[RESENHA #579] O TEMPO ENTRE COSTURAS - MARÍA DUEÑAS - Saga Literária

Novidades

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

[RESENHA #579] O TEMPO ENTRE COSTURAS - MARÍA DUEÑAS



Título: O Tempo entre Costuras
Autora: María Dueñas
Tradução: Sandra Martha Dolinsky
Editora: Planeta
Páginas: 480
Ano: 2018
ISBN: 9788542211252
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: O maior best-seller de María Dueñas, com mais de 100 mil exemplares vendidos, agora em edição especial com capa dura Sira Quiroga é uma jovem costureira que, na Madri dos anos 1930, se apaixona por Ramiro. Ainda que mal o conheça, decide deixar o país por aquele novo amor. Mas o destino lhe reserva uma série de surpresas, a começar pelo desaparecimento de Ramiro pouco depois de chegarem ao Marrocos. A partir daí a jovem se converte, quase sem se dar conta, numa peça-chave na luta contra o fascismo europeu da ditatura franquista em sua Espanha natal ao nazismo na Alemanha. Comparada a Carlos Ruiz Zafón por sua prosa envolvente e pela imaginação ao combinar fatos e personagens reais com ficcionais, María Dueñas conta em O tempo entre costuras uma aventura apaixonante, na qual os ateliês de alta costura, a sofisticação dos grandes hotéis, as conspirações políticas e as obscuras missões dos serviços secretos se fundem com a lealdade às pessoas próximas e com o poder incontrolável do amor. 


Resenha: Sira Quiroga é uma mulher simples, humilde e bem previsível, ainda muito nova ela aprendeu a costurar com sua mãe, com quem sobrevevia na cidade de Madrid dos anos 1930. Sira era noiva do romântico Ignacio, um homem comum com um emprego comum, tudo em sua vida parecia ter um roteiro, tudo parecia estar traçado, até que o destino dá uma sacudida em sua vida e ela fica completamente apaixonada por Ramiro; ela decide abandonar tudo e todos em Madrid e resolve se mudar para Marrocos no ano de 1936, momento antes de estourar a Guerra Civil Espanhola.

"Em meio à convulsão daqueles tempos, quando as disputas políticas faziam tremer as poltronas dos teatros e os governos duravam três pais-nossos, mal tivemos a oportunidade de chorar o que perdemos. Três semanas depois do advento de nossa inatividade compulsória, Ignacio apareceu com um buquê de violetas e a notícia de que finalmente havia sido admitido [...]" p. 15.
Quando ela chega em Marrocos, tudo é novo e estranho e o que ela não imaginava acontece. Ela tem seus sonhos destroçados e encontra-se completamente sozinha nessa terra e para piorar todo o cenário, ela tem uma dívida que precisa pagar e não há qualquer possibilidade de retornar rapidamente para à Espanha, pois a sua terra natal está enfrentando uma profunda e devastadora Guerra Civil. Sira também precisa lidar com um aborto, a falta de notícias sobre a sua mãe e a solidão que cerca a sua vida.

"Uma voz suave tentou me acordar,  e com esforço imenso consegui entreabrir os olhos. A meu lado percebi duas figuras: borradas primeiro, mais nítidas depois. Uma delas pertencia a um homem de cabelos grisalhos cujo rosto ainda difuso me pareceu remotamente familiar. Na outra silhueta perfilava-se uma freita com uma imaculada touca branca [...]" p. 56.

Inicialmente Sira vai morar na cidade de Tânger, porém ela logo muda para Tetuán e para isso conta com a ajuda de sua nova amiga que é dona de uma pensão, Candelária. É na pensão dessa amiga que ela consegue montar um ateliê voltado para a alta costura. Com o passar do tempo Sira consegue reeguer e reorganizar a sua vida, algo que fora destruído pelo amor. O ateliê de Sira ganha clientes e passa a ser frequentado pela nata local, por pessoas de posses e entre essas pessoas está Rosalinda Fox, uma rica mulher britânica com quem passa a ter estreitas ligações e através dela a sua vida muda novamente em tempos de prenúncio de guerra.
Opinião: Com um texto muito fluente e envolvente, María Dueñas apresenta a história de Sira Quiroga, uma mulher de origem humilde que sofreu em sua vida até conseguir dar a volta por cima e do início até o fim do livro é fascinante acompanhar o desenvolvimento dessa personagem, passando de uma dependente e ingênua adolescente até se tornar uma mulher independente e madura, completamente capaz de tomar decisões por conta própria enquanto molda a sua vida. Rosalinda Fox, Candelária e Dolores são personagens bem construídas, elas são dotadas de características próprias, possuem relevância e dão um charme a mais na história. Dolores é uma mulher forte e determinada e apesar de ter alguns momentos de indecisões, ela é segura em suas escolhas.

O Tempo Entre Costuras é um livro que encanta, é um livro que demonstra muitas mudanças na vida da protagonista, mudanças que também podem acontecer em nossas vidas, pois não sabemos o que o amanhã nos reserva, mas que também nos demonstra a tenacidade e determinação de uma mulher que não abaixou a cabeça e que não desistiu diante das inúmeras dificuldades que a vida lhe reservou e que foi merecedora de todas as vitórias conseguidas. Esse é um livro repleto de referências históricas e culturais, rico em detalhes e só demonstra que a autora realizou uma profunda pesquisa sobre a época, incluindo os conflitos bélicos das décadas de 30 e 40. Esse é um livro maravilhoso e vou ficar com saudades de Sira. O Tempo Entre Costuras é um livro especial. Fica a dica!
Sobre a Edição: A Editora Planeta realizou um trabalho magnífico, a edição é mara e conta com capa dura. A imagem na capa conta com uma linda e elegante mulher, algo que tem tudo a ver com a história. A revisão ficou muito boa e as folhas são amareladas, algo que gosto muito. Essa é uma edição para você ter na sua estante pela beleza que apresenta.
Sobre a Autora: María Dueñas é doutorada em Filologia Inglesa e Professora Titular da Universidade de Murcia, depois de ter exercido em várias universidades norte-americanas. É autora de trabalhos académicos e de muitos projetos educativos, culturais e editoriais. María Dueñas nasceu em Puertollano (Ciudad Real) em 1964, é casada, tem dois filhos e reside em Cartagena. Tempo entre Costuras é o seu primeiro romance.

Nenhum comentário:

Postar um comentário