. Frustrada, Althea resolve abandonar a família e decide ir embora, em busca do seu próprio caminho para que possa conseguir comandar Vivácia algum dia. 

Em paralelo acompanhamos a família Vestrit em Vilamonte, com a morte do patriarca, em poucos meses a família começa a ruir, as dívidas aumentam e Malta, filha de Keffria torna-se uma garota fria, maliciosa e meticulosa, ela desafia a sua mãe constantemente e não mede esforços para conseguir o seu irmão Winstrow, porém o que ela não sabe é que está colocando em risco um pacto firmado entre os Vilamontes e Mercadores dos Ermos Chuvosos, pacto este que é cumprido e seguido à risca por gerações. Como se todas as dificuldades e declínio da família não fosse o suficiente, Althea em sua luta para provar seu valor e ser capaz de recuperar Vivácia acaba desaparecendo.
Opinião: O Navio Arcano foi um dos mais importantes lançamentos do segundo semestre de 2017 e faz jus à expectativa que foi gerada em torno de si. Apresentando um ritmo cadenciado e sem muitas reviravoltas, a autora constrói aos poucos um universo fabuloso com batalhas, piratas e magia. A autora criou uma trama  profunda e rica em detalhes, como por exemplo as terminologias e situações em alto mar. Toda essa história ocorre em um período de dois anos e em meio aos diversos acontecimentos, a autora abre espaço para levantar uma questão importante, a escravidão e o quanto influencia no comportamento das pessoas que estão diretamente ligados a essa prática.

Achei extremamente interessante o fato de O Navio Arcano estar ambientado no mesmo universo da trilogia A Saga do Assassino, ao longo da leitura percebi algumas referências sobre à guerra nos Seis Ducados, contudo não é necessário realizar a leitura da trilogia anterior. Esse livro é muito bom, a autora além de levantar a questão da escravidão, insere em sua trama temas como instituições políticas, religiosas e mercantis, traz para a nossa reflexão problemas sociais, o machismo na sociedade, a ganância e a luta do homem pelo poder. Para quem adora literatura fantástica esse livro é imperdível! Mal posso esperar pelo próximo volume O Navio Louco (The Mad Ship).
Sobre a Edição: A Editora Leya está de parabéns pelo projeto gráfico apresentado, a capa é linda e está de acordo com o contexto da história, a diagramação ficou muito boa, as folhas são amareladas e a fonte segue o padrão de outras edições da Leya. A revisão ficou muito boa, assim como o espaçamento.
Sobre a Autora: Robin Hobb é o pseudónimo da romancista Margaret Astrid Lindholm Ogden (nascida em 1952), que produz principalmente obras de ficção contemporânea e fantasia épica. De 1983 a 1992, ela escreveu exclusivamente sob o pseudónimo Megan Lindholm, gêneros de ficção contemporânea. Em 1995, ela começou a usar o nome de Robin Hobb, que lhe daria mais fama, para escrever obras de fantasia com cenário de influências medievais, épico. Ela publica atualmente, sob ambos os nomes, e vive em Tacoma, Washington. Até 2003, ela havia vendido mais de 1 milhão de cópias de seus nove primeiros romances como Robin Hobb.

Postar um comentário

18 Comentários

  1. Olá!

    Amante de fantasia que sou, gostei desse livro logo de cara, sem nem o ler. Vi algumas divulgações por parte da editora pelas redes sociais e que alegria poder ler uma sinopse dele! Adorei demais conhecer a história um pouquinho. Confesso que já fiquei curiosa quanto a trama e espero ter a oportunidade de o ler logo! Obrigada pela dica!

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Oi Yvens!

    Tudo bem? O livro parece ser absolutamente maravilhoso e olha que eu nem estou falando da edição (que está maravilhosa aparentemente!).

    Fiquei super empolgada com a sua resenha e pelo fato de que, apesar de estar com as expectativas lá em cima o livro fez os jus a tudo que prometia e isso significa algo né? O que mais me chamou atenção é essa questão da escravidão.

    Beijinhos
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  3. Oiii Yvens

    Eu sou suspeita até pra comentar livros de piratas, eu amo o tema, leio tudo o que houver sobre, e sempre me divirto demais, amo! Quero muito conferir O Navio Arcano futuramente, tenho certeza de que será uma leitura que vou gostar bastante.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  4. Olá!! :)

    Eu confesso que não conhecia o livro, a saga em que se integra ou mesmo a outra em cujo universo esta se ambienta e desenvolve!

    De qualquer das formas, gosto do género, achei a historia curiosa e a tua opinião deixou me com vontade de ler... Entao, a capa!!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livro.webnode.com

    ResponderExcluir
  5. Olá! Já li várias resenhas dos livros anteriores da Robin Hobb, confesso que estou super curioso em ler essa série, achei à arte da capa impecável, todo enredo tem uma pegada e vibe bem sinistra. Já vai na minha lista.

    ResponderExcluir
  6. Eu não conhecia o livro e gostei da sua resenha sobre ele. Não é um gênero que eu leia com frequência e a premissa me deixa com receio, no entanto eu fiquei interessada na leitura e espero ter a oportunidade de ler o livro para entender melhor.

    ResponderExcluir
  7. Oláaaa!
    Eu tenho confessar que nunca li nenhum livro sobre piratas e não conhecia o autor, mas, amei a sua resenha.

    Beijos e abraços Vivi
    http://vickyalmeida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Esse livro é com certeza uma ótima dica para quem gosta do gênero e acho bem legal que se passa dentro de um navio, mas acho que não é o tipo de leitura que estou procurando no momento.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Eu não conhecia.
    Eu gosto do gênero e sou fã de G.R. Martin e o fato dele gostar já me faz ficar interessada. Embora a premissa não tenha me atraído muito, a curiosidade fala mais alto por isso anotado.
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Eu já tinha visto sobre esse livro e a capa está belíssima, apesar da sua resenha estar bem convidativa e mostrar um trabalho bem desenvolvido da autora com a trama, eu não me sinto atraída para embarcar nesse tipo de leitura.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  11. Muito interessante, ainda mais por não conhecer o livro. Adoro livros que tenham piratas, apesar de ler poucos com estes personagens. Vou dar uma procurada.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  12. É surpreendentemente bom quando um livro atende a todas as expectativas destinadas a ele. Apesar de não ser um gênero que tenho o hábito de ler, fico feliz que você tenha gostado, já indiquei a obra para um amigo porque baseada em sua resenha, tenho absoluta certeza que ele vai amar.

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem? Não conhecia esse livro ainda... Não é muito o meu tipo de leitura, mas me pareceu ser um livro muito bom, fiquei curiosa pra ler. Ótima resenha!

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?
    Não conhecia essa trilogia e confesso que, mesmo não sendo fã do gênero, fiquei curiosa sobre o enredo deste! Parece ser um livro com muitas aventuras! Adorei sua resenha e valeu pela dica! Anotada e aguardando a oportunidade para ler!

    ResponderExcluir
  15. Olá!

    Não é o gênero que costumo ler, mas pelo sucesso, é uma bela história. Vou me informar mais sobre.

    ResponderExcluir
  16. A vontade de me jogar nessa história é enorme, mas esse tamanho todo me assusta hahahahaha.
    É um gênero que amo e só encontro elogios *_*
    Preciso dar uma chance.


    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  17. Oi Yvens! Tudo bem?
    ADOREI, como quem gosta muito de fantasia, a proposta desse livro!
    O resumo me deixou sem palavras porque já pude ver que o negócio é pesado e intenso e cheio de críticas a machismo nosso de cada dia. Ela já ganhou meu respeito!
    Abraços e beijos da Lady Trotsky...
    http://galaxiadeideias.com
    http://osvampirosportenhos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Olá, não conhecia o livro, mas pelas sua resenha ele parece ter um enredo bem bacana e só por isso já fiquei curiosa para lê-lo *--* Adorei a resenha.

    ResponderExcluir