[RESENHA #589] O TEMPO DESCONJUNTADO - PHILIP K. DICK

Título: O Tempo Desconjuntado
Autor: Philip K. Dick
Tradução: Braulio Tavares
Editora: Suma
Páginas: 272
Ano: 2018

ISBN: 9788556510662
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: 
Com edição especial em capa dura e projeto gráfico arrojado, uma obra inédita de Philip K. Dick chega ao Brasil, trazendo um retrato único da construção do medo, da desconfiança e da própria realidade. Ragle Gumm tem um trabalho bastante peculiar: ele sempre acerta a resposta para um concurso diário do jornal local. E quando ele não está consultando seus gráficos e tabelas para o trabalho, ele aproveita a vida tranquila em uma pequena cidade americana em 1959. Pelo menos, é isso que ele acha. Mas coisas estranhas começam a acontecer. Primeiro, Ragle encontra uma lista telefônica e todos os números parecem ter sido desconectados. Depois, uma revista sobre famosos traz na capa uma mulher belíssima que ele nunca tinha visto antes, Marilyn Monroe. E para piorar, objetos do dia a dia começam a desaparecer e são substituídos por pedaços de papel com palavras escritas, como “vaso de flores” e “barraca de refrigerante”. A única alternativa que Ragle encontra para descobrir o que está acontecendo é fugir da cidade e de todos esses acontecimentos bizarros, contudo, nem a fuga nem a descoberta serão tão fáceis quanto ele imaginava. 

Resenha: Philip Kindred Dick, também conhecido como PKD foi um escritor norte-americano de ficção científica e teve inúmeras de suas obras adaptadas para o cinema e TV, ele em sua breve vida escreveu mais de 40 romances e contos. No Brasil diversas de suas obras foram publicadas, mas a Suma publicou nesse ano de 2018 o livro "O Tempo Desconjuntado" até então inédito na "Terra Tupiniquim". Estamos no ano de 1959 e conhecemos Ragle Gumm, um homem comum com mais de 40 anos que mora no subúrbio de uma pacata cidade do interior dos Estados Unidos. Apesar da idade, Gumm não é um homem que  conseguiu conquistar a própria independência e por isso mora com a sua irmã e o marido.

"Às sete e meia daquela noite, Ragle Gumm deu uma olhada pela janela da sala e avistou os vizinhos, os Black, se aproximando pela calçada escura, obviamente com a intenção de fazer uma visita. Uma silhueta provocada pela luz do poste atrás deles indicava um objeto na mão de Junie Black, uma caixa ou pacote. Ele resmungou." p. 18.

Gumm é um veterano da Segunda Guerra Mundial e é bem conhecido na região, ele é visto como uma celebridade, matérias foram escritas sobre ele e Gumm inclusive foi capa de revista, tudo isso por ele estar há algum tempo invicto em um concurso que promovido pelo jornal local que envolve cáluclos e foi justamente nesses concursos que ele viu a oportunidade de ganhar a vida, de contribuir com os gastos na casa da sua irmã e também conseguir juntar uma grana.
Na cidade ninguém sabe ao certo o que Ragle Gumm faz para vencer os concursos de forma tão contínua. Para continuar vencendo os concursos e ganhando uma grana do jornal, Gumm treina diariamente, ele passa horas realizando cálculos, estudando tabelas, analisando e reconhecendo padrões de respostas. Enquanto ele passa os dias treinando, o seu cunhado constantemente questiona a sua irmã como ele consegue ter apenas essa atividade em sua vida, como ele consegue apenas utilizar o seu tempo apenas para realizar cálculos e por sua atividade Ragle Gumm é visto como preguiçoso.

Os dias tranquilos de Gumm estão contados, pois ele presencia fatos estranhos ao seu redor e percebe que algumas coisas não estão corretas. Entre as primeiras experiências bizarras ele encontra uma lista telefônica, porém os números parcem estar desconectados. Com tudo piorando e perdendo o controle da sua vida, Gumm dá conta que coisas normais passam a desaparecer de sua vista como objetos ou até mesmo uma simples barraca de refrigentes, esses objetos e instalação dão lugar a pequenos pedaços de papéis com palavras escritas indicando o que havia no lugar.

"Aquele sinal de áudio, sem sombra de dúvida, emanava do campo de pouso próximo dali. Ele reconheceu a voz do operador. O que queria descobrir agora era a natureza do tráfedo aéreo que subia e descia ali. Para onde iam? Passavam por sobre as cabeças deles a uma velocidade alucinante. Que velocidade alcançavam? Por que ninguém na cidade tinha qualquer informação sobre aqueles voos?" p. 123.

Em dúvida sobre o que é real ou não e extremamente confuso, só lhe resta duas opções, primeiro ele precisa descobrir o que está acontecendo ao seu redor e se possível fugir de tudo o que está acontecendo, inclusive fugir da própria cidade em que mora, mas fugir de tudo isso não será uma tarefa simples, pois quanto mais quer e tenta ficar longe das experiências que está ocorrendo em sua vida, pior as coisas estão ficando para ele.
Opinião: Philip K. Dick é um dos maiores nomes da literatura de ficção científica de todos os tempos, foi um autor que recebeu pouca atenção em sua época, ele  foi incrompeendido por alguns em seu tempo e após a sua morte passou a ser amado por muitos, os seus livros são visto por leitores mundo afora como obras-primas, são livros considerados inovadores e atuais, mas que também coneguem perturbam o leitor. Publicado e ambientado em 1959 (auge da Guerra Fria), "O Tempo Desconjuntado" é um livro que apresenta uma trama de fácil compreensão, envolvente, inteligente e bem fluída.

Narrado em terceira pessoa, Dick nos apresenta um protagonista bem construído que enfrenta diversas crises pessoais como de identidade, de idade, vários problemas de relacionamento familiar, mas também precisa enfrentar suas alucinações e um estado que beira a paranoia. Dick explora temas como a realidade e o imaginário questionando a natureza da realidade, tentando discernir o que é real ou uma completa farsa. Também apresenta um pouco de suspense e um toque de distopia, bem sutil e leve.

Podemos dizer tranquilamente que filmes como "Matrix" e "O Show de Truman” se assemelham ao livro de Dick no que tange aos questionamentos sobre a realidade ou mesmo no aspecto de universos distópicos. Dick faz um alerta sobre o quanto o avanço da tecnologia e da ciência podem impactar na vida do ser humano, inclusive como podem dominar totalmente o nosso dia a dia. PKD demonstra um pouco como era a sociedade da sua época que se via envolvida em teorias da conspiração, ao mesmo tempo em que presenciava uma corrida espacial entre os Estados Unidos e a União Soviética. O Tempo Desconjuntao é um livro com várias metáforas e pensamentos insanos, Dick simplesmente nos faz refletir sobre vários aspectos da vida. Super recomendo a leitura de "O Tempo Desconjuntado".
Sobre a Edição: A Suma apresentoa um belo projeto gráfico em "O Tempo Desconjuntado". A edição é em capa dura, a capa é psicodélica e repleta de detalhes e cores, essa ilustração inclusive está de acordo com a trama. A diagramação ficou muito boa, as folhas são amareladas e gosto muito desse detalhe. A revisão ficou boa, a fonte e espaçamento estão confortáveis e seguem um padrão apresentado pela Suma. Em suma (desculpem o trocadilho), a edição está incrível.
Sobre o Autor: Philip Kindred Dick, também conhecido pelas iniciais PKD, foi um escritor americano de ficção científica que alterou profundamente este gênero literário. Apesar de ter tido pouco reconhecimento em vida, a adaptação de várias das suas novelas ao cinema acabou por tornar a sua obra conhecida de um vasto público, sendo aclamado tanto pelo público como pela crítica e tornando-se um ícone da contracultura.

Postar um comentário

9 Comentários

  1. Oiee ^^
    Um resenhista do blog chegou a resenhar esse livro, mas como eu não gosto muito de ficção científica, não me chamou a atenção. Ainda não chama, mas parece ser uma história bem interessante. Eu gosto mais de livros onde as personagens possuem idades próximas à minha - acho que me identifico mais com elas -, e até acho legal quando as histórias possuem essa coisa de misturar realidade com o não real (principalmente quando a gente fica perdido junto ao personagem, sem saber o que é real ou não), mas esse não é bem um livro que me faz pensar AI MEU DEUS PRECISO :/
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Eu acho a capa super intrigante mas como não é o meu estilo de leitura sei que por mais que me chame atenção, vou acabar abandonando por ser ficção científica.
    Ainda assim, gostei bastante de poder ler e conferir suas impressões sobre essa leitura.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  3. Olá, eu já li o livro e estava curiosa para conferir a opinião de vocês. Foi o primeiro que li dele e achei bem bacana a ambientação e os personagens, ainda que tenha terminado o livro com algumas questões em aberto.

    ResponderExcluir
  4. Oi Yvens, não li nada dele ainda, até porquê leio pouco ficção científica. É um gênero que gosto mais nas telonas, confesso. Eu gostei do enredo deste e da forma como você contou o que o acontece no livro. Vou deixar a dica anotada.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  5. Fiquei louca para ler esse livro, por motivos de: é ficção científica (adoro) e você citou O show de Truman, melhor filme da vida!
    Estou muito curiosa agora para conferir a leitura, adorei a resenha!
    beijos

    ResponderExcluir
  6. Esse livro é uma das minhas metas literárias este ano e espero conseguir ler em breve. Adorei o trabalho gráfico e fiquei apaixonada por essa capa. Sua resenha só aumentou o meu desejo pela leitura hahaha <3

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  7. Realmente não fazia ideia da existência dessa publicação! A editora Suma está de parabéns por trazê-la! Ainda não tive oportunidade de ler as obras de Philip K. Dick, mas a curiosidade é enorme! Achei a premissa de O Tempo Desconjuntado muito instigante e pelas comparações que você fez já fiquei mais interessada ainda!

    ResponderExcluir
  8. Ola!!

    Mais uma vez tenho que tirar o chapeu para sua resenha, está simplesmente incrivel! Eu, infelizmente, tenho um serio problema com ficção cientifica. Esse genero não consegue me prender de maneira alguma, uma tragedia, pois essa obra prima parece ser incrivel!

    beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá Yvens, essa é a segunda resenha que leio de um livro do autor e tenho muita curiosidade de ler seus livros *-* Pelos seus comentários o autor conseguiu construir muito bem o protagonista com suas crises e também trabalho bem essa relação do que é real e imaginário *-* Espero ter a chance de ler os livros do autor esse ano <3

    ResponderExcluir