[RESENHA #549] OS PORTAIS DA CASA DOS MORTOS - Saga Literária

Breaking

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

[RESENHA #549] OS PORTAIS DA CASA DOS MORTOS

Título: Os Portais da Casa dos Mortais - O Livro Malazano dos Caídos - II
Autor: Steven Erkison

Tradução: Carol Chiovatto
Editora: Arqueiro
Páginas: 816
Ano: 2018

ISBN: 9788580418361
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: 
Já se passaram dez anos desde que Laseen tomou o trono com um ardil traiçoeiro, mas, à medida que o Ano de Dryjhna se aproxima, o Império Malazano se vê à beira da anarquia, enfraquecido pelos acontecimentos na cidade de Darujhistan. Muitas das regiões controladas pelo punho de ferro da imperatriz ameaçam acender a fagulha da revolução.

No meio do vasto domínio das Sete Cidades fica o Deserto Sagrado Raraku, onde estão os resquícios de incontáveis civilizações extintas há muito tempo. Nesse lugar repleto de segredos e magia, a Vidente Sha’ik e os seguidores do Apocalipse preparam um levante contra o poderoso império, conforme previsto nas antigas profecias. Enquanto as forças convergem contra Laseen, ela reúne um exército de assassinos, feiticeiros e espiões para combater a rebelião e ampliar seu império cruel. Em meio a uma fúria e um poder jamais vistos, o mundo está prestes a mergulhar em uma guerra sangrenta, capaz de mudar os destinos de homens e civilizações, criando lendas que atravessarão os séculos.

Resenha: Os Portais da Casa dos Mortos foi escrito pelo autor canadense Steven Erikson e é o segundo volume da série "O Livro Malazano dos Caídos", além disso faz parte do universo Malazan elaborado em co-autoria com o seu amigo Ian C. Esslemont. A história no presente livro ocorre dez anos depois dos acontecimentos finais do livro anterior (Portais da Lua), precisamente no ano de 1164 do Sono da Incineração e em outro continente. Após os acontecimentos em Darujhista uma brecha foi aberta no governo da imperatriz e com a chegada do ano de Dryjhna, uma antiga e esquecida profecia veio à tona, essa profecia trata do surgimento da Deusa do furação que vai se erguer no Deserto Sagrado de Raraku.

"Um penacho espiralado de poeira percorreu a depressão, afundando-se no deserto inexplorado do Pan'potsun Odhan. Embora se encontrasse a menos de dez mil passos de distância, parecia nascido do nada." p. 34.

Quem conhece essa profecia sussurra aos quatro cantos sobre um apocalipse e uma rebelião sangrenta envolvendo o império e as Sete Cidades e é no Deserto Sagrado de Raraku que a sacerdotisa Sha'ik conclama o povo da região das Sete Cidades à insurgir-se contra o império Malaz em um perigoso movimento de rebelião. Enquanto a rebelião vai ganhando forma estão atravessando esse deserto um grupo formado por Apsalar, pelo ladrão Crokus, o sapador Violinista e o assassino Kalam, eles estão caminhando em direção ao continente de Quon Tali onde pretendem retornar ao vilarejo de Apsalar para que ela possa buscar e reencontrar o seu pai que está desaparecido.
"Aquela separação tinha trazido emoções bem fortes,como Violinista percebeu tarde demais. O dever que um dia ligara Kalam e ele a uma única causa, que era tanto amizade quanto qualquer outra coisa, parecia ter se quebrado." p. 119.

Contudo Kalam tem seus próprios planos e quando a revolta explode ele se separa do grupo e parte em busca de um objetivo extremamente perigoso, matar a Imperatriz Laseen que cometeu uma grande traição ao seu ver e quando a revolta inicia ele precisa buscar por rotas alternativas. Apesar de gostar andar sozinho, nessa jornada Kalam vai encontrar pessoas que podem ajudá-lo a concluir a sua missão e entre elas está Minala, uma mulher teimosa que no passado sofreu nas mãos do falecido marido, mas que demonstra possuir uma força interior e determinação ímpares.

A rebelião ganha força e território, conduzida pelo inescrupuloso Korbolo Dom, um Alto Punho que no passado pertenceu ao exército malazano, consegue aos poucos conquistar posições malazanas pelo continente e em meio ao terror promovido pela rebelião, os colonizados e soldados malazanos são subjugados e terrivelmente trucidados. A única resistência que ainda demonstra alguma forma é na cidade de Hispar, onde os soldados do 7º exército malazano é comandado por Punho Coltaine que organiza uma grande evacuação da cidade e conduz mais de 50 mil refugiados em uma difícil jornada até Aren, a capital malazana no continente.

Por fim, Steven Erikson nos apresenta outro arco na história de "Os Portais da Casa dos Mortos" e acompanhamos a jornada de Felisin Paran, uma jovem mulher que pertenceu a uma casa nobre que foi perseguida e condenada pela própria irmã. Felisin Paran foi capturada e mantida como escrava em uma mina de Ortatal (metal resistente a magia), é durante esse difícil período de trabalhos forçado que ela passa por diversas torturas físicas e psicológicas, durante essa fase ela se torna uma mulher amargurada com a vida. Felisin em meio as dificuldades acaba conhecendo e criando uma relação de dependência com Herboric e Baudin, um ex-sacerdote do Deus guerreiro Fener e um historiador exilado. Contudo o destino quis que ela prevalecesse sobre os obstáculos e horrores da vida, pois a coloca no caminho da rebelião onde poderá desempenhar um papel importante.
Opinião: Os Portais da Casa dos Mortos é um grande livro de literatura fantástica e conta com uma ambientação em especial que é o fascinante deserto de Raraku que conta com a região das Setes Cidades, mas a história conta ainda com outros cenários novos e interessantes. A trama apresentada por Steven Erikson é chocante, pois o romance tem como essência a violência e opressão, os personagens beiram a loucura devido aos surtos de raiva e discursos de ódio que apresentam. O autor narra de forma nua e crua as mazelas originadas de uma guerra que leva o caos aos quatro cantos e desperta o que há de pior nas pessoas, o autor nos surpreende ao demonstrar os horrores e o quanto desumano podem ser as atitudes do ser humano em meio ao cenário de desesperança promovido pela guerra.

A narrativa apresentada pelo autor é muito fluida e envolvente, porém devido à dureza e descrições detalhadas de violência e crueldade, o leitor por vezes vai precisar parar e dar uma relaxada para retornar à leitura. Mas nem tudo é violência já que em certo momentos vamos rir do senso de humor apresentado pelo autor. Apesar de toda forte carga emocional que contém no livro, nós somos recompensados por um dos melhores livros de literatura fantástica já escrita e esse segundo volume (total de dez volumes) consegue ser melhor que o Jardins da Lua (O Livro Malazano dos Caídos #1). Nesse livro tem um pouco de tudo, magos, bruxos, raças ancestrais, deuses, metamorfos, piratas, nobres e soldados. Super recomendo a leitura de "Os Portais da Casa dos Mortos" para todos que gostam de literatura fantástica ou mesmo um livro de alta qualidade!
Sobre a Edição: A Editora Arqueiro está de parabéns pelo trabalho apresentado, a revisão ficou ótima, assim como a diagramação e o layout. As folhas são amareladas, a fonte está de bom tamanho e o espaçamento confortável. A capa é muito bonita e chama atenção pelos detalhes, além do mais combina perfeitamente com o universo e trama apresentado pelo autor. Essa edição conta com mapas, glossário e uma lista de personagens que nos ajuda na compreensão da história.
Sobre o Autor: Steven Erikson é o pseudônimo de Steve Rune Lundin , escritor canadense, que foi educado tanto como arqueólogo como antropólogo. Sua obra mais conhecida é a série de fantasia de dez volumes O Livro Malazano dos Caídos (Malazan Book of the Fallen), que até 2006 tinha vendido mais de 250.000 cópias no mundo. O site SF e Review Fantasy Books chamou a série de "a melhor série de fantasia dos últimos tempos

17 comentários:

  1. Nunca tinha ouvido da série, me parece bem intensa, com bastante ação. Gostei do fato de ter um toque de humor também para que a leitura não fique tão densa, visto que as cenas de violência são bem presentes. Me interessou bastante. Parabéns pela resenha tão completa.

    ResponderExcluir
  2. Oi Yvens,
    Ficou ótimo sua resenha, eu não conhecia esse livro e nem o autor, mas parece interessante a temática pelo que você descreveu, eu senti um pouco de semelhança com uma outra série que conheço.
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Achei incrível sua resenha, bem completa! Sempre quis ler esse livro, e após essa resenha vou colocar na minha próxima lista de compras.

    ResponderExcluir
  4. Adoro fantasia e esse livro me chamou muito a atenção pelo contexto narrado, mas preciso criar coragem porque é senhor calhamaço. rsrs Sua resenha me deu uma ideia de como essa obra é maravilhosa e minha curiosidade ficou mais aguçada.

    ResponderExcluir
  5. Costumo me perder um pouco com os personagens de livros desse estilo, então acabo evitando, mas essa série parece bem interessante. Ótima resenha, despertou o interesse.

    ResponderExcluir
  6. Que enredo forte, não? Confesso que fiquei impressionada com a presença de momentos mais violentos, deve ser uma leitura instigante. Como sempre a resenha está ótima, parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Oi Yvens, tudo bem?

    Ainda não conhecia a obra, mas por ser de um dos meus gêneros favoritos, literatura fantástica, já fiquei com muita vontade de ler. Quando li o número de páginas fiquei assustada, mas saber que a escrita do autor é fluida, já me deixa mais curiosa para conhecer. O fato de abordar as mazelas da guerra de forma nua e crua também já me deixa animada para realizar a leitura. Adorei sua resenha, parabéns!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. A resenha está ótima,é é muito bom que o autor Soube dosar a violência dando um toque de humor,mas esse não é meu gênero favorito no momento e ainda sendo uma série tão grande não acho tão atrativo para mim

    Bjs!

    ResponderExcluir
  9. Olá!! :)

    Eu confesso que não conhecia este livro, mas ainda bem que gostaste de fazer a leitura! Fiquei curioso com a historia!

    Que bom que se trata de uma historia de fantasia de tanta qualidade! E que nele se condensam tantas espécies fantásticas. E tudo numa Leitura tao fluida e envolvente!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Não conhecia! Gosto muito de literatura fantástica, da editora e foi muito bom saber que quase todos tipos de seres tidos como sobrenaturais , só fico desanimada por ser série, evito sempre que posso.
    Parabéns pela resenha como sempre impecável e valeu pela dica! Bjs

    ResponderExcluir
  11. Olá!

    816 páginas????? Chocada!!! kkkk
    Não é muito meu estilo de leitura, mas quando a leitura é fluida 816 páginas passam num piscar de olhos, né?
    Mesmo não sendo meu estilo de leitura, fiquei super curiosa pela história.

    Grande beijo,
    Letícia Franca | Além de 50 Tons
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  12. Olá Nossa uma mega leitura hein!Bom para mim,livros que mostram com riquezas de detalhes me transportam para outro mundo!E como você disse esse livro é tão intenso que o leitor tem que em certos momentos dar uma pausa!Mesmo que seja muitas paginas com o desenrolar da historia e se a mesma for muito empolgante devoramos bem rápido!

    ResponderExcluir
  13. Participo de um grupo onde há apaixonados pelo universo dessa série, mas ainda não sabia exatamente sobre o que era a história. Pela sua (ótima) resenha, me parece ser uma fantasia excelente, só pelas suas palavras já fiquei interessada na trama.

    ResponderExcluir
  14. oi, Yvens. Esse livro deve ter uma pegada emocionante nas descrições e eu amo Fantasias bem construídas... agora... dez volumes.... meu Dells, vou demorar uma eternidade pra dar inicio a série... xD

    amo quando o livro me faz pausar pra recuperar o fôlego...
    bjs ^^

    ResponderExcluir
  15. Não conhecia o autor ou a obra. É a primeira vez que leio uma resenha sobre Os Portais da casa dos mortos. Gostei da premissa porque adoro livros de fantasia e também porque gosto igualmente de enredos com tramas políticas e aquele tom épico, sabe? Com certeza, uma ótima dica!
    PS¹: gostei da capa também e ganhou mais um ponto por ter um mapa *____*
    PS²: mano, dez volumes é muita coisa! Meu pai do céu! =O

    ResponderExcluir
  16. Olá!!
    Eu sempre me pego querendo ler esses livros de fantasia, mas nunca leio e nem sei dizer o porque. Ainda mais por sempre ir ao cinema assistir filmes com enredos parecido. Sua resenha está incrível e quem sabe um dia eu não passe a ler esse gênero né?
    Bjs
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  17. Oie, tudo bem?
    Adorei sua resenha,achei ela bem completa. Com relação a esse livro, acredito que seja muito bom. Gosto de livros de ação, que me prenda do começo ao fim.

    ResponderExcluir