[RESENHA #583] GRAÇA E FÚRIA - TRACY BANGHART - Saga Literária

Novidades

7 de dezembro de 2018

[RESENHA #583] GRAÇA E FÚRIA - TRACY BANGHART


Título: Graça & Fúria
Autora: Tracy Banghart
Tradução: Isadora Prospero
Editora: Seguinte

Páginas: 304
Ano: 2018
ISBN: 9788555340703
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse:
 Duas irmãs lutam para mudar o próprio destino no primeiro volume de uma série de fantasia repleta de romance, ação e intrigas políticas. Em Viridia, as mulheres não têm direitos. Em vez de rainhas, os governantes escolhem periodicamente três graças — jovens que viveriam ao seu dispor. Serina Tessaro treinou a vida inteira para se tornar uma graça, mas é Nomi, sua irmã mais nova, quem acaba sendo escolhida pelo herdeiro. Nomi nunca aceitou as regras que lhe eram impostas e aprendeu a ler, apesar de a leitura ser proibida para as mulheres. Seu fascínio por livros a levou a roubar um exemplar da biblioteca real — mas é Serina quem acaba sendo pega com ele nas mãos. Como punição, a garota é enviada a uma ilha que serve de prisão para mulheres rebeldes. Agora, Serina e Nomi estão presas a destinos que nunca desejaram — e farão de tudo para se reencontrar.

Resenha: Em Graça e Fúria a história gira em torno das irmãs Serina e Nomi. Essa última é irmã gêmea de Renoz e os três vivem com os pais na pequena cidade industrial de Lanos. No país da Viridia as mulheres tem poucos direitos ou quase nenhum na verdade. Ler é algo proibido, os casamentos são arranjados, elas simplesmente não podem escolher o marido ou em que querem trabalhar. As mulheres tem como opções trabalhar como costureira, ser uma Graça ou Aia. Essa última ajuda a graça no que for preciso, já a Graça é selecionada para ter um objetivo: ser submissa ao Superior, o responsável por comandar o país.

O Superior é uma espécie de Rei em Viridia e por seu status e poder ele pode ter quantas Graças quiser. Contudo, a primeira das Graças tem a responsabilidade de ser a mãe do futuro superior e com isso ela tem algumas vantagens em relação as outras mulheres. O Superior é inclusive dono de um palácio e lá há diversas mulheres que possuem um único propósito, serem submissas. É nesse cenário de poucas opções em uma sociedade machista que Serina e Nomi foram criadas com objetivos bem específicos, elas devem se tornar respectivamente Graça e Aia.
"Nomi encarou Serina. Ficava tão linda daquele jeito, com as bochechas coradas de raiva. Era tão mais interessante quando não estava presa a um espartilho e a um sorriso tímido e submisso." p. 17.

É chegada a hora de Malachi, o Herdeiro, começar a escolhar as suas graças, ele vai escolher as primeiras Graças que deverão fazer parte da sua vida e essa é uma honra que mexe com todas as províncias do país que enviam as suas candidatas e é na província industrial de Lanos que Serina Tessaro está se preparando para esse momento importante na sua vida. Ela está em preparação para competir e ser indicada para a função de Graça e a sua irmã deverá acompanhá-la como sua aia. Serina foi treinada por toda a sua vida para ser do lar, ser recatada e bela e ela não vê outro caminho em sua vida a não ser Graça.

"- Acho que muitas mulhers nesta prisão, neste país, vão se rebelar um dia. Meu pai costumava dizer que a opressão não é um estado final. É um peso que se carrega até que não se possa mais. E então ele é removido. Não sem esforço, não sem dor [...]" p. 248.

Enquanto isso, Nomi é uma jovem rebelde e apesar de aceitar com ressalvas o seu papel, ela é contra as tradições e as regras machistas de sua sociedade. Ela é uma mulher corajosa e não sabe como levar a sua vida repleta de restrições e principalmente com a constante vigilância do palácio. Nomi tem sonhos, ela quer estudar, ser livre e ter os mesmos privilégios que o seu irmão gêmeo tem e ela chegou ao ponto de obrigar o seu irmão a ensiná-la a ler, mas esse é um segredo guardado entre eles. Já Serina pelo objetivo de ser Graça poderia aprender a ler, mas diante das diversas tarefas e aprendizados ela não quis. Mas tudo isso ficou no passado quando as duas estavam no grande Palazzo em Belaqua para o primeiro baile onde serão escolhidas as três primeiras Graças do herdeiro.

Esperando pelo início do baile, Serina estava deslumbrante e preparada, mas Nomi estava extremamente nervosa, enquanto queria o sucesso da irmã ela também desejava voltar para a casa e tentando ficar calma, Nomi descobriu uma biblioteca. Sua curiosidade e paixão pelos livros falou mais alta e ela pegou um dos seus livros favoritos, um livro que continha as lendas de Viridia. Mas o que ela não esperava era encontrar o próprio Herdeiro na presença do seu irmão mais novo e esse encontro mudou completamente a vida das irmãs.
Opinião: Graça e Fúria é narrado em terceiro pessoa sob o ponto de vista de Serina e Nomi, os capítulos são alternados entre elas e isso é positivo. A trama narrada por Serina é surpreendente e emocionante e com o passar do livro fica claro o amadurecimento da personagem. Nomi também é uma personagem interessante e tem o seu destaque, mas comete algumas burradas e toma decisões preciptadas. A escolha desses dois polos narrativos deixa a trama ainda mais interessante, pois a autora abre um leque para a participação de outros personagens que demonstram as suas diversas faces.

Tracy apresenta uma trama cheia de reviravoltas, e conta com personagens fortes e determinadas. Existe uma forte crítica a sociedade machista, algo que ainda está presente em diversos países no mundo. Aqui a autora reafirma a força da mulher e a sua importância na sociedade e fica claro o empoderamento feminino. Há também durante a trama um pouco de romance, mas isso fica em segundo plano, pois não é tratado como prioridade para as irmãs, elas tem como prioridade se ajudarem mesmo diante de todas as diferenças e rancor que apresentam entre si. Ainda que essa sociedade apresentada pela autora seja repressora, existem homens que não são cretinos e estão longe de abusar do poder. O final é simplesmente de enlouquecer, eu simplesmente amei. Esse livro é maravilhoso. Fica a dica!
Sobre a Edição: A Editora Seguinte arrasou, a capa ficou linda (eu fiquei completamente apaixonada pela capa e contracapa), sem contar que a diagramação ficou excelente. Os capítulos são curtos e esse é outro diferencial já que facilita a leitura. As folhas são amareladas e apresentam boa gramatura.
Sobre a Autora: TRACY BANGHART cresceu na zona rural de Maryland, nos Estados Unidos. É formada em inglês pelo Davidson College, na Carolina do Norte, e pós-graduada em editoração pela Universidade Oxford Brookes, na Inglaterra. Atualmente, Tracy se dedica totalmente à escrita e viaja o mundo com o marido, o filho e seus animais de estimação.

8 comentários:

  1. Não conhecia esse livro mas fiquei muito interessado justamente por amar um romance histórico, sobre a edição eu concordo com você, a capa e a diagramação ficaram lindas

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia o livro, mas gostei da temática. Me parece daqueles livros que a história se passa em uma era medieval, mas as suas criaticas são tão atuais ao nosso tempo

    Www.luartico.com

    ResponderExcluir
  3. Nossa que livro top 👏 Não o conhecia, e parece ser tão bom! Adorei sua resenha ❤

    ResponderExcluir
  4. Oi Mayara, tudo bem?

    Estou com esse livro aqui para ler e sua opinião sobre ele me deixou bem animada para realizar a leitura. Gosto do fato da obra possuir várias críticas, principalmente em relação ao machismo, pois é um assunto que precisa ser debatido sempre. Também gosto de saber que existe um amadurecimento dos personagens e que esta narrativa compartilhada deu certo por mostrar dois polos distintos. As reviravoltas me deixam curiosa e já vou começar amanhã! Parabéns pela resenha!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Adorei a resenha, ela me deixou com a curiosidade muito aguçada. Anotei a dica na minha lista.

    ResponderExcluir
  6. Fiquei curiosa sim de saber o grande final vou colocar na minha listinha pois já quero já ler
    abraços,

    https://keilycesporkeilaluciablog.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Parece uma leitura bem interessante e que reflete ainda muitas culturas espalhadas no mundo. Atual sempre!

    ResponderExcluir
  8. Nossa, como não conhecia esse livro AINDA? Adicionei na minha lista pra ler em 2019, com certeza vou dar uma chance.

    ResponderExcluir

Páginas