[CRÍTICA] VERSÕES DE UM CRIME - Saga Literária

Novidades

9 de janeiro de 2019

[CRÍTICA] VERSÕES DE UM CRIME

Filmes com Keanu Reeves sempre me despertam atenção e acompanho a carreira do ator desde o final dos anos 90, mas nos últimos anos não estou acompanhando muito de perto os seus últimos trabalhos, exceto pelos filmes da franquia De Volta ao Jogo (John Wick). Esses dias a minha namorada viu em algum lugar no instagram um filme que despertou seu interesse e me chamou para assistir, era o filme "Versões de um crime". Eu confesso que não lembrava do filme e quando vi que o ator principal era o Keanu eu logo me animei, pois normalmente os filmes com ele são de boa qualidade.

Dirigido por Courtney Hunt, Versões de um Crime é basicamente um "filme de tribunal", pois boa parte da história ocorre dentro de um tribunal e em um único processo penal. Aqui temos o advogado Richard Ramsey (Keanu Reeves) que defende a família Lassiter e é chamado por Loretta Lassiter (Renée Zellweger) para defender o seu filho Mike (Gabriel Basso) que foi acusado de cometer patricídio (assassinar o próprio pai), Boone Lassiter (Jim Belushi), um rico e renomado advogado. A tarefa de Ramsey não é nada fácil, pois o seu cliente não colabora, ele se recusa a falar com qualquer um após o fatídico evento e para piorar a situação não é somente Mike que tenta ocultar os fatos, a sua mãe também pouco ajuda a esclarecer o assassinato de Boone.

Mike é um adolescente extremamente inteligente e desde a infância demonstrou profundo interesse por assuntos e temas ligados ao direito; ainda na infância ele frequentou alguns acampamentos forenses e chegou ao ponto de solucionar um caso envolvendo um cachorro que foi envenenado na região onde mora. Por ter um pai advogado, ele aprendeu muito rápido diversos macetes e artimanhas da profissão e por isso o seu futuro tinha tudo para ser repleto de conquistas, ele inclusive tinha a possibilidade de ir para uma faculdade super renomada. Loretta é uma mãe e esposa dedicada, mas por não ter um diploma em nível superior sempre foi tratada com desdém por seu marido e inclusive sofria abusos físicos dele, isso era algo que incomodava Mike profundamente.

Aliado à falta de informações, Ramsey ainda precisa lidar com o juiz e promotor que querem a rápida resolução do processo, bem como com o desinteresse das forças policiais em tentar descobrir se há ou não outros suspeitos do crime. Ramsey está às cegas e baseia a sua defesa através de informações prestadas por testemunhas durante a própria audiência. Essas testemunhas são pessoas que tiveram contato com pai e filho em diversas ocasiões nos meses que antecederam o crime, ou seja, nós conhecemos a relação entre pai e filho por meio de flashbacks. Mesmo defendendo o seu cliente às cegas, Ramsey tenta à qualquer custo conseguir uma absolvição para Mike. Durante o processo Mike resolve se abrir e ele faz uma revelação estarrecedora que é capaz de mudar os rumos do processo.
Opinião: Versões de um Crime tem uma narrativa que prende a atenção do telespectador e em alguns momentos me deixou pensando quem realmente era o culpado pelo assassinato devido a falta de informações. A história é contada por meio de flashbacks e isso é bem legal, pois nos permite conhecer melhor o ambiente em que Mike viveu, como era a sua relação com seus pais e a da própria família entre si. Existe também uma narração em off realizada por Ramsey que é o advogado da família e lembra muito narrações que estão presente em romances policiais.

Loretta é uma personagem misteriosa e pouco conhecemos sobre a vida dela, o pouco de brilho nela no filme é por causa da atriz Renée Zellweger, pois acho que ela foi pouco explorada. Gugu Mbatha-Raw vive a advogada Janelle que em determinado momento entra como advogada auxiliar de Ramsey. Janelle carrega um drama pessoal e teve a sua carreira profundamente afetada, mas mesmo com todos problemas pessoais a personagem foi pouco explorada e isso deixou a atuação de Gugu sem brilho. Versões de um Crime é um bom filme, não tem nada de espetacular, mas também não deixa a desejar. É um filme que todos podem assistir, não há necessidade de ter conhecimento jurídico, ainda mais um conhecimento sobre como funciona o sistema jurídico dos Estados Unidos. O legal do filme é que algumas teorias são apresentadas para tentar explicar o que aconteceu no seio da familia Lassiter. É um filme que vale assistir.

11 comentários:

  1. Tudo bem? Ainda não assisti, mas quero assistir. Gostei de ler suas impressões e já tinha salvo o título. Costumo curtir muito a atuação do Keanu Reeves.
    Depois que eu assistir comento melhor o que eu achei. Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Eu também assistia tudo do ator desde Velocidade Máxima por acha-lo lindo, mas depois acabou que eu não via mais nada interessante dele. Eu não tinha ouvido falar deste filme e agora já quero assistir. Valeu pela dica.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Não sou muito fã do autor, vi poucos filmes com ele e esse em especial não me chama muito a atenção. Achei a premissa bacana, mas não é um filme que eu pararia para ber sabe? Tô na vibe mais de heróis ou adaptações de livros. rsrs

    ResponderExcluir
  4. Também deixei de acompanhar a carreira de Keanu Reeves nos últimos tempos... Nem sabia desse filme! Não sou muito afeita a filmes "de tribunal", então, não me interessei muito pela trama. Fiquei chocada mesmo com o quanto a Reneé Zellweger está diferente! O_O

    ResponderExcluir
  5. Adorei essa indicação.
    Assim como você, sou fã do trabalho do ator há muitos anos, mas esse ainda não assisti. Vou ver se tem na TV a cabo!!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  6. Olá!

    Ainda não tive a oportunidade assisti, mas gostei das suas impressões sobre ele, porém, ele já esta na minha lista para maratona esse ano, espero gostar.

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Eu gosto dos trabalhos do ator, apesar de ter um tempo que não assista nada com ele ultimamente.
    Parece ser um bom filme, fiquei curiosa para conhecer mais do desenrolar do filme.
    Obrigada pela dica!
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  8. Oi! Como eu nunca tinha ouvido falar nesse filme? Eu também sou muito fã do Keanu, e gosto de acompanhar os trabalhos, mas pelo visto nem tanto, >.< Adoro esse ambiente de tribunal, e a maneira como ele sabe interpretar um advogado ajuda demais. Vou correndo procurar pra assistir! Obrigada pela dica!


    Bjoxx ~ http://www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Adoro filmes nesse estilo, mas, antes de ler sua postagem, não tinha visto nada sobre ele.
    Acho muito legal quando um filme passa a ideia de termos dúvida sobre quem é o culpado e já tentei imaginar qual a solução para esse filme.
    Vou super anotar a dica!
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oi, Yvens!
    Gosto bastante desse filme pela forma como a trama vai se desenrolando - apesar de não gostar muito de filmes sobre julgamentos, sempre assisto todos os que aparecem haha. Acho que todo mundo gosta de acompanhar os filmes do Keanu porque né, é o Keanu e ele tem um sele de qualidade imbutido em quase tudo o que faz. Achei meuito legal ler sua crítica porque fazia um bom tempo desde a última vez que assisti e já nem lembrava mais direito de algumas coisas hahaha
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Oi tudo bem?
    Faz bastante tempo que não vejo nenhum filme dele, gostei bastante da proposta e o desenvolvimento da trama parece ser bem satisfatorio, fiquei bem curiosa para saber como ele irá solucionar isso.
    bjos
    Pah
    Lendo e Escrevendo

    ResponderExcluir

Páginas