[RESENHA #592] A HORA DO LOBISOMEM - STEPHEN KING

Título: A Hora do Lobisomem
Autor: Stephen King
Tradução: Regiane Winarski
Editora: Suma
Páginas: 152
Ano: 2017
ISBN: 9788556510402
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: O primeiro grito veio de um trabalhador da ferrovia isolado pela neve, enquanto as presas do monstro dilaceravam sua garganta. No mês seguinte, um grito de êxtase e agonia vem de uma mulher atacada no próprio quarto. Agora, a cada vez que a lua cheia brilha sobre a cidade de Tarker’s Mill, surgem novas cenas de terror inimaginável. Quem será o próximo? Quando a lua cresce no céu, um terror paralisante toma os moradores da cidade. Uivos quase humanos ecoam no vento. E por todo lado as pegadas de um monstro cuja fome nunca é saciada. Um clássico de Stephen King, com as ilustrações originais de Bernie Wrightson. 


Resenha: Publicado originalmente em 1983 sob o título de "Bala de Prata", "A Hora do Lobisomem" é o primeiro volume da coleção Biblioteca Stephen King  e foi publicado pela Editora Suma no ano de 2017. Essa coleção vai contar com títulos considerados raros (atualmente conta com quatro títulos) do grande mestre do terror moderno. Nesse romance o autor aborda uma criatura que há tempos vive na cultura e no imaginário popular, o Lobisomem ou Licantropo, que é a junção das palavras lobo (Lykos) com homem (Anthrõpos). A origem desse ser está ligado diretamente à mitologia grega.

King nos leva para a pequena e pacata cidade de Tarker's Mills, porém os dias de tranquilidade do local estão terminando. Durante a primeira lua cheia do mês de janeiro, Arnie Westrum, um sinaleiro da Ferrovia GS&WM ficou preso no pequeno barracão de ferramentas da empresa. Enquanto espera a forte nevasca passar, ele aproveita o tempo vago para jogar paciência, contudo, começa a ouvir estranhos sons, mas credita esses sons ao forte vento. Mas o vento não para e muito menos arranha a porta, então ele crê que o cachorro de alguém está perdido e quer apenas fugir do frio, mas para a sua surpresa um forte lobo arrebenta a porta do balcão e parte para o ataque.

"Uma criatura chegou a Tarker's Mills, tão sorrateira quanto a lua cheia presidindo o céu noturno. É o Lobisomem, e não há mais motivo para o surgimento dele do que haveria para a chegada de um câncer ou de um psicótico com intenções assassinas ou de um tornado devastador. A hora dele é agora, o lugar dele é aqui, nesta pequena cidade do Maine, onde jantares de caridade na igreja são um evento semanal, onde garotinhos e garotinhas ainda levam maçãs para as professoras [...]" p. 17.
Em fevereiro a lua cheia dá as caras e novamente e uma moradora de Tarker's Mills é vitimada pelo lobisomem, a morte é cruel e brutal, e a vítima da vez é Stella Randolph, dona do Set'n Sew. Seu sonho era ter um namorado e ela chegou ao ponto de escrever cartas de amor no Dia dos Namorados para se presentear. Em Tarker's Mills muitos debocham dela e as crianças fazem piadas por ela ser gorda, mas Stella nunca ligou, ela só queria um namorado e é na noite enluarada que ela vê parado na entrada da sua loja um homem que acreditava ser o amor da sua vida, mas que na verdade era o terrível lobo dando as caras.

"Mas quando os dedos gorduchos tocam no caixilho frio da janela, ela vê que não é um homem; há um animal lá fora, um lobo enorme e peludo, as patas da frente apoiadas no parapeito, as de trás encolhidas na neve que se acumula naquele lado da casa, aqui nos arredores da cidadã." p. 25.

Com o passar dos meses, muitos na pacata cidade de Tarker's Mills acreditam que essas mortes brutais tem como responsável um lobisomem, mas muitos não acreditam que um ser mitologico e sobrenatural possa estar por trás dos terríveis assassinatos. A única coisa certa na cidade é que o pânico está aumentando, o medo e o desespero está presente no ar; ninguém está a salvo da criatura e qualquer um dos moradores da pequena cidade pode ser a próxima vítima desse ser misterioso. A cidade simplesmente fica refém nas mãos de uma criatura cruel e sedenta por sangue e carne fresca, e com a chegada da lua cheia é possível ouvir uivos aterrorizantes, quase como se fossem gritos humanos, mas que assombra todos.
Opinião: A Hora do Lobisomem é um livro curto e de rápida leitura, é provável que você consiga ler em menos de duas horas, apesar disso é bem envolvente. O mais interessante é que King dissolveu a história nos doze meses do ano e essa escolha foi para dividir e representar os doze brutais ataques que ocorreram. King nos apresenta diversos personagens e mesmo que cada um deles tenham breves momentos durante a narrativa, eles conseguem ser marcantes durante a história. Gostaria de destacar o personagem do reverendo Lowe e sua falta de capacidade de reconhecer em si os defeitos que reconhece no seu rebanho, o que demonstra a sempre presente crítica a religiosidade em grande parte de suas obras, e Stella Randolph com a sua necessidade de amar e ser amada, que demonstra outra particularidade da gama de personagens que Stephen King criou ao longos dos anos, a excluída.

Esse é um livro bem legal de terror e, King não poupa brutalidade e sangue nas mortes. Ele descreve muito bem esses momentos de horror e demonstra de forma magistral o instinto e a natureza do lobisomem, criatura essa que ataca as suas vítimas com extrema ferocidade e que não demonstra ter qualquer traço de piedade. King também toca em dois pontos que está em nossas vidas, a fé e a supertição, pois muitos habitantes levam a crer que o lobisomem nada mais é que um mito, uma superstição daqueles de pouca fé. Alguns dos moradores buscam na bíblia e na regilião explicações e justificativas para essas mortes brutais e misteriosas. A Hora do Lobisomem foi uma leitura prazerosa e fiquei querendo mais, é uma pena que esse romance tenha ficado tão curto. Eu super recomendo essa leitura, é muito boa!
Sobre a Edição: A Editora Suma está de parabéns pelo projeto gráfico apresentado, a edição é simplesmente linda e muito caprichada, sem sombra de dúvidas uma das mais requintadas que tenho em minha coleção. Essa é uma edição em capa dura, as folhas são amareladas e possuem boa gramatura. A revisão ficou muito boa, a fonte e o espaçamento estão super confortáveis e o melhor de tudo é que o livro conta com várias ilustrações que retratam a história. Ainda temos a participação de quatro ilustradores brasileiros nessa obra.
Sobre o Autor: Stephen King era um leitor fanático dos quadrinhos EC's horror comics incluindo Tales from the crypt, que estimulou seu amor pelo terror. Na escola, ele escrevia histórias baseadas nos filmes que assistia e as copiava com a ajuda de seu irmão David. King as vendia aos amigos, mas seus professores desaprovaram e o forçaram a parar. De 1966 a 1971, Stephen estudou Inglês na Universidade do Maine em Orono, onde ele escrevia uma coluna intitulada "King's Garbage Truck" para o jornal estudantil, o Maine Campus. Ele conheceu Tabitha Spruce lá e se casaram em 1971. O período que passou no campus influenciou muito em suas histórias e os trabalhos que ele aceitava para poder pagar pelos seus estudos inspiraram histórias como "The Mangler" e o romance "Roadwork" (como Richard Bachman).

Postar um comentário

7 Comentários

  1. Essas edições da Suma são perfeitas! Quero muito essa coleção, gostei bastante dessa resenha de A Hora do Lobisomem, mal posso esperar pra ler!

    ResponderExcluir
  2. Nossa fiquei bem curiosa por esse livro, literatura clássica sobre ser mitológico é uma das melhores combinações que existe.

    https://www.luartico.com/

    ResponderExcluir
  3. Mais uma ótima resenha! Parabéns! =D
    Apesar de não gostar muito da escrita de King, sempre tive curiosidade de ler A Hora do Lobisomem. Nesse momento, porém, acabei de terminar a primeira temporada da série Grimm e, cara, tem morte brutal para caramba ali! O_O Então, vou deixar a dica anotada para o futuro.

    ResponderExcluir
  4. Nossa essa resenha ficou muito bem explicada, me deixou bem curiosa para ler

    ResponderExcluir
  5. Oi Yvens, tudo bem?

    Do King só li "A Incendiária", que nem mesmo é um terror, mas gostei bastante. Esse livro parece ser simplesmente maravilhoso e gostei de saber que mesmo curto, ele parece abordar bem todo o núcleo de personagens. Também gosto bastante do fato dele abordar estas críticas religiosas, com certeza isto faz o enredo se tornar mais atraente para algumas pessoas. Dica anotada!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Ei, sempre quis ler os livros do King, adorei a indicação.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Li ano passado e gostei bastante. O mestre domina. EU estou terminando de ler uma coletânea de contos dele e é realmente inspiradora.

    ResponderExcluir