[CRÍTICA] ANNE WITH AN E | NETFLIX - Saga Literária

Breaking

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

[CRÍTICA] ANNE WITH AN E | NETFLIX


Dona de um catálogo que se estende cada vez mais, a Netfilx surpreende mais uma vez com uma série que é baseada em histórias literárias. Anne com E, nada mais é que a livre dramatização do livro Anne de Green Gables, da escritora Lucy Maud Montgomery. O livro é um clássico da literatura infanto-juvenil e ainda hoje faz grande sucesso em suas diversas publicações.

Tudo começa quando os Cuthbert, donos da fazenda Green Gables, resolvem adotar um menino para ajuda-los nos afazeres da fazenda. Marilla e Matthew Cuthbert são irmãos solteirões que devido às adversidades em sua família, não fizeram mais do que cuidar um do outro.
A confusão já começa quando Matthew no dia combinado vai até a estação de trem buscar o menino prometido pelo orfanato. Porém, Matthew encontra uma garota de 11 anos de idade, ruiva e toda sardenta à sua espera. Surpreso e sem mais nada que possa fazer, ele a leva para Green Gables e no caminho já descobre que essa pequena menina é bem diferente das que Matthew vira na vida. Tagarela e totalmente dramática ao extremo, Matthew tem absoluta certeza que vai ter um grande problema quando chegar em Green Gables e encarar sua irmã Marilla. E as confusões e aventuras só estão começando.

Opinião: Nunca tive motivos para acompanhar séries de época, mesmo porque meus gostos em se tratando de seriados, sempre tiveram a tendência àquelas séries mais violentas, futuristas e de terror. Porém, há alguns anos venho me embrenhando no universo literário clássico e isso teve um grande impacto com relação ao que assisto ultimamente.

Anne with an E, foi uma enorme surpresa, pois a série é tão bem feita e caracterizada em seus pormenores de época, que eu fiquei totalmente encantado com ela e isso sem ter tido qualquer contato com o livro Anne de Green Gables [ainda].
Agora vamos aos pormenores de Anne With an E. Fico imaginado o tremendo trabalho que a produção da série deve ter tido para de encontrar uma atriz condizente com a personagem de Anne. Felizmente, Amybeth McNulty, foi a escolhida para o papel e posso dizer que foi uma escolha brilhante, tão perfeita a encarnação da jovem atriz. Alias, é preciso se conscientizar que a escolha de todo o elenco foi muito bem feita, pois a série transborda talento por todos os lados.

Tendo a premissa da adoção de um menino, os Cuthbert, acabam surpresos por um erro na hora de enviarem a criança para Green Gables. Os irmãos Cuthbert, representados por Geraldine Games como Marilla Cuthbert e R. H. Thomson como Matthew Cuthbert, acabam em um dilema sobre ficar ou não ficar com aquela menina.

Anne, por sua vez, demonstra uma enorme gratidão com suas exageradas explosões emotivas pelo fato de ter sido “escolhida” para ir viver naquela remota fazenda no Canada. Mas sua alegria acaba logo quando ela descobre que foi parar ali por engano. Marilla, impiedosa, diz que no dia seguinte vai devolvê-la, para um grande desespero de Anne. Mas, devido alguns acontecimentos, Marilla decide dar uma chance àquela garota por uma semana.


O que posso dizer é que Anne com E é uma série que, através da vida de uma garota de 11 anos que encontrou em um “casal” improvável uma família para poder amar e viver suas aventuras românticas, demonstra ao longo de sua exibição críticas à sociedade daquela época e é recheada de situações onde podemos encontrar a hipocrisia, o preconceito em suas diversas formas, a distorção da moralidade, a violência e até mesmo o crime. Porém, isso é diluído com doses de demonstração de caráter, amizade, amor, felicidade, dever e perdão.

Outra manifestação crítica na série é como ela aborda a questão da homossexualidade naquela época, mostrando de uma forma sensível, mas objetiva e verdadeira seus problemas de aceitação tanto pela sociedade quanto por aqueles que passam por essa transformação em suas vidas. Mas a grande mensagem de Anne com E, a meu ver, é o amor; que pode estar na franqueza de uma amizade; na solidariedade de um vizinho, no caráter de seus personagens e principalmente na superação, amplamente demonstrada no decorrer da história.

É muito interessante ver como a série aborda as questões presentes quando da transição da infância à adolescência demonstrando suas angústias e alegrias que batem de frente com a realidade da vida; o que muitas vezes pode ser uma experiência traumática. Alguns personagens têm suas aflições que são divididas com a forma diferente que Anne tem da vida em si, que tem uma jornada marcada pela imaginação exacerbada; uma das únicas formas que ela teve de suavizar todo seu passado problemático. Outro grande ponto positivo que a série evidência é a forma que Anne conseguiu acumular toda sua imaginação e vocabulário incomum para uma menina na idade dela, que foi justamente através dos livros, principalmente os de Jane Austen.
Se você tem lembranças não muito boas de sua época escolar, prepare-se, pois suas emoções vão se descontrolar quando conhecer a rotina escolar de Anne e das outras crianças da vila, principalmente com relação “àquele” professor, muito bem interpretado por Stephen Tracey. Estejam desde já avisados.

A série está disponível na Netflix e conta com duas temporadas e já teve a sua terceira confirmada pela cúpula da rainha do streaming. Agora é só esperar e ver onde Anne e sua trupe vão nos levar nesses próximos capítulos.

6 comentários:

  1. Olá, tudo bom?
    Adoro uma série de época, se for baseada em livro então, corro para ver! Fiquei bem curiosa para conferir Anne e ver como vai se dar essa transição da infância para vida adulta e como Anne vai se adaptar a essa nova vida. Se Anne ainda é uma leitora de Jane Austen, bem, acabou por me convencer a conferí-la! rs Estou com o primeiro livro aqui, que quero ler antes de ver a série, no entanto, pelo que já disse da série, tenho certeza que vou amar. Adorei o post e a indicação! ♥
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Polly, tenho absoluta certeza que você vai adorar a série. Só pelo seu comentário, já consigo ter ver grudada na tela e maratonando Anne With An E... kkkkk... Assista sim, vai adorar mesmo. Beijos e obrigado pela visita.

      Excluir
  2. Olá, que bom saber que se aventurou a conferir a série e que gostou. Eu já vi alguns episódios da primeira temporada e gostei muito, a Anne é uma figura! E a série fala mesmo de muitos assuntos importantes até os dias de hoje. Mas o que mais gosto é a forma como os irmãos e Anne formam uma família.

    ResponderExcluir
  3. Olá!!

    Confesso que eu tenho um medo do desconhecido e por conta disso acabo por não me aventurar tanto nas criações da Netflix, diferente de vc que se volta mais para o terror, eu vou para os seriados médicos e policiais.
    Vi esse seriado, é claro, mas não sabia que se tratava de uma adaptação, assim como também nao tive a oportunidade de assistir ainda. Adorei a sua resenha e achei a historia tão linda que agora eu quero assistir!

    Muito obrigado pela dica.

    beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem?
    Eu confesso que não sou muito de ver séries, de um modo geral. No entanto, essa foi uma que despertou a minha curiosidade, tanto por ser uma série de época quanto pelos temas abordados. Além disso, parece que a produção foi realmente bem feita, especialmente na escolha do elenco.
    Só não vou assistir ainda, porque quero ler o livro antes. Mas a dica está anotada e eu espero conseguir ler e assistir a série em breve.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Eu preciso assistir essa serie porque a cada indicação que leio dela, eu me identifico um pouco mais e fiquei curiosa quanto a essa abordagem da transição da infância para a adolescência.
    Você me deixou mais instigada a começar a ver hoje.
    beijos

    ResponderExcluir