[RESENHA #650] O PAPEL DE PAREDE AMARELO - CHARLOTTE PERKINS GILMAN


Sinopse: O papel de parede amarelo transita entre o terror gótico e uma alegoria da opressão feminina. A obra dá título a esta coletnea, que reúne contos ligados ao mistério e ao sobrenatural escritos por Charlotte Perkins Gilman, uma das maiores autoras representantes do feminismo mundial. Com tom autobiográfico – a autora também lidou com a depressão e um casamento frustrante –, O papel de parede amarelo apresenta uma esposa confinada em um quarto pelo marido, o que a faz desenvolver uma obsessão pelo papel de parede, no qual enxerga mulheres aprisionadas. Enquanto o horror psicológico conduz este conto, em A glicínia gigante, A cadeira de balanço e A porta não vigiada, Gilman flerta com histórias de fantasmas e de investigações que envolvem o sobrenatural. Quando fui uma bruxa nos apresenta uma mulher movida pela vingança, capaz de realizar seus desejos. Em Se eu fosse um homem, a autora lida com o fantástico em uma história de troca de corpos. Por fim, Água antiga traz uma história de abuso e assassinato.

Opinião: Preciso começar dizendo que nunca havia lido nada de Charlotte Perkins Gilman até esse livro. E nada melhor do que uma bela seleção de contos para se conhecer uma escritora ou escritor. Charlotte carrega em sua biografia a alcunha de ser uma das maiores representantes do feminismo mundial através de seu trabalho. E, com razão, pois coloca em evidência temas e situações em que as mulheres mesmo tendo que "cumprir" o papel de submissão ao homem em uma sociedade completamente opressora, misógina e machista, deixam bem claro suas insatisfações.

Todos os contos presentes em O Papel de Parede Amarelo traduz, ora levemente, ora pesadamente, muito bem qual era a imagem da mulher na época em que a escritora desafiou aquela estrutura machista e patriarcal. Gilman nos mostra através de situações e expressões muito peculiares como em A Glicínia Gigante, que tem uma introdução que demonstra a hipocrisia do papel da mulher em todo e qualquer relacionamento da época.

Charlotte também não deixa de demonstrar o sufocamento e total desprezo por tudo que uma mulher poderia ser no conto O Papel de Parede Amarelo, onde a personagem principal tem sua vida totalmente controlada por seu marido médico, que mesmo não acreditando na doença dela, a isola de tudo e todos. O que a leva a um estado emocional precário e delicado.

Mas, Guilman, também se aproximou das fábulas góticas, onde o melhor exemplo nessa coletânea aparece em A Porta Não Vigiada, onde uma mulher vive a sua vida em sua casa rodeada de seu belo e bem cuidado jardim, até que é confrontada por um Príncipe que a ordena que lhe conte seu segredo, demonstrando mais uma vez a necessidade de controle por parte da personagem masculina diante de uma mulher livre e dona de seus domínios que não faz mais nada além de cuidar da própria vida.

A autora conseguiu, através de histórias góticas, da vida cotidiana, de fantasmas e do fantástico, unir a luta pelo respeito à mulher com uma ótima literatura. É bom saber que existem histórias como as que a autora apresentou que serviram de entretenimento, seu propósito óbvio, e também manifesto em uma luta que dura até hoje. IMPERDÍVEL.


Sobre a autora: Charlotte Perkins Gilman (1860-1935) foi escritora, poetisa e uma ativista do feminismo nos Estados Unidos. Abandonada pelo pai durante a infância e sem que sua mãe tivesse condições de criá-la sozinha, ficou sob a proteção de suas tias paternas, Catharine, Harriet (escritora e autora do clássico A cabana do Pai Tomás) e Isabella (sufragista, defensora do voto feminino). Essa influência acabou sendo determinante para o futuro sucesso literário de Charlotte e seu papel fundamental na história dos direitos sociais das mulheres. Seu estilo de vida pouco usual para a época (divorciada e financeiramente independente) a tornaria um modelo para todas as gerações posteriores de feministas.

Ficha técnica:
Título: O Papel de Parede Amarelo e outros contos
Autor: Charlotte Perkings Gilman
Tradução: Martha Argel
Editora: Via Leitura [Edipro]
Páginas: 96
Ano: 2019
ISBN: 9788567097657
Onde comprar: Amazon .

Postar um comentário

0 Comentários