[RESENHA #455] TOMATES VERDES FRITOS - FANNIE FLAGG - Saga Literária

Breaking

quinta-feira, 12 de abril de 2018

[RESENHA #455] TOMATES VERDES FRITOS - FANNIE FLAGG


Título: Tomates Verdes Fritos
Autora: Fannie Flagg
Editora: Coleções Folha (Folha de S. Paulo)
Páginas: 362
Ano: 2017

ISBN: 9788579493447
Onde Comprar: Coleções Folha - Livraria da Folha

Sinopse: 
Melancolia não é quase sinônimo de tristeza neste segundo romance da americana Fannie Flagg, publicado em 1987 e transformado, quatro anos depois, em um filme de imenso sucesso. O sentimento é mais o de um perfume que fica à medida que o tempo passa, transformando os lugares e dando um ponto final a tantas vidas e amizades. Um lugarejo perdido no Alabama, sul dos Estados Unidos, reúne mulheres e homens, brancos e negros, desviados e ajuizados. Ali, histórias de amor e de brutalidade se cruzam e parecem só obedecer ao acaso. Mas não é um livro difícil. Lugares e datas no alto dos capítulos orientam a leitura, arranjam num fluxo irresistível. Enquanto isso, o país cai e sai do abismo, o mundo inteiro entra em guerra e a sociedade se torna um tiquinho menos intolerante. Tudo muda, menos o aroma dos pratos feitos na cozinha do Café da Parada do Apoio e o caráter de quem passou por lá, que seguem conosco depois do fim. (Cássio Starling Carlos)

Resenha: Ambientado em duas épocas distintas, Fannie Flagg nos leva a conhecer da Sra. Threadgoode, uma carismática senhora de 86 anos, popularmente chamada de Ninny. Conhecemos também a vida da sua amiga Evelyn Couch, uma dona de casa que está enfrentando algumas dificuldades em seu casamento e que ao mesmo tempo sente-se sozinha. Para aplacar um pouco dessa solidão, Evelyn e seu marido vistam a mãe dele no asilo Rose Terrace e lá Evelyn é constantemente abordada pela Sra. Threadgoode.

"O Café da Parada do Apito abriu na semana passada, bem aqui vizinha ao correio, e as proprietárias legais Idgie Threadgoode e Ruth Jamison disseram que desde então os negócios vão indo muito bem. Idgie garante que os conhecidos não precisam ter medo de ser envenenados porque não é ela quem cozinha. Toda a comida está sendo feita por duas mulheres negras, Sipsey e Onzell, e o churrasco é preparado por Big George, marido de Onzell." p. 11.
A partir dessas visitas, Evelyn vai ficando próxima da Sra. Threadgoode que passa a lhe narrar os acontecimentos e a vida de várias pessoas que viveram em uma pequenina cidade do Alabama entre os anos 20 e 50 chamada Parada do Apito. Nessa pequena cidade, Tomates verdes fritos é um dos muitos pratos servidos no Café da Parada do Apito, onde muitos dos acontecimentos ocorrem nessa pequena cidade e são relatados para Evelyn. Curiosa sobre o passado, Evelyn passa a visitar semanalmente Ninny na Casa de Repouso Rose Terrace e com muitos detalhes, Ninny narra as barbaridades que os negros sofreram em seu tempo, a indiferença de muitos brancos ao próximo, mas também o fato de haver tantos outros brancos que nunca se sentiram superiores ao próxima por causa da sua cor.

"Todo domingo, dia de visitas, Ed Couch e sua mãe, Big Momma, não faziam nada além de ficar naquele quartinho espremido olhando para a televisão. Evelyn sentia que, se não saísse logo dali, começaria a gritar. Pediu licença para ir ao banheiro do saguão. Pensava em esperar dentro do carro, mas lembrou que Ed estava com a chave (...)" p. 41.

Através das histórias de Ninny, Evelyn conhece outras mulheres que servem como inspiração e fazem a sua vida dar uma guinada, pois ela fica rendida a Idgie, uma mulher rebelde, mas que possui um coração enorme e a delicada Ruth, com quem possui uma relação homossexual, algo totalmente descabido para aquela época. Aos poucos, a auto-estima de Evelyn melhora, mas outros aspectos também como: a coragem, o amor e a amizade passam a integrar a sua rotina, não são mais sentimentos distantes ou desconhecidos em sua vida.
Opinião: Esse é um livro realmente maravilhoso, eu fiquei encantada pelo enredo, a autora foi extremamente feliz ao elaborar esse livro, pois é impecável. São várias histórias narradas, os capítulos intercalam-se de forma magistral e a cada capítulo ou página virada a autora nos traz uma bela lição, um grande ensinamento nos envolvendo e cativando. É impossível não se apaixonar por personagens como a senhora Ninny ou mesmo Evelyn que consegue mudar positivamente a sua vida. Essa foi uma leitura encantadora e surpreendente, em vários momentos fiquei refletindo sobre a vida, o valor da família, a importância de respeitar o próximo. A autora fala ainda sobre o racismo, a importância de ser independente e também sobre o valor de ter amigos em nossas vidas. Leia Tomates Verdes Fritos, pois o livro é simplesmente incrível!
Sobre a Edição: Tomates Verdes Fritos é o décimo quarto volume da coleção Mulheres na Literatura e como nos volumes anteriores a Coleções Folha mantém o alto padrão de qualidade já apresentado. A revisão ficou ótima, as folhas são levemente amareladas, a fonte e o espaçamento estão em tamanhos confortáveis, a edição conta com capa dura e a diagramação ficou muito boa. A editora está de parabéns pelo projeto gráfico que apresentou.
Sobre a Autora: Patricia Neal ou Fannie Flagg nasceu em 21 de Setembro de 1944 na cidade de Birmingham, Alabama. Incentivada por seu pai desde cedo, Flagg se interessou pela escrita, aos 10 anos ela escreveu a sua primeira peça de teatro. Na adolescência, ela participou do concurso de Miss Alabama, onde ganhou uma bolsa de estudos para uma escola de atuação local por um ano. Depois disso, Flagg começou como co-apresentadora na WBRC-TV em Birmingham. Mais tarde ela mudou-se para Nova York, investindo na carreira de atriz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário