[RESENHA #698] A BELA MORTE - MATHIEU BABLET


Sinopse: Após a Terra ser devastada por insetos gigantes do espaço, os únicos sobreviventes são Wayne, Jeremias e Soham. Então, o que fazer? Em um mundo aniquilado pela invasão de enormes insetos, nada parece capaz de permanecer vivo. A Bela Morte é de autoria de Mathieu Bablet. 

Resenha: A Bela Morte (Le Belle Mort) é um dos primeiros trabalhos do autor/quadrinista francês Mathieu Beblet, mesmo autor de Shangri-la e chegou ao Brasil em janeiro de 2019 por meio da Editora SESI-SP. Em A Bela Morte somos levados para o futuro pós-apocalíptico e vemos um cenário totalmente desolador, pois o planeta Terra foi invadido por insetos gigantes e alienígenas que tomam o controle do nosso mundo. Em meio ao cenário de total destruição e completamente desolador, nós acompanhamos um grupo de pessoas que sobreviveram a essa catástrofe, ele é forma por Jeremias, Soham e Wayne. 

Os três passam os seus dias tentando sobreviver em meios aos perigos iminentes, enquanto buscam por comida para se manter vivos, mas também por armas que possam auxiliá-los na luta contra os temidos insetos. A rotina do trio é praticamente a mesma, agir na surdina, sem fazer barulhos e estardalhaços, e quase todo o tempo eles estão tensos de serem descobertos. Há outro problema, o relacionamento entre eles não é dos mais fáceis, há discussões, mas eles sabem que não podem agir sozinhos, pois isso seria bem mais perigoso e as chances de sobrevivência diminuiria drasticamente.

Enquanto o trio luta pela sobrevivência, eles se deparam com prédios abandonados e locais completamentos vazios, não há nenhum ser humano com quem eles possam interagir. O clima é de desolação e quase solidão total, eles vivem em uma selva de pedra totalmente morta. Diante da nova realidade, Jeremias é o que mais tem dificuldade de lidar com esse novo mundo, ele é profundamente afetado com a falta de outros seres humanos e por isso ele tenta a todo custo encontrar outros sobreviventes, mas isso é algo que pode colocar em risco a vida dos seus companheiros e principalmente a sua.


Opinião: Mathieu Bablet nos apresenta um cenário repleto de desespero, miséria e solidão, mas também há espaço para a violência, pois o trio de personagens precisam lidar com os temidos insetos gigantes. Em uma graphic novel com cerca de 160 páginas o autor trabalha temas importantes como a tristeza, depressão e por consequência o suicídio, aspectos esses presentes na sociedade atual. Contudo, em A Bela Morte essas condições ou escolha (suicídio) são motivadas pela falta de contato com outros seres humanos, pela falta de comida e principalmente pela incerteza do amanhã. Por outro lado, diante de tudo o que vemos na graphic novel, é possível refletirmos sobre o nosso lugar no mundo.

Ao meu ver, os pontos negativos na trama ficam por conta dos diálogos, que em determinados momentos deixa o ritmo lento. Outro ponto negativo são os personagens, pois faltou um pouco de aprofundamento, gostaria de saber um pouco mais da história e vida pregressa deles. Mas tudo isso é compreensível, pois esse foi um dos primeiros trabalhos do autor.

Em contrapartida, Mathieu Bablet arrasou nas ilustrações e esse é o ponto alto e o diferencial da obra. Os cenários e paisagens urbanas são repletas de detalhes, existe um realismo absurdo e é isso que dá alma para a obra. Bablet utilizou de uma bela paleta de cores e nos deixa completamente imersos nesse belo universo caótico que ele apresenta.

A Editora SESI-SP está de parabéns pelo trabalho apresentado, essa graphic novel é um verdadeiro luxo, o papel utilizado na impressão é de extrema qualidade, as cores são bem vivas e o formato/edição é grande. Eu não encontrei problemas na revisão, ou seja, é uma edição impecável. Eu indico A Bela Morte para todos que gostam de ficção científica pós-apocalíptica.



Sobre o autor: Mathieu Bablet, nascido em 9 de janeiro de 1987, é quadrinhos francês e seus trabalhos focam no gênero da ficção científica. No Brasil dois dos seus quadrinhos (A Bela Morte e Shangri-la) foram publicados pela editora SESI-SP.

Ficha técnica:
Título: A Bela Morte
Autor/Quadrinista: Mathieu Bablet
Tradução: Fernando Paz
Editora: SESI-SP
Páginas: 160
Ano: 2019
ISBN: 9788550408552
Onde Comprar: Amazon

Postar um comentário

9 Comentários

  1. Olá Yvens. Hqs são sempre uma surpresa! pela forma descontraída da leitura, as ilustrações. Acho que é uma forma de torna a história viva!

    Achei interessante sua resenha. A cada é realmente muito bela e deu até vontade de ver uma ilustração da parte interior! srsr

    Os pontos negativos que você comentou acho que são importantes, mas se foi a primeira obra é importante mesmo darmos uma chance! Ele ainda pode surpreender!

    Até!

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Não conhecia, mas fiquei curiosa quanto a história e por ser quadrinhos. Pelas fotos deu para ter uma ideia dos quadrinhos que aparentemente são lindas as ilustrações. Gostei muito sua sinceridade em por os pontos negativos da trama, mas mesmo assim estou curiosa em ver e ler, parabéns pela resenha, obrigado pela dica!

    ResponderExcluir
  3. Opa, Yvens! Tudo bom?

    Primeiramente, preciso dizer que fiquei encantado com essa capa. Eu sou do tipo que me apaixono pelas capas das obras que leio haha. Eu adoro obras com temas pós-apocalípticos e já vou, com certeza, procurar mais sobre "A bela morte" e adiciona-la em minha wishlist. Obrigado pela indicação e pela maravilhosa resenha. Está de parabéns!

    Abração, cara!
    www.acampamentodaleitura.com

    ResponderExcluir
  4. Leio pouco HQ e essa em especial traz muitos temas pesados, mas como você bem colocou atuais e que leva o leitor a refletir sobre o seu lugar neste mundo maluco. Gostei muito da sua resenha que apresenta os pontos positivos e os nem tanto assim.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  5. Acho incrível como os autores tem o dom de trabalhar em 160 páginas com temas importantes e fisgando totalmente o leitor. Ainda não conhecia essa obra e achei bem instigante.

    Beijos,
    www.psamoleitura.com

    ResponderExcluir
  6. Oiieeee


    Pra mim graphic novels são sempre um pouco complicadas pois eu geralmente sinto essa falta de aprofundamento nos personagens, por enquanto não encontrei nenhuma que me conquistasse completamente. Uma pena que esta também peca neste aspecto, porém achei interessante o enredo todo e os assuntos que aborda como a depressão e suicidio por exemplo, temas bem sérios. Não conhecia essa graphic, ela é curtinha, deve ser rápida de ler mesmo com os dialogos que deixam ela mais lenta.... hummm, quem sabe futuramente eu invista nesta leitura, pode ser interessante apesar das ressalvas .

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  7. Eu ainda não conhecia esse livro, talvez seja pelo fato de não ser muito fan de HQ. Porém adoro essa temática pós apocalíptica, e o fato do mundo ser devastado por insetos deixa a trama ainda mais intensa, dramática e triste, mas pela sua descrição parece que este era o intuito do autor, principalmente tratar dessa relação humana. Enfim, fiquei interessada na leitura, porém ao mesmo tempo com um pé atrás, pois os diálogos são um pouco lento e prefiro aqueles que prende o leitor, despertando curiosidade para saber o desfecho.

    ResponderExcluir
  8. Eu nunca tinha ouvido falar dessa obra. Apesar de ser fã de HQs, eu tenho um pouco de resistência com temas pós (ou pré) apocalípticos. Me incomodam um pouco...
    Mas, as ilustrações parecem ser muito boas. E que pena que alguns diálogos deixam a trama um pouco mais lenta...
    Abração

    ResponderExcluir
  9. Fiquei aqui pensando se a história fosse maior, talvez tivesse resolvido essa questão do desenvolvimento dos personagens. De qualquer forma, achei super interessante. Adoraria ler.

    ResponderExcluir