[RESENHA #609] HIPPIE - PAULO COELHO



Título: Hippie
Autor: Paulo Coelho

Editora: Paralela
Páginas: 288
Ano: 2018
ISBN:9788584391165
Onde Comprar: Amazon - Saraiva

Sinopse: 
Em seu livro mais autobiográfico, Paulo Coelho nos leva a reviver o sonho transformador e pacifista da geração hippie. Paulo é um jovem que quer ser escritor, deixa os cabelos longos e sai pelo mundo à procura da liberdade e do significado mais profundo da existência. Sua jornada começa com uma viagem pela América do Sul – passando por Machu Picchu, no Peru, Chile e Argentina – até o encontro com Karla, em Amsterdã, quando juntos resolvem ir até o Nepal no Magic Bus. No caminho, os companheiros vivem uma extraordinária história de amor, passam por transformações profundas e abraçam novos valores para suas vidas. Hippie é o vigésimo livro de Paulo Coelho, o autor mais traduzido em todo o mundo e que vem sendo publicado pela Paralela desde 2016. 

Resenha: Hippie foi publicado em 2018 pelo selo Paralela (Companhia das Letras) e tem como ambientação o final da década de 60, período em que o movimento hippie estava em pleno vapor. Os jovens da época ficaram caracterizados pelo estilo largado, calmo e a utilização de roupas coloridas, contudo esse estilo de vida não era visto com bons olhos pela sociedade em geral. Nesse livro autobiográfico acompanhamos um jovem aspirante a escritor chamado Paulo (Paulo Coelho), ele passou por diversos momentos difíceis em sua vida, o que incluiu internações em hospitais psiquiátricos e também ser submetido a interrogatórios pela polícia.

"Em setembro de 190, dois locais disputavam o privilégio de ser considerados o centro do mundo: Piccadilly Circus, em Londres, e o Dam, em Amsterdam. Mas nem todo mundo sabia disso. Se perguntassem à maior parte das pessoas, elas teriam respondido: "a Casa Branca, nos Estados Unidos, e o Krêmlin, na União Soviética [...]" p. 13.
Sem desistir do seu sonho, Paulo optou por uma vida diferente daquela que a sociedade esperava de si e por isso enfrentou algumas situações complicadas com diversos obstáculos. Paulo decide se abrir para o mundo e embarca em uma viagem por alguns países vizinhos ao Brasil e passa pela Argentina, Chile e Peru, até que vai para a Europa, onde conhece Karla, uma jovem irlandesa na cidade de Amsterdã, Holanda. Karla está em busca de um parceiro para embarcar no Magic Bus em uma viagem até Kathmandu, Nepal. E é em Paulo que a jovem Karla vê seu parceiro ideal.

"Tudo teria corrido de acordo com os planos se, ao chegarem à margem do Titicaca (o tal lago mais alto do mundo), não tivessem dado de frente com um monumento antiquíssimo, conhecido como Porta do Sol. Reunidos em torno dela estavam mais hippies, de mãos dadas, em um ritual que eles não queriam interromper e ao mesmo tempo gostariam de participar." p. 32.

No decorrer da viagem conhecemos outros personagens e também suas motivações. Durante a viagem Paulo e Karla precisam parar aos poucos, pois são abordados por autoridades locais, mas também param pela própria vontade e devagar vão atravessando diversas fronteiras. As dificuldades que surgem em seus caminhos são pelo fato de serem hippies e isso não é algo bem visto. Mas eles seguem em frente sem desistir rumo ao objetivo final que é ir até Kathmandu.

"Sua voz tinha endurecido e, surpresa, Karla considerou essa reação positiva. Não era uma boboca que fazia o que os outros mandavam, mesmo que estivesse em uma cidade estranha. Já devia ter passado por muitas coisas na vida." p. 83.
Opinião: Hippie é um romance autobiográfico narrado em terceira pessoa que retrata parte da vida do escritor Paulo Coelho. O autor relembra momentos que considera importante e inesquecíveis em sua vida, mas também retrata uma geração que fez parte do movimento hippie e que pregava uma sociedade alternativa, sem padrões morais impostos por terceiros ou mesmo que pudessem ser considerados injustos. Ao longo da leitura nos deparamos com diversas frases de efeitos, algumas inclusive me despertaram atenção e interesse. Paulo Coelho também demonstra os preconceitos que os hippies sofreram por serem considerados diferentes e por adotar uma filosofia de vida distinta da pregada pela sociedade da época.

O autor também demonstra a busca espiritual, sendo esse um dos temas principais do livro, mas esse é um tema construído aos poucos. Outro aspecto interessante é a narrativa, como eu disse acima é narrado em terceira pessoa e o autor optou por dar voz a outros personagens, isso é algo positivo, já que podemos ter outras visões desse mundo. Paulo também demonstra como já existiam drogas naquele período e o seu uso, mas também fala um pouco sobre o governo militar e quando foi preso nessa época. Eu não considero essa uma leitura indispensável, mas é um livro super interessante para quem tiver vontade de conhecer um pouco sobre o movimento hippie e no geral é um bom livro.
Sobre a Edição: A Editora/Selo Paralela está de parabéns, a capa é muito bonita e bem colorida, chama atenção e retrata bem o movimento hippie. A fonte está de bom tamanho e as páginas são amareladas, algo que eu amo.
Sobre o Autor: Paulo Coelho nasceu em 1947, na cidade do Rio de Janeiro. Antes de dedicar-se inteiramente à literatura, trabalhou como diretor e ator de teatro, compositor e jornalista. Paulo Coelho escreveu letras de música para alguns dos nomes mais famosos da música brasileira, como Elis Regina e Rita Lee. Seu trabalho mais conhecido, porém, foram as parcerias musicais com Raul Seixas, que resultou em sucessos como Eu nasci há dez mil anos atrás, Gita, Al Capone, entre outras 60 composições com o grande mito do rock no Brasil.

Postar um comentário

0 Comentários