[RESENHA #583] GRAÇA E FÚRIA - TRACY BANGHART - Saga Literária

Breaking

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

[RESENHA #583] GRAÇA E FÚRIA - TRACY BANGHART


Título: Graça & Fúria
Autora: Tracy Banghart
Tradução: Isadora Prospero
Editora: Seguinte

Páginas: 304
Ano: 2018
ISBN: 9788555340703
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse:
 Duas irmãs lutam para mudar o próprio destino no primeiro volume de uma série de fantasia repleta de romance, ação e intrigas políticas. Em Viridia, as mulheres não têm direitos. Em vez de rainhas, os governantes escolhem periodicamente três graças — jovens que viveriam ao seu dispor. Serina Tessaro treinou a vida inteira para se tornar uma graça, mas é Nomi, sua irmã mais nova, quem acaba sendo escolhida pelo herdeiro. Nomi nunca aceitou as regras que lhe eram impostas e aprendeu a ler, apesar de a leitura ser proibida para as mulheres. Seu fascínio por livros a levou a roubar um exemplar da biblioteca real — mas é Serina quem acaba sendo pega com ele nas mãos. Como punição, a garota é enviada a uma ilha que serve de prisão para mulheres rebeldes. Agora, Serina e Nomi estão presas a destinos que nunca desejaram — e farão de tudo para se reencontrar.

Resenha: Em Graça e Fúria a história gira em torno das irmãs Serina e Nomi. Essa última é irmã gêmea de Renoz e os três vivem com os pais na pequena cidade industrial de Lanos. No país da Viridia as mulheres tem poucos direitos ou quase nenhum na verdade. Ler é algo proibido, os casamentos são arranjados, elas simplesmente não podem escolher o marido ou em que querem trabalhar. As mulheres tem como opções trabalhar como costureira, ser uma Graça ou Aia. Essa última ajuda a graça no que for preciso, já a Graça é selecionada para ter um objetivo: ser submissa ao Superior, o responsável por comandar o país.

O Superior é uma espécie de Rei em Viridia e por seu status e poder ele pode ter quantas Graças quiser. Contudo, a primeira das Graças tem a responsabilidade de ser a mãe do futuro superior e com isso ela tem algumas vantagens em relação as outras mulheres. O Superior é inclusive dono de um palácio e lá há diversas mulheres que possuem um único propósito, serem submissas. É nesse cenário de poucas opções em uma sociedade machista que Serina e Nomi foram criadas com objetivos bem específicos, elas devem se tornar respectivamente Graça e Aia.
"Nomi encarou Serina. Ficava tão linda daquele jeito, com as bochechas coradas de raiva. Era tão mais interessante quando não estava presa a um espartilho e a um sorriso tímido e submisso." p. 17.

É chegada a hora de Malachi, o Herdeiro, começar a escolhar as suas graças, ele vai escolher as primeiras Graças que deverão fazer parte da sua vida e essa é uma honra que mexe com todas as províncias do país que enviam as suas candidatas e é na província industrial de Lanos que Serina Tessaro está se preparando para esse momento importante na sua vida. Ela está em preparação para competir e ser indicada para a função de Graça e a sua irmã deverá acompanhá-la como sua aia. Serina foi treinada por toda a sua vida para ser do lar, ser recatada e bela e ela não vê outro caminho em sua vida a não ser Graça.

"- Acho que muitas mulhers nesta prisão, neste país, vão se rebelar um dia. Meu pai costumava dizer que a opressão não é um estado final. É um peso que se carrega até que não se possa mais. E então ele é removido. Não sem esforço, não sem dor [...]" p. 248.

Enquanto isso, Nomi é uma jovem rebelde e apesar de aceitar com ressalvas o seu papel, ela é contra as tradições e as regras machistas de sua sociedade. Ela é uma mulher corajosa e não sabe como levar a sua vida repleta de restrições e principalmente com a constante vigilância do palácio. Nomi tem sonhos, ela quer estudar, ser livre e ter os mesmos privilégios que o seu irmão gêmeo tem e ela chegou ao ponto de obrigar o seu irmão a ensiná-la a ler, mas esse é um segredo guardado entre eles. Já Serina pelo objetivo de ser Graça poderia aprender a ler, mas diante das diversas tarefas e aprendizados ela não quis. Mas tudo isso ficou no passado quando as duas estavam no grande Palazzo em Belaqua para o primeiro baile onde serão escolhidas as três primeiras Graças do herdeiro.

Esperando pelo início do baile, Serina estava deslumbrante e preparada, mas Nomi estava extremamente nervosa, enquanto queria o sucesso da irmã ela também desejava voltar para a casa e tentando ficar calma, Nomi descobriu uma biblioteca. Sua curiosidade e paixão pelos livros falou mais alta e ela pegou um dos seus livros favoritos, um livro que continha as lendas de Viridia. Mas o que ela não esperava era encontrar o próprio Herdeiro na presença do seu irmão mais novo e esse encontro mudou completamente a vida das irmãs.
Opinião: Graça e Fúria é narrado em terceiro pessoa sob o ponto de vista de Serina e Nomi, os capítulos são alternados entre elas e isso é positivo. A trama narrada por Serina é surpreendente e emocionante e com o passar do livro fica claro o amadurecimento da personagem. Nomi também é uma personagem interessante e tem o seu destaque, mas comete algumas burradas e toma decisões preciptadas. A escolha desses dois polos narrativos deixa a trama ainda mais interessante, pois a autora abre um leque para a participação de outros personagens que demonstram as suas diversas faces.

Tracy apresenta uma trama cheia de reviravoltas, e conta com personagens fortes e determinadas. Existe uma forte crítica a sociedade machista, algo que ainda está presente em diversos países no mundo. Aqui a autora reafirma a força da mulher e a sua importância na sociedade e fica claro o empoderamento feminino. Há também durante a trama um pouco de romance, mas isso fica em segundo plano, pois não é tratado como prioridade para as irmãs, elas tem como prioridade se ajudarem mesmo diante de todas as diferenças e rancor que apresentam entre si. Ainda que essa sociedade apresentada pela autora seja repressora, existem homens que não são cretinos e estão longe de abusar do poder. O final é simplesmente de enlouquecer, eu simplesmente amei. Esse livro é maravilhoso. Fica a dica!
Sobre a Edição: A Editora Seguinte arrasou, a capa ficou linda (eu fiquei completamente apaixonada pela capa e contracapa), sem contar que a diagramação ficou excelente. Os capítulos são curtos e esse é outro diferencial já que facilita a leitura. As folhas são amareladas e apresentam boa gramatura.
Sobre a Autora: TRACY BANGHART cresceu na zona rural de Maryland, nos Estados Unidos. É formada em inglês pelo Davidson College, na Carolina do Norte, e pós-graduada em editoração pela Universidade Oxford Brookes, na Inglaterra. Atualmente, Tracy se dedica totalmente à escrita e viaja o mundo com o marido, o filho e seus animais de estimação.

Um comentário:

  1. Não conhecia esse livro mas fiquei muito interessado justamente por amar um romance histórico, sobre a edição eu concordo com você, a capa e a diagramação ficaram lindas

    ResponderExcluir