[RESENHA #597] VOX - CHRISTINA DALCHER


Título: Vox
Autora: Christina Dalcher
Tradução: Alves Calado
Editora: Arqueiro
Páginas: 320
Ano: 2018

ISBN: 9788580418897
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: 
Uma distopia atual, próxima dos dias de hoje, sobre empoderamento e luta feminina. “Uma recriação apavorante de O conto da Aia no presente e um alerta oportuno sobre o poder e a importância da linguagem.” – Marta Bausells, ELLE O SILÊNCIO PODE SER ENSURDECEDOR #100PALAVRAS O governo decreta que as mulheres só podem falar 100 palavras por dia. A Dra. Jean McClellan está em negação. Ela não acredita que isso esteja acontecendo de verdade. Esse é só o começo... Em pouco tempo, as mulheres também são impedidas de trabalhar e os professores não ensinam mais as meninas a ler e escrever. Antes, cada pessoa falava em média 16 mil palavras por dia, mas agora as mulheres só têm 100 palavras para se fazer ouvir. ...mas não é o fim. Lutando por si mesma, sua filha e todas as mulheres silenciadas, Jean vai reivindicar sua voz. 

Resenha: Eu particularmente gosto muito de ficção científica e a distopia é um dos diversos subgêneros que a ficção científica tem como características apresentar governos totalitários, mas também um fundamentalismo religioso marcante. Ambientando nos Estados Unidos em um futuro não muito distante, em Vox conhecemos Jean McClellan, atualmente mãe e dona de casa, ela era uma cientista neurolinguística, mas após a ascesão de um partido ultraconservador de extrema-direita ao poder, ela vê a sua vida mudar radicalmente. Mas não é somente a vida de Jean que muda e sim de todas as mulheres que fogem do ideal "Puro", todas elas  sofrem com a opressão desse novo governo.

"Se alguém me dissesse que um dia eu seria capaz de derrubar o presidente, o Movimento Puro e aquele merdinha incompetente do Morgan LeBron na mesma semana, eu não acreditaria, Mas também não questionaria. Não diria nada." p. 7.

Jean ainda se recrimina profundamente por não ter percebido o desenrolar da ascensão do partido da extrema-direita e olha que ela participou de passeatas e eventos com a sua amiga Jackie, uma feminista engajada em diversas causas. Mas quando o partido da extrema-direita assumiu o poder, já era tarde para protestos, pois as mulheres tiveram seus passaportes revogados, elas foram demitidas dos seus empregos e até mesmo foram impedidas de ter contas bancárias. As mulheres foram perdendo seus direitos e garantias individuais de forma rápida e sem qualquer direito a ampla defesa.
Agora, essas mulheres precisam enfrentar uma dura e triste realidade, elas não podem trabalhar fora de casa, os estudos e acesso ao conhecimento são restritos e voltados apenas ao que concerne o lar. Essas mulheres devem ser submissas, obedecer aos seus maridos e elas só podem falar até 100 palavras ao longo do dia. Esse controle ocorre por meio de um bracelete afixado no pulso delas e se esse limite é extrapolado um choque é desferido e vai aumentando de intensidade.

É nesse cenário extremamente opressivo que Jean precisa pensar em cada palavra que vai falar, ela tem suas emoções e vontades controladas e suprimidas, pois ela não pode se expressar, ela não pode ao menos xingar e a sua maior preocupação é com a sua filha mais nova, como ela vai se desenvolver e como ela vai desenvolver a sua fala. Jean sabe que essa limitação e a falta de estímulos poderá e deverá afetar o desevolvimento da sua filha, tendo em vista que ela atuou como neurolinguista, sabe muito bem o que está falando.

Para piorar toda a situação de Jean, o seu marido Patrick é um médico integrante da elite do governo ultra-conservador e isso causa nela um certo desgosto. Patrick trabalha arduamente, diariamente ele cumpre entre dez e doze horas de trabalho por dia, e com a proibição do trabalho para as mulheres, os homens ficam sobrecarregados. Uma oportunidade surge para Jean sair de sua casa quando o irmão do presidente sofre um acidente e tem a sua capacidade de falar afetada.

"Patrick se mexe ao meu lado, e eu me levanto. Na cozinha, pego a velha macchinetta num armário, comprimo pó para espresso no cpoinho perfuro e encho a parte de baixo com água antes de colocar sobre fogo baixo no fogão. São quase cinco da manhã e não vou dormir mais." p. 75.

Jean é convocada pelo governo que vê nela a única pessoa capaz de ajudar o irmão do presidente e o mesmo está disposto a realizar concessões para ela e sua família caso ela aceite trabalhar em um projeto que elabore uma cura. Jean fica dividida, por um lado ela não quer trabalhar para esse governo, por outro lado ela terá uma licença especial, sendo possível trabalhar e falar o quanto quiser, ela acredita que essa oportunidade é de ouro, ela vê uma chance de lutar por todas as mulheres que foram caladas, por todas as mulheres que tiveram as suas vozes silenciadas.
Opinião: Christina Dalcher apresenta um enredo muito bem construído diga-se de passagem e ela lança mão de elementos e aspectos diversos em sua trama como religiosos, filosóficos, linguísticos, mas também aborda aspectos como direitos e liberdades individuais. Eu na condição de homem não teria como ficar indiferente ou insensível as "novas" condições que foram impostas as mulheres desse Estados Unidos distópico, pois são condições opressivas, desumanas e desiguais. Quando eu digo "novas" condições, digo pelo simples fato de que em muitas sociedades tanto do presente quanto passado as mulheres  precisam e precisaram enfrentar situações semelhantes, situações que foram relegadas como seres humanos de segunda classe, com poucos ou quase nenhum direito.

Outro aspecto positivo além do enredo é a narrativa. A autora optou pela narração em primeira pessoa sob a ótima de Jean e dessa forma o único ponto da história toda é o dela. Essa foi uma opção acertada, tendo em vista que as mazelas são sofridas pelas mulheres e nada mais justo que Jane nos conte tudo sobre esse cenário opressor dominado pelos homens e ela faz isso através de suas lembranças e pensamentos. Chirstina Dalcher colocou um ritmo frenético em sua narrativa, várias coisas acontecem e em certos momentos tudo é muito rápido, mas isso só serviu para me deixar ainda mais curioso sobre o desenrolar dos fatos.

Quero ressaltar que os capítulos são curtos e isso contribuiu para uma rápida leitura. Vox é um belo livro distópico e nos proporciona vários momentos de reflexão, além do mais é uma leitura instigante, perturbadora e em certos momentos sufocante. Em suma, adorei conhecer a escrita da autora, adorei a leitura, mas as últimas dezenas de páginas eu achei que a autora perdeu um pouquinho a mão na história, contudo isso não tira o brilho do livro. Por fim, é inegável que há semelhanças entre Vox e O Conto de Aia, mas em Vox existem elementos mais reais, próximos do que vivemos nos dias atuais. Ainda não há previsão para o lançamento dos próximos volumes. Recomendo a leitura de Vox!
Sobre a Edição: A Editora Arqueiro realizou um belo projeto gráfico em Vox, simples e ao mesmo tempo elegante. A capa é bonita e consegue dizer um pouco sobre o enredo e o que podemos esperar. Outros aspectos que cabe ressaltar são a diagramação e a divisão de capítulos, em ambos casos a editora realizou um ótimo trabalho. As folhas são amareladas e no geral eu gostei muito da edição apresentada!
Sobre a Autora: Christina Dalcher é linguista e professora universitária com doutorado pela Universidade de Georgetown. Seus contos figuraram em mais de 100 publicações ao redor do mundo. Ganhadora de diversos prêmios, foi finalista do Bath Flash Award e indicada ao Pushcart Prize. Ela vive em Norfolk, Virgínia, com o marido.

Postar um comentário

44 Comentários

  1. eu quero MUITO ler esse livro! parece um absurdo, mas é bem atual mesmo.
    eu gosto muito de distopias e faz tempo que não leio uma. interessante saber que há semelhanças com O conto da aia, mas que esse é mais próximo da realidade (nem sei se isso é bom ou ruim né :x).
    ótima resenha!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  2. Olha, eu estou morrendo de curiosidade com esse livro, eu acho que vai ser uma leitura muito interessante e adorei ler a sua resenha. Gosto muito de livros com essa temática e os assuntos abordados no livro são muito importantes. Espero poder ler o livro em breve.

    ResponderExcluir
  3. Tudo bem? Li esse livro assim que lançou. Gostei muito. Trás um enrero atual e com boas reflexões.

    ResponderExcluir
  4. Oiiii,

    Eu estou louca para ler este livro, acho a premissa dele incrível! Distópico e ao mesmo tempo tão real! Achei legal que você quanto homem tenha se sentido tocado e não tenha conseguido ficar alheio a situação apresentada no livro. Eu acho a ideia desta obra genial por diversos motivos e mal posso esperar pelo momento em que finalmente vou conseguir ler.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  5. Oiii
    Estou louca para ler esse livro, menino. Fiquei apaixonada pela sua resenha e gostei muito das situações abordadas na obra, no qual se motivam a querer ler mais e mais, ótimo post e lindas fotos.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Este livro causou grande impacto no mercado literário. Realmente não poder falar muito é uma questão que aborda inclusive, o nosso cotidiano já que muitas pessoas falam e não são ouvidas. E acredito que desta forma podemos conseguir ler mesmo que de forma distópica uma realidade.

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Quero muito ler esse livro, mas ainda não tive a chance, além de ser uma distopia nos passa também a luta de uma mulher para livrar as outras e a própria filha do poder dos homens de viver sem ter voz ativa, me comovi com sua resenha parabéns!

    ResponderExcluir
  8. Olá

    Vox tem muitas similaridades com O Conto da Aia porque fala que sempre que há guerras políticas e econômicas e os direitos das mulheres sempre são questionados e tirados e não por acreditamos que somos fracas, mas perigosas.
    Estou louca para ler Vox e pretendo ler em fevereiro.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem?!

    Então, primeiramente quero pedir desculpas por não ter lido sua resenha por motivos de que talvez tenha spoiler e eu tô lendo esse livro neste exato momento, então vou falar do que tô achando até agora.

    Eu tô gostando, não é uma leitura que eu consiga passar horas lendo, chega uma hora que cansa, mas é um livro bem pesado e politico, tô ansiosa pra terminar ele <3

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Eu estou doida para ler esse livro, não vejo a hora de tê-lo em mãos. Espero em breve adquirir.
    Nunca li esse gênero, mas com certeza vou conhecer com esse livro.
    Imagino que deve ser um livro bastante forte e intenso, gosto de leituras assim.
    Amei conhecer sua opinião sobre, beijos!

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bem?
    Eu não costumo ler distopias e ficções cientificas, mas quando li a sinopse desse livro fiquei muito animada, porque é uma trama atual e também porque é sobre luta feminina. Assim como você achei o enredo muito bem construído e foi desesperador ler a história, me senti apavorada com tanta coisa que li e vi semelhança com a nossa realidade. Eu ainda não li "O conto da Aia" que foi meio que a inspiração de Vox, mas pretendo ler, porque adorei a série. Enfim, fico feliz em ver que você também gostou da leitura.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  12. Esse livro é o número um na minha lista de desejados do momento! Só leio elogios a ele, quero lê-lo demais.

    Amei o seu post ♥️ Só me deixou com mais vontade de ler

    ResponderExcluir
  13. Eu ainda quero ler O Conto de Aia e sai mais esse livro, assim não dou conta rsrs. Achei o enredo desse livro magnifico e um tanto quanto perturbador se levarmos em conta a nossa situação atualmente. Fiquei curiosa para saber se Jean aceita essa oferta do governo, então acho que preciso urgentemente ler esse livro e o da Aia também.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  14. Oi Yvens, tudo bem?
    Queria saber sua opinião sobre o livro, e como sempre muito bem colocada e argumentada. Esse livro tem tudo para me agradar, primeiro por ser distopia, gênero que aprecio e segundo pela crítica social que levanta. Como você mesmo disse, não há como ficar insensível ao que milhares de mulheres já enfrentaram e continuam enfrentando, mulheres essas representadas nessa ficção. Não vejo a hora de ler.
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  15. Oiii Yvens

    Eu adoro distopia, mas ultimamente ando meio chata, seleciono mais o que leio em distopia pois achei que vários livros repetiam demais a fórmula dos Jogos Vorazes e outros famosos. Vox é um livro que está nos demus desejados desde que publicou justamente por ser diferente, por possuir aspectos mais reflexivos e maduros, personagens que me parecem mais elaborados e complexos também. Eu amo O Conto da Aia, e espero me encantar também por Vox.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  16. Olá, tudo bem? Ah que bacana sua opinião. Também fã de universos distópicos, confesso só não ter lido ainda o livro por saber que tem próximos volumes a serem lançados. Espero mudar isso em breve, pois só vejo elogios bons por ai, assim como o seu. Adorei!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Oi Yvens!
    O conto de Aia está entre as minhas próximas leituras, e estou bem ansiosa. Faz poucos dias que vi pela primeira vez, algo sobre Vox, e na altura já fiquei super curiosa em realizar a leitura. Mas agora, depois de ler tua resenha, sinto que preciso fazer algumas alterações nos meus desejados e acrescentá-lo o quanto antes.
    Parabéns pela resenha, beijo!

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    Eu li O conto de Aia e desde então tenho procurado leituras semelhantes, por isso já vou a procura de Vox!
    Sua resenha como sempre impecável! Obrigada pela dica. Bjs

    ResponderExcluir
  19. Olá!
    Essa foi uma leitura muito impactante e cheia de reflexões. Gostei demais de como a autora aborda questões políticas e a importância sobre se ter voz na sociedade.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  20. Interessante o fato da protagonista ser atuante na área de neurolinguística, contudo, achei a premissa da história muito semelhante a O Conto da Aia, então, fiquei com a opinião dividida.
    Parabéns por mais uma ótima resenha!

    ResponderExcluir
  21. Oi, tudo bem?
    Eu estou ansiosa para ler esse livro desde que ele foi lançado. Acredito que é o tipo de leitura que, por mais que apresente uma realidade distópica, traz reflexões muito pertinentes sobre a nossa sociedade atual. Assim, achei o enredo muito interessante e gostei de saber que a trama foi bem construída pela autora. Só achei uma pena ela se perder um pouco, mais para o final do livro, mas fico feliz que isso não tire o brilho da obra.
    Adorei a resenha e espero conseguir ler esse livro em breve.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  22. Oi Yvens, sua resenha ficou ótima. Essa é uma leitura que quero muito fazer, especialmente por essa distopia ter vários elementos que infelizmente se apresentam em menos escala na sociedade atual.

    ResponderExcluir
  23. Achei o livro Vox bastante interessante, gosto muito de livros que falam sobre os direitos da mulher, as mulheres foram e ainda são impedida de fazerem muitas coisas, o livro é magnífico, gostei muito da resenha, abraços.

    ResponderExcluir
  24. Oi, tudo bom?
    Acho que já li algo sobre esse livro por aí, o título não me é estranho.
    Acredito que, caso eu fosse fazer uma leitura, iria ler na base do ódio pela trama haha. A premissa é bem interessante e a história parece bem construída. Os capítulos serem curtos é um ponto bem positivo.
    Até mais o/

    ResponderExcluir
  25. Eu ainda nào havia ouvido falar sobre o Livro Vox, mas de O conto de Aia sim. A história parece ser bem envolvente. Eu gosto muito da temática de ficção científica em livros. Gostei da resenha tbm.Nao conhecia a autora.

    ResponderExcluir
  26. Eu li essa obra, mas ela deixou um pouco a desejar para mim. No meio da história, a narração muda por completo e o enredo toma outro caminho e o que estava sendo falado praticamente é encerrado. E novos personagens entram sem ter muita necessidade. Sei lá, a escritora parece que se precipitou nos acontecimentos.

    ResponderExcluir
  27. Fiquei muito curiosa para conhecer a escrita da autora e para saber o que acontece com essas mulheres no decorrer da trama. A obra tem muitos pontos positivos, que bom! Quero ler, também, O Conto Da Aia.

    ResponderExcluir
  28. Vox que chamou muito atenção, mas decidi dá um tempo antes de ler por conta de vários fatores. Não sabia de sua semelhança com O Conto de Aia.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  29. Estou com esse livro aqui na fila de leituras e estou super curiosa para conhecer essa trama! Já li excelentes críticas e adorei ler uma resenha com uma visão masculina!!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  30. Eu simplesmente amei esse livro. Sempre gostei de distopias e de um tempo para cá estou lendo ainda mais.
    Parabéns pela resenha. bjs

    ResponderExcluir
  31. Acho super interessante a premissa deste livro, confesso quando soube de seu lançamento acabei não dando muita bola, mas conforme fui lendo opiniões vi que precisava lê-lo.
    Sua resenha contribuiu para minha curiosidade.

    ResponderExcluir
  32. Oii Yvens!
    Conheci esse livro em um evento realizado pela editora e logo de cara ele me encantou pela sua sinopse e fiquei curiosa para saber o andamento da história e como a autora iria trabalhar com o tema.
    Uma pena a autora ter se perdido um pouquinho no final, mas lendo a sua resenha o livro mostra que ainda tem muita coisa interessante que vale a pena ser lida.
    Muito legal você ter fazer essa ligação com O conto de Aia, já sei o que esperar do livro e estou bem animada para ler.
    Abraços

    FLeituras

    ResponderExcluir
  33. Ola!!
    Nossa, acho incrivel as suas resenhas, sabia? Acredito que nunca vou cansar de elogiar seu trabalho. Tenho muita curiosidade em ler esse livro, ele parece ser totalmente diferente de tudo o que li ultimamente e como estou meio afastada da distopia, acredito que será uma oportunidade incrivel pra mim

    beijos

    ResponderExcluir
  34. Vox é minha leitura atual. Estou quase terminando e o livro já mexeu muito comigo, provocando trocas de mensagens iradas pelo WhatsApp com uma amiga que está lendo o livro comigo. O mundo criado pela autora é realmente muito parecido com O Conto da Aia em vários aspectos na verdade, em sua essência. Mas gostei do fato da autora trazer isso mais para nossa realidade e nos faz refletir em como tudo aquilo é possível de acontecer, sobretudo considerando o novo cenário político do Brasil e do próprio Estados Unidos. Nenhum direito é tão garantido assim, mesmo com os tratados sobre Direitos Humanos. Tudo é frágil, sobretudo para mulheres, crianças e outros grupos vulneráveis.

    Eu confesso que tenho muito medo do que ainda pode acontecer no livro. Temo muito pela Jean e pela filha dela. Sem mencionar a Júlia, personagem que você conhece e cujo destino me deixou angustiada.

    ResponderExcluir
  35. Oi, tudo bem?
    Eu estou doida para ler esse livro desde que ele foi lançado. Apesar de não andar muito no clima para ler distopias, mas essa é tão atual e tem um enredo tão interessante que foi impossível não ficar curiosa para ler. Gostei de saber que é uma leitura tão dinâmica e envolvente e, mesmo que a autora se perca um pouco mais para o final, acredito que vale a pena ler.
    Adorei a resenha e espero conseguir ler esse livro em breve.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  36. Eu já conhecia o livro pela capa, mas não sabia exatamente do que se tratava o enredo. Também gosto muito de distopias e o tema é realmente digno de discussão. Fico imaginando uma situação como essa, e também acho acertado colocar a narração em 1ª pessoa sob o olhar de Jean.

    ResponderExcluir
  37. Olá tudo bem ?
    Distopia é um universo meio contraditório para mim, eu sempre acho que vou amar, mas não flui.
    Vox me chamou a atenção por dois quesitos que vc citou : a narrativa e o universo bem construído , pq são sois elementos que normalmente deixam a desejar em universos distópicos.
    Anotei a dica, quem sabe em algum momento eu resolvo me aventurar.
    Beijos

    ResponderExcluir
  38. Confesso que quando eu vi o enredo dessa obra eu fiquei enlouquecida porque parecia maravilhosamente bom, porem, ao contrário de você, as últimas dezenas de páginas tiraram todo o brilho pra mim... achei que a autora se perdeu demais e não soube gerenciar aquilo mesmo que ela havia tido como insight... achei que ficou extremamente corrido e não fez jus ao que a história merecia; mas é realmente uma obra que faz refletir bastante e que vale a pena a leitura, só não é nem de longe uma das melhores porque a autora foi por um caminho que passou a não fazer sentido algum e isso não foi nada bom! ):

    ResponderExcluir
  39. Eu estou bem curiosa pra ler este livro e tenho quase certeza que será uma leitura que irpa agregar bastante. De todos os comentários e resenhas que li, a sua é a primeira que fala sobre a profissão do marido dela e acho que esse ponto do livor me deixará bem ansiosa.
    Beijos

    ResponderExcluir
  40. Oi, Yvens!
    Tenho muita vontade de ler esse livro! Desde a primeira vez que o vi, a capa me chamou muito a atenção. E quando descobri que se tratava de uma distopia que abordava a perda dos direitos das mulheres, fiquei ainda mais impressionada, pois é uma temática muito atual e que certamente desperta certa preocupação. Eu imagino que seja um livro angustiante em alguns momentos, mas quero lê-lo o quanto antes. Sua resenha ficou muito boa e me animou ainda mais a realizar a leitura. Beijos!

    Jéssica Martins
    castelodoimaginario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  41. Apesar de não gostar de distopias, este é um livro que eu leria com certeza.
    A capa não gostei, mas a premissa do livro é extremamente interessante, e aborda um tema muito importante,como a violação dos direitos da mulher.
    Vale a pena a leitura.
    Ótima resenha, ficou perfeita.

    ResponderExcluir
  42. Olá Yvens!!!
    No atual momento em que nos encontramos às vezes acho que distopias como "O Conto da Aia" e "Vox" poderiam acontecer mesmo.
    Esse é um livro que está na minha estante de livro e fico me perguntando se caso eu tivesse que ser sustentada por um homem estaria lascada já que moro com minha mãe.
    Adorei a resenha!!!

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  43. Olá!

    Amo distopias, e ultimamento estou lendo bastante livros do gênero. Esse livro vi muito sobre ele nas redes sociais, não tenho curiosidade em ler, pós mesmo sendo um tema tão atual, tive experiencias péssimas com outros livros como esse. Mas confesso que esse livro aborda uma historia interessante, e a capa e bem chamativa que deixa qualquer leitor curioso por saber mais sobre a obra.

    ResponderExcluir
  44. Tenho gostado muito dessas distopias recentes e estou curiosa para ler Vox. No momento estou lendo O Conto da Aia e pela premissa vejo algumas semelhanças entre os dois, o que com certeza é algo positivo. São temas que precisam ser discutidos. Muito boa a resenha.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura | Instagram

    ResponderExcluir