[RESENHA #590] HERÓI NAS HIGHLANDS - SUZANNE ENOCH - Saga Literária

Novidades

20 de dezembro de 2018

[RESENHA #590] HERÓI NAS HIGHLANDS - SUZANNE ENOCH


Título: Herói nas Highlands (#1)
Autora: Suzanne Enoch
Tradução: A. C. Reis
Editora: Gutenberg
Páginas: 272
Ano: 2017
ISBN: 9788582354605
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: 
Será que um soldado inglês é capaz de conquistar o coração da Escócia? Canhões, tiros, cavalarias, armas. O Major Gabriel Forrester adora um combate e não foi à toa que recebeu o título de “Fera de Buçaco” depois de ganhar uma batalha em Portugal. Sem saber se estará vivo no dia seguinte, nunca se importou com nada além de proteger seus aliados e a si mesmo.... Até que a notícia inesperada de se tornar o Duque de Lattimer e dono de uma imensa propriedade nas Highlands escocesas muda tudo o que ele achava já estar traçado para seu futuro. Em sua nova posição, a luta de Gabriel será conquistar a confiança de uma vila de escoceses nem um pouco amistosos, que não estão nada satisfeitos com o fato de ter como duque um antigo soldado inglês. Como se não bastasse, as terras ainda são administradas por uma mulher de língua afiada e corpo perfeito, que parece ser tanto sua salvação quanto sua ruína – e ele está disposto a descobrir em qual das duas categorias ela se encaixa. Com a ameaça de uma maldição nas terras em que nenhum inglês é bem-vindo, o novo duque encontra mais obstáculos do que imaginava. De todas as guerras que já lutou, essa aparenta ser a mais difícil. Afinal, é fácil eliminar inimigos; mas o que fazer quando o objetivo é fazer deles seus aliados? 

Resenha: Gabriel Forrester tinha certeza de uma coisa em sua vida, a de que ele havia nascido para ser um militar. Não para comandar as tropas do alto de um morro, dando ordens à distância e assistindo as baixas, como mandaram que fizesse naquele fatídico dia, mas no meio da guerra, lutando, como realmente tinha feito. O que ele não esperava é que, com a morte de um parente que ele nem mesmo conhecia, se tornaria o único herdeiro. Herdara o título de duque e terras, dentre elas, uma amaldiçoada. 

As terras de Lattimer eram dos escoceses, porém, a Coroa inglesa passou para a posse dos ingleses após a guerra e, então, uma maldição do antigo duque ficou para as futuras gerações: enquanto um inglês não se tornasse um highlander, nada prosperaria. 

"Gabriel estava acostumado à responsabilidade e ao comando, mas possuir uma terra, ser responsável por pessoas que carregavam ancinhos e enxadas, em vez de mosquetes e rifles, era algo tão distante de sua realidade que ele não conseguia nem mesmo ver no seu futuro." p. 71

Muitos Duques ingleses vieram depois, inclusive o parente distante de Gabriel, mas nenhum deles teve interesse nas terras, a não ser para receber seus lucros, que eram mínimos. Só que com a nova posse e a negação do administrador do lugar de fornecer informações sobre as terras, o novo duque decide ele mesmo ir até o local.

É assim que ele descobre que Lattimer é um lugar praticamente falido, pois as catástrofes que ali acontecem são frequentes. A administradora, Fiona, uma mulher dura e que não aceita perder seu posto para um inglês, faz o seu melhor e ainda consegue poucos lucros do lugar... Mas cada vez menos.

"(...) em algum momento, nos últimos poucos dias, ela tinha se tornado uma sereia e ele um marinheiro, que estava no mar há muito, muito tempo e não conseguia resistir ao encantos dela mesmo sabendo que deveria." p. 121

Como um bom militar, Gabriel decide que precisa ajudar o local a se reerguer. Mas ele não nega que grande parte da sua motivação em reerguer o local é Fiona. Ele a deseja desde o primeiro momento e, com o tempo, percebe que o sentimento é recíproco, ainda que ela tente disfarçar.

Só que a maldição existe para piorar os esforços e, junto com ela, o clã de Fiona também deseja comprar Lattimer. Só que ela não tem mais certeza se isso seria o melhor para a terra e seu povo. Ela não tem certeza se Gabriel é mesmo a ruína. Da mesma forma, ele não tem certeza se poderá voltar para o combate, pois na condição de duque tudo mudaria no campo de batalha e ele tinha descoberto uma nova bem nas Highlands. 
Opinião: Não é segredo pra mais ninguém que eu sou apaixonada por romances de época/históricos, não é mesmo? Quando a oportunidade de ler "Herói nas Highlands" surgiu, agarrei com unhas e dentes, porque já estava encantada e curiosa com a trama pela sinopse. O livro estava entre meus desejados. É bem verdade que eu não sou muito fã de romances que acontecem muito rápido e a atração imediata dos personagens me deixou um pouco receosa de início. Mas a atração era apenas isso mesmo, porque o romance mesmo não acontece de uma hora para a outra e isso foi algo que me encantou.

Gabriel é um homem bem "bronco", ele tem pensamentos um tanto rudes, mas, ao mesmo tempo, é uma pessoa muito honrada. Quando conhece Fiona, ela é uma mulher que luta pelo bem de seu clã aparentemente sozinha, já que os líderes dela não lhe dão nenhum crédito, ele não apenas começa a repensar sobre alguns dos seus conceitos, mas também passa a admirá-la de uma forma apaixonante.

"Ela não tinha nem mesmo percebido quão sozinha estava até ele chegar e revirar tudo. Dentre todas as coisas que ela pensou quando Gabriel a tirou daquele atoleiro, não constava que ela encontraria para ele uma colega, amante e amiga." p. 209

O problema maior na trama não é apenas um não querer ceder ao outro. O problema maior são as terras, que estão em uma longa disputa entre nações; e, claro, a maldição que parece bem real, mas que Gabriel não parece acreditar, apesar das provas. 

Tudo é descrito com riqueza de detalhes, mas sem se demorar. Conseguimos caminhas em meio às terras das Highlands e ainda assim acompanhar um momento de sufoco que os seus habitantes estão passando. 

É claro que teremos alguns personagens para odiar, mas teremos outros para amar e ansiar por ver em outra história, como a irmã mais nova de Gabriel, que aparece muito rapidamente, mas que chamou a atenção e eu espero que no segundo livro ela apareça. 

"Amor, Gabriel descobriria rapidamente, não era a emoção mais sábia. Era, contudo, a mais difícil de ignorar. E, ao que parecia, era a mais difícil de provar para uma garota teimosa das Highlands." p. 220

"Herói nas Highlands" é um livro que mistura bem a época em que ele passa com o enredo da história, Suzanne Enoch nos transporta para a Escócia e nos faz ficar apaixonados por lá e por seu inglês "invasor".
Sobre a Edição: Como sempre, a editora Gutenberg trouxe uma diagramação encantadora, com páginas grossas e amareladas, espaçamento e fonte muito confortáveis. A cada novo capítulo os números são destacados com desenhos de flores, passando um ar ainda mais romântico para o livro. Não encontrei erros de digitação ou ortográficos.
Sobre a autora: Natural do Sul da Califórnia, onde mora atualmente, Suzanne Enoch adora filmes quase tanto quanto livros, com um lugar especial em seu coração para qualquer assunto relacionado a Star Wars. Ela escreveu 13 romances históricos, ambientados no período da Regência e em outras épocas, que sempre figuram em destaque nas listas de mais vendidos. Quando não está ocupada trabalhando em seu próximo romance, Suzanne gosta de observar fenômenos interessantes, como o caso dos 3 lebistes de seu aquário, que em 5 meses se transformaram em 161 peixes.

7 comentários:

  1. Oi Fernanda!
    Eu não conhecia o livro, mas como não gosto do gênero romance histórico, é até normal eu não estar por dentro dos lançamentos. Normalmente só conheço aqueles mais populares.
    Achei legal que nesse o romance não é o ponto principal e sim a questão das guerras. Muito legal se passar em Portugal.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Também não curto quando é muito rápido o relacionamento, e que bom saber que esse não é o caso e o romance mesmo ainda é bem desenvolvido na história. Quero muito ler essa obra, adorei sua resenha!
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Assim como você, sou apaixonado por esse tipo de romances, mas nunca li nenhum com personagem escocês, normalmente é todo mundo de Londres, enfim, gostei. Assim como o fato de tudo ser descrito com riqueza de detalhes, mas sem enrolação, isso me anima bastante. Então anoto essa dica, espero conhecer um pouco da Escócia através dessa escrita que te agradou tanto.

    Abraços e feliz 2019.

    ResponderExcluir
  4. Eu conheci a autora no início do ano passado através do livro Como se Vingar de um Cretino e amei! É um romance maravilhoso! Tem tenho dois livros de contos dos quais histórias dela fazem parte, mas essa série das Highlands eu ainda não tive a oportunidade de ler.

    Também não curto muito quando as coisas acontecem rapidamente entre o casal, mas às vezes convence e dá certo.rs E o desenvolvimento do relacionamento entre os personagens costuma mostrar que mesmo as atração ou amor à primeira vista se fortalece ao longo do tempo.

    A maldição existente na história também despertou minha curiosidade.kkkkk... Gosto desse ar sobrenatural.

    ResponderExcluir
  5. Olá, eu gosto muito de romances de época, então é uma leitura que, pelo que li na sua resenha, eu faria. Acho bem interessante cada personagem ser de uma nação, e também essa questão da maldição.

    ResponderExcluir
  6. Eu estou muito curiosa com essa série, acho que vou me apaixonar quando pegar o primeiro volume para ler. Adorei a sua resenha e você só me deixou ainda mais ansiosa para realizar a leitura. Adorei ver um pouco mais sobre a obra através da tua resenha e espero poder ler em breve.

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem?
    Eu li apenas um livro dessa autora e adorei. Comecei a ler esse, mas tive que interromper a leitura, porque precisei passar outros na frente. No entanto, eu pretendo retomar em breve e fico feliz que você tenha gostado. Adorei saber que, apesar da atração imediata que os protagonistas sentem, o romance mesmo é gradual, pois também não curto livros em que o romance surge do nada.
    Adorei a resenha e fiquei ainda mais ansiosa para ler esse livro. Espero poder retomar a leitura em breve.
    Beijos!

    ResponderExcluir

Páginas