[RESENHA #551] GWENDY'S BUTTON BOX [A PEQUENA CAIXA DE GWENDY] - STEPHEN KING E RICHARD CHIZMAR - Saga Literária

Breaking

terça-feira, 25 de setembro de 2018

[RESENHA #551] GWENDY'S BUTTON BOX [A PEQUENA CAIXA DE GWENDY] - STEPHEN KING E RICHARD CHIZMAR

Título: Gwendy's Button Box / A Pequena Caixa de Gwendy
Autor: Stephen King e Richard Chizmar
Tradução: Regiane Winarski
Editora: Cemetery Dance Publications / Suma
Páginas: 171 / 168
Ano: 2017 / 2018
ISBN: 9781587676109 / 9788556510754
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse:
A pequena cidade de Castle Rock testemunhou alguns eventos estranhos ao longo dos anos, mas existe uma história que nunca foi contada... até agora. Viaje de volta a Castle Rock nesta história eletrizante de Stephen King, o mestre do terror, e Richard Chizmar, autor premiado de A Long December. O universo misterioso e assustador dessa pacata cidadezinha do Maine já foi cenário de outros clássicos de King, como Cujo e A zona morta, e deu origem à série de TV da Hulu. Há três caminhos para subir até Castle View a partir da cidade de Castle Rock: pela rodovia 117, pela Estrada Pleasant e pela Escada Suicida. Em todos os dias do verão de 1974, Gwendy Peterson, de doze anos, vai pela escada, que fica presa por parafusos de ferro fortes (ainda que enferrujados pelo tempo) e sobe em ziguezague pela encosta do penhasco. Certo dia, um estranho a chama do alto: "Ei, garota. Vem aqui um pouco. A gente precisa conversar, você e eu". Em um banco na sombra, perto do caminho de cascalho que leva da escada até o Parque Recreativo de Castle View, há um homem de calça jeans preta, casaco preto e uma camisa branca desabotoada no alto. Na cabeça tem um chapeuzinho preto arrumado. Vai chegar um dia em que Gwendy terá pesadelos com isso.
Resenha: Quando a pequena Gwendy caminha em direção a escadaria do suicídio para ir até Castle View, acaba por encontrar um homem bem no topo da tal escadaria. Ela fica um pouco receosa, pois sabe que existem todos os tipos de pessoas estranhas no mundo, inclusive as que gostavam de machucar crianças. Mas quando aquele estranho a interpela e diz que precisa ter uma conversa com ela, Gwendy coloca em prática o que toda criança é ensinada desde que se entende por gente: Não falar com estranhos.

Sr. Farris, o homem que chamou Gwendy para uma conversa, tem uma boa lábia e convence a menina que ele está só por causa dela e nunca iria machucá-la, pelo contrário, ele tinha mesmo uma coisa para entregar para ela, um “presente”. Foi assim que Gwendy ganhou sua pequena caixa, com pequenas alavancas que lhe dão pequeninos e saciáveis doces de chocolate em formato de animaizinhos e os temíveis botões, verde claro, verde escuro, laranja, amarelo, azul, violeta e o preto.
EDIÇÃO LIMITADA - LONELY ROAD BOOKS
Gwendy sabia que jamais apertaria aqueles botões, mas a alavanca sim. Ela já havia ganho algumas moedas raras que valiam um bom dinheiro e aqueles chocolates que ela passou a amar, que não só a saciavam, mesmo comendo apenas um pequenininho, como pareciam fazer com que ela se alimentasse melhor e sempre sem repetir. Isso era bom, pois Gwendy era uma garota grande para sua idade, bem alta, e ainda estava crescendo, então, comer bem sem repetir, já era uma boa coisa para ela, principalmente por causa dos apelidos maldosos na escola.

"- Eu respondi a sua pergunta, agora é a sua vez! O que acontece se eu apertar um desses botões? O que acontece se eu apertar o da África, por exemplo? E assim que seu polegar tocou o botão verde escuro, ela sentiu um desejo, não tão forte, mas notável, de apertá-lo e descobrir por si mesma." [tradução livre]

A vida na casa de Gwendy também não era um mar de rosas, seus pais trabalhavam e não tinham muito carinho um com o outro. Ela sabia que eles se importavam com ela, mas também sabia que seus pais tinham seus problemas, inclusive o da bebida. Ela não sabia exatamente se eram ou não, mas para Gwendy, seus pais eram alcoólatras daqueles que nem percebiam que eram.
Foi depois da conversa com Sr. Farris e ter recebido a pequena caixa, que as coisas começaram a mudar para Gwendy. Ela estava crescendo e ficando cada vez mais bonita, mais inteligente e se sentindo cada vez melhor também. Mas a grande mudança mesmo que ela notara foi com relação aos seus pais. Eles tinham simplesmente largado a bebida, estavam mais presentes e, para o grande espanto de Gwendy, estavam se amando novamente.

Com as grandes mudanças que estavam acontecendo em sua vida, Gwendy, depois de algumas dúvidas, agora tinha a total certeza de que aquela sua caixa era a grande responsável por tudo o que estava acontecendo. Ela agora sabia que aquela caixa ficaria sempre com ela. Sempre!! Mas.... e os botões?!
Opinião: Pelo que eu me lembro, o último livro que li do grande escritor Stephen King, foi Joyland [que logo será resenhado também, como parte do nosso projeto de leitura do King] logo quando foi lançado. Agora, depois de algum tempo resolvi ler aquele que será lançado por aqui como A Pequena Caixa de Gwendy pela editora Suma.

A escrita não mudou nada e continua sendo fluida, mesmo em conjunto, aconchegante e certeira. A diferença é que nesse livro ou melhor "novela", os extras da escrita ficaram de fora. Em se tratando de King, tenho certeza que ele poderia ter transformado esse pequeno livro de pouco menos de 180 páginas em algo de 800 ou mais, sem nem ao menos piscar. Mas, graças a seja lá quem for, não foi essa a escolha e A Pequena Caixa de Gwendy se tornou um novela enxuta e muito bem escrita, obviamente.

Os autores teceram a vida de uma garota por um período de 10 anos à partir de seus 12 anos quando ela tem um encontro estranho com uma pessoa estranha e que lhe entrega uma caixa estranha. Para quem já é leitor antigo do "mestre", não há como negar uma certa semelhança com "Trocas Macabras", que caso fosse um livro de contos, Gwendy faria parte dele com absoluta certeza.
Porém, as semelhanças, talvez, param por aí. A vida de Gwendy tem uma grande reviravolta que começa logo após ela conseguir a tal caixa. Pequenas mudanças começam a acontecer e outras realmente bem grandes também, e isso faz com que a paranoia de perder a tal caixa aflore na pequena Gwendy, a ponto dela encontrar um esconderijo para o objeto para que ninguém possa tirar dela aquele presente inusitado. 

É interessante ver a evolução da personagem de Gwendy ao longo dos anos, pois os autores tratam de assuntos relacionados a cada fase da idade mostrada na trama. Todos aqueles velhos clichés de crescimento são delineados em Gwendy, mas como não poderia deixar de ser, o perigo é jogado na trama aos poucos e é até previsível, mas quando ele realmente atinge seu ápice, nos toma de uma surpresa que é como se os autores não tivesse "avisado" antes ao longo de toda a história.

A Pequena Caixa de Gwendy não é um livro de terror. É mais crônica da vida comum de crescimento onde podemos encontrar suas mazelas, culpa, raiva, ódio, mas também suas alegrias, amor e redenção. Existem várias situações em que qualquer um de nós pode se espelhar tranquilamente e se solidarizar com Gwendy e suas escolhas. Afinal, crescer e ter que enfrentar escolhas é o caminho de todo ser humano. 
Outra coisa bacana que os autores fizeram nessa história, foi mesclar acontecimentos reais com a vida e as escolhas de Gwendy perante a caixa e seus botões, mostrando que cada escolha, realmente, tem sua ação e reação, mesmo quando não se faz escolha alguma.

A Pequena Caixa de Gwendy é um livro [novela] curto que pode ser lido em uma tarde, mas é uma experiência muito bacana e você acaba se afeiçoando aos personagens dessa pequena história, tanto que quando se chega em seu final ficamos com aquele gostinho positivo de quero mais. Se você gosta de Stephen King, leia sem medo e se você não o conhece e tem vontade, leia, pois ele vai lhe mostrar o porquê de ser aclamado como "MESTRE"! No final das contas, A Pequena Caixa de Gwendy é IMPERDÍVEL!
Sobre o autor: Stephen King é autor de mais de cinquenta livros best-sellers no mundo inteiro. Os mais recentes incluem Revival, Mr. Mercedes, Escuridão total sem estrelas (vencedor dos prêmios Bram Stoker e British Fantasy), Doutor Sono, Joyland, Sob a redoma (que virou uma série de sucesso na TV ) e Novembro de 63 (que entrou no TOP 10 dos melhores livros de 2011 na lista do New York Times Book Review e ganhou o Los Angeles Times Book Prize na categoria Terror/Thriller e o Best Hardcover Novel Award da Organização International Thriller Writers). Em 2003, King recebeu a medalha de Eminente Contribuição às Letras Americanas da National Book Foundation e, em 2007, foi nomeado Grão-Mestre dos Escritores de Mistério dos Estados Unidos. Ele mora em Bangor, no Maine, com a esposa, a escritora Tabitha King.

Richard Chizmar: nasceu em 1965 nos Estados Unidos, é escritor, editor e roteirista. Teve suas obras traduzidas para diversos idiomas e ganhou dois prêmios World Fantasy, quatro prêmios International Horror Guild e o prêmio Horror Writers Association Board of Trustee. Sua terceira coletânea de contos, A Long December, foi publicada em 2016 e recebeu críticas excelentes!

Sobre a edição: Pelo que pude ver, a editora Suma irá manter o padrão do livro como foi lançado nos Estados Unidos, ou seja, capa dura, arte original e com todas as ilustrações da história de Gwendy e sua caixa. O que por si só, já vale a compra. Seu lançamento está previsto para o dia 15 de outubro de 2018. Agora é só esperar e correr para garantir sua cópia.

23 comentários:

  1. QUE CAPA meus amigos QUE CAPA. e ESSA edição limitada é um luxo, é linda demais cara. Eu não sou fão do Stephen king, mas... olha só esse livro cara! dá muita vontade de ler vendo esse seu post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raquel, é muito linda né? Até onde eu sei a Suma vai publicar no formato capa dura também, ou seja, será igual a edição normal deles. Muito bacana. Obrigado pela visita e volte sempre. Beijos.

      Excluir
  2. Nunca ouvir falar desse livro, mas por sua resenha percebi que ele parece ser um livro muito bom! ❤ Amei o post! 💙

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos, vai ser lançado no dia 15/10/2018 pela editora Suma. Eu adorei a história. Espero que goste também. Abraços.

      Excluir
  3. Eu estou aqui na torcida para a editora mandar esse livro pra resenhar hehehee
    Ele está tão bem feito. Adorei a ilustração. Parece que compreende muito a essência da história.
    Amei sua resenha, Jeffa. Nada melhor que ver alguém que conhece e admira o mestre, escrevendo sobre ele!
    Um grande beijo, amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carol, minha querida. Espero que mandem mesmo, pois te conhecendo, sei que vai adorar. Muito obrigado pela palavras. Beijos.

      Excluir
  4. Que interessante, essa parceria poderá nos render um livro um pouco diferente dos que é hábito em King. Não sendo terror pensei em alguma ligação psicológica. Teria sido o tal homem apenad fruto da imaginação da menina e a caixa não ter nada a ver com a melhora de sua vida? Teria sido só coincidência? Fiquei curiosa pra saber.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Patrícia, logo, logo, você vai poder matar essa curiosidade. Obrigado pela visita. Beijos.

      Excluir
  5. Nossa, não sabia desse livro do Rei do terror e já o quero para ontem, preciso lê-lo urgentemente. E depois da sua resenha, minha curiosidade só aumentou. Muito obrigado pela dica. Anotei aqui na minha lista de desejados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gustavo, leia sim. Vai gostar. Estou no aguardo do lançamento para comprar minha cópia física. Muito obrigado pela visita, meu caro. Abraços.

      Excluir
  6. Aposto que a parceria rendeu uma história excelente, lendo a sinopse já ficamos curiosos por conhecer o livro. Aliás, nosso querido e admirado King dificilmente deixa a desejar.
    Abraços! 😊

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amilton, dificilmente ele deixa a desejar mesmo. Espero que goste. meu caro. Abraços.

      Excluir
  7. Já ouvi falar muito bem do Stephen, porém nunca tive vontade de ler nada escrito por ele por não ser o tipo de leitura que eu goste mas essa história me deu vontade de conhecer, por que sua resenha está super bem feita! obrigada pela dica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Muito Mais que Vaidade", muito obrigado pelas palavras. Leia sim, tenho certeza que irá gostar. Beijos.

      Excluir
  8. Oi Jeffa, tudo bem?

    Só li uma obra do King e não se tratava de um terror, então tenho muita vontade de ler outras coisas dele, pois as chances de gostar são bem altas. Gostei muito de saber que não tem essa pegada de terror e que eles vão abordar a vida da garota e suas decisões. Parece realmente ser uma leitura fluida e adoro obras neste estilo, que posso ler em uma tarde. O enredo me agradou e com certeza vou colocar na minha lista!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alice, minha querida, muito obrigado pela visita. Leia sim, pois vai gostar bastante. Beijos.

      Excluir
  9. Oi Jeffa!
    Eu amo Joyland! Foi um livro incrivel do King e sempre recomendo, sempre.
    Gostei muito da premissa do livro, de que a narração da vida de Gwendy nos mostra que toda a ação tem sua reação, mesmo quando não escolhemos nada.
    Não conhecia esse livro do King com o Richard e fiquei bem feliz de saber que a Suma irá publicá-lo em breve, o que me dará chances de conhecer a história, pois estou bem curiosa com essa caixa e como ela mudou a vida de Gwendy, se é que a caixa foi a responsável pela mudança.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, muito obrigado. Eu também gosto demais de Joyland [também será resenhado por mim]. A Suma está prometendo esse livro para o dia 15/10/2018 e já estou na fila para conseguir minha cópia. espero que você goste tanto quanto eu gostei. Beijos e volte mais vezes.

      Excluir
  10. Olá!
    Ahhh como quero ler A Pequena Caixa de Gwendy
    Eu não conhecia Richard Chizmar e vi na Amazon está em pré venda, só não comprei pq o dinheiro tá curto.
    A Capa tá linda, linda! Digna da minha estante de livros que coleciono.
    Amei esse post. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcia, muito obrigado. Logo a Suma vai matar nossa "necessidade"...kkkkk!! Muito obrigado e volte mais vezes. Beijos.

      Excluir
  11. Este livro do King eu não conhecia, e a edição limitada parece está um capricho só.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  12. Oi, Rose. Esse livro vai sair pela Suma no dia 15 de outubro, se não houver atrasos. Eles vão manter a edição normal que para nós já é especial: Capa dura e ilustrada. Vai se preparando que vai ser uma beleza. Muito obrigado e volte sempre. Beijos.

    ResponderExcluir
  13. King sempre arrasa né?.Apesae de nunca ter lido nada dele ainda, só ouço elogios. Vou ficar no aguardo desse livro, eu estava por fora da novidade! Muito bom saber!

    ResponderExcluir