[RESENHA #709] O DESVIO - GERBRAND BAKKER


Sinopse: Uma mulher holandesa aluga uma pequena fazenda numa região remota do interior do País de Gales. Ela se apresenta como Emilie. Emilie fugiu do marido após confessar ter tido um caso com outro homem. Em Amsterdã, o marido, em estado de choque, faz uma estranha parceria com um detetive que aceita ajudá-lo a localizar a mulher. A dupla embarca na balsa para Hull, na Inglaterra, na véspera do Natal. Enquanto isso, na fazenda alugada por Emilie, um jovem que estava caminhando com seu cachorro se machuca e passa a noite no local. Depois, acaba ficando. Mas uma sensação esquisita paira no ar: será que ele está ciente da situação em que está se metendo? O que vai acontecer quando o marido chegar com o detetive?

Ambientado numa natureza desoladora e ainda intacta, caraterizado por uma mescla de consolo e ameaça, este romance desperta uma sensação de trama sutil e consegue extrair do anseio silencioso de uma mulher momentos fugazes de profunda beleza e compaixão. 

Resenha: Publicado originalmente em 2010, "O Desvio" foi escrito pelo autor holandês Gerbrand Bakker e chegou no Brasil nesse ano de 2019 por meio da editora Rádio Londres, aliás, esse é o terceiro livro enviado pelo "Clube da Rádio". Aqui acompanhamos a história de uma acadêmica holandesa chamada Agnes, que foge do seu país natal abandonando os pais, seu marido e deixando toda a sua vida para trás. Nesse repentino abandono, Agnes deixa para trás o curso de doutorado, o qual ela escrevia uma tese sobre a poetisa norte-americana Emily Dickinson.

Sem qualquer objetivo específico além de sair do seu país natal, Agnes cruza o Mar do Norte e se muda para um local remoto no litoral do País de Gales, onde aluga uma casa de campo em um cenário dominado pela natureza. Nesse país, Agnes adota o nome da poetisa Emily Dickinson, para começar uma vida nova.

A casa alugada por Agnes está localizada em um local isolado entre vilarejos, mas o grande problema é que o seu novo lar precisa de reparos, pois nos últimos anos a casa foi habitada por uma senhora de idade avançada e ela não conseguia manter o local em ordem. Em meio à tranquilidade e calmaria da vida rural, Emily passa seus dias trabalhando no jardim da fazenda e é com essa ocupação que ela encontra um certo conforto.

"O sol brilhava e a relva tinha secado por completo. Quase não tinha vento. Cortou os pedaços de bambum como estacas e as enfiou na terra nos lugares que havia marcado com tocos de madeira. Esticou um arame entre as estacas. As vacas amarronzadas, estavam enfileiradas, olhando por cima da mureta [...]" p. 47.


O convívio de Emily com outros seres humanos havia praticamente acabado, pois ela raramente se encontrava com seus vizinhos e também evitava qualquer tipo de interação com outras pessoas e o seu tempo era praticamente todo voltado para a natureza. Em sua fazenda, contava com a companhia de dez gansos brancos, mas também passava parte do seu tempo observando os texugos de sua propriedade, assim como as ovelhas e vacas que ficavam pastando em propriedades vizinhas.

"[...] Uma única pedrinha rolou, mas seu ruído foi rapidamente abafado pelo som do riacho. Os gansos estavam quietos. Ajoelhou-se e olhou para o céu. Nunca tinha visto tantas estrelas antes. Também nunca antes olhara para elas nua e de joelhos no fim de novembro." p. 73.

Em determinado momento surge na vida de Emily um jovem chamado Bradwen, que passa alguns dias em sua casa e serve para quebrar a vida solitária que ela estava levando. Mas outras mudanças estariam por vir, pois toda essa vida calma e pacata estava com os dias contados. Com o passar do tempo, seus gansos começam a sumir sem qualquer motivo aparente e Emily acredita que o responsável por esses desaparecimentos possa ser algum animal selvagem como uma raposa ou algum outro predador noturno. Ao mesmo tempo, Emily começa sentir a presença de algo que ela não podia explicar, algos com um fantasma e na verdade não eram apenas um fantasma, mas sim dois.


Opinião: A cada dia que passa eu vou descobrindo mais e mais da literatura holandesa por meio da Rádio Londres e essas experiências que estou tendo são prazerosas, pois até poucos anos atrás eu não tinha qualquer conhecimento sobre a literatura desse pequeno país europeu e aqui novamente sou surpreendido por um livro de qualidade. O Desvio é um livro bem escrito e bastante descritivo, nesse sentido a capa do livro representa bem esse aspecto apresentado pelo autor. Um ponto positivo é justamente a ambientação e o clima bucólico apresentado pelo autor, o que eu gostei muito.

Um ponto positivo e extremamente relevante é a escrita de Bakker, pois ele escreve de forma bem clara e ao mesmo tempo profunda, pois ele trata de temas diversos como alienação, mágoa, confusão e transformação, passando por doenças, uso de medicamentos e até mesmo a morte. Bakker fala sobre as necessidade do ser humano e também como as diferenças do ser humano podem definir seu caráter.

Em "O Desvio" temos um enredo carregado de mistérios e segredos, nada é muito claro ou evidente e em alguns momentos ou passagens o autor deixa pontos abertos, inclusive algo que certamente vai incomodar boa parte dos leitores, mas vou deixar vocês descobrirem do que se trata. No final das contas, "O Desvio" foi uma surpresa bem agradável



Sobre o autor: Gerbrand Bakker, jardineiro por profissão, nasceu em Wieringerwaard, na Holanda, em 1962, e é um dos mais aclamados escritores holandeses de sua geração. Suas primeiras obras foram um dicionário etimológico para crianças e um conto de literatura infantil. Seu romance de estreia, Tudo está tranquilo lá em cima (que também será publicado pela Rádio Londres), ganhou o prêmio IMPAC Dublin Literary Award. Em 2013, seu segundo romance, O desvio, conquistou o Independent Foreign Fiction Prize. Seus trabalhos foram traduzidos para mais de vinte idiomas.

Ficha técnica:
Título: O Desvio
Autor: Gerbrand Bakker
Tradução: Mariangela Guimarães
Editora: Rádio Londres

Páginas: 224
Ano: 2019
ISBN: 9788567861081
Onde Comprar: Amazon

Postar um comentário

14 Comentários

  1. To curiosa com esse livro. A premissa forte dele, as personagens são bem profundas também.
    Nunca li nada de escritores holandeses e já quero muito conhecer. Gosto bastante de livros suecos e agora esse livro da Rádio me deixou bem empolgada.

    ResponderExcluir
  2. Olá,

    Ainda não conhecia a obra e não lembro se já li algo da literatura holandesa, mas fiquei mega curiosa com esse livro. Os temas abordados são de suam importância e o fato da escrita do autor ser clara e profunda já me anima mais ainda para conhecer a história.O fato desses segredos e mistérios não serem evidentes me deixam com certa dúvida, mas quero ler para saber como verei. Adorei a resenha!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia este livro, nunca li nada desse escritor, mas parece que para tudo há uma primeira vez, não é mesmo? Depois dessa resenha, fiquei curiosa para ler a história na íntegra e saber como termina. Parece ser uma história bem intensa. Gostei!

    Beijos,
    Isa Gomes

    ResponderExcluir
  4. Quero muito conhecer o trabalho do Gerbrand, conheço o autor mas nunca li nada dele, acredita? Sua resenha está maravilhosa, me atiçou ainda mais pra leitura. As fotos também estão INCRÍVEIS! Sem contar esses quotes, deixa a experiência de ler a resenha ainda mais intensa

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia o livro, mas fiquei curioso pra ler. Os temas abordados são bem interessantes.

    ResponderExcluir
  6. Que resenha maravilhosa! Acho que o livro seria uma leitura bem interessante para mim, mesmo não sendo algo que eu leio com frequência, mas os temas abordados me deixaram super curiosa, não posso negar!

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem? Estou gostando bastante de conhecer os lançamentos da Rádio Londres. O que mais me chamou atenção foram as edições. Um trabalho realmente incrível. Com relação ao livro esse é um dos que mais gostei. Tanto pela sinopse, pela capa que dá um ar de mistério, etc. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  8. Gosto muito de histórias que envolvem segredos e mistérios. O livro parece bom e indicado para eu ler um autor holandês. Bom saber que é uma leitura com vários temas que levam o leitor à reflexão.



    ResponderExcluir
  9. Oi! Não conhecia o livro, mas já me ganhou com o fato de ser uma obra holandesa. Tenho tido em mim, um desafio de tentar abrir o leque de países de livros que leio. Vinha percebendo mt que estava apenas em Br, USA e UK. Esse ano já li 3 fora desse eixo e já coloquei esse na lista, ainda mais com temas importantes e que tem tudo para serem tocantes. Curiosa. Beijos
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia essa obra, mas fiquei bem curioso para saber dessa narrativa, que parece ser intensa, fluída e surpreendente. Anotada a dica.

    ResponderExcluir
  11. Este é um livro sobre o qual acredito que ainda não tinha ouvido falar. Pelo que pude perceber pela resenha, ela foge para tentar ter uma vida nova, para se reencontrar, mas o tal marido vai atrás dela junto com o detetive. Então, fico me perguntando que rumo a história de fato irá tomar... se tratará das questões interiores dessa mulher e suas redescobertas ou se acabará caminhando para aqueles suspenses nos quais as mulheres são perseguidas por seus ex-companheiros ou por caras obsessivos. Seja como for, me interessei pelo livro e gostaria muito de ler. Da Emily Dickinson, poetisa querida pela protagonista, eu já li uma coletânea de poemas, mas não gostei muito. Não é minha poetisa preferida.

    ResponderExcluir
  12. Sabe se esse livro já foi transformado em filme? Vi um filme - que não tinha esse nome - com uma história bem parecida.

    ResponderExcluir
  13. Oi, tudo bem? Esse é um dos livros da Rádio Londres que mais me marcaram. Talvez pelo mistério, ou pela ambientação, ou ainda uma mescla de tudo. Me fez lembrar um pouco Um porto seguro do Nicholas Sparks. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  14. Olá!

    Não conhecia o livro, mas esse mistério todo que o enredo deixa a respeito de quando a tranquilidade da personagem principal acaba me deixou super curiosa.
    Que eu me lembre, acho que nunca li um livro da literatura holandesa, adorei a sua dica!

    ResponderExcluir