[RESENHA #710] FAX DE SARAJEVO - JOE KUBERT


Sinopse: Em abril de 1992, começa o cerco a Sarajevo, o mais longo da história das guerras modernas e que resultou na morte de mais de 12 mil bósnios. Ninguém podia deixar a cidade sem arriscar cair nas mãos de patrulhas ou franco-atiradores sérvios. O editor de quadrinhos Ervin Rustemagi e sua família viveram os horrores desse conflito. Após terem a casa bombardeada por tropas sérvias, causando a perda de uma vasta coleção de originais de grandes artistas dos quadrinhos, Rustemagi, sua esposa e filhos buscam a sobrevivência de abrigo em abrigo na cidade devastada. Seu único meio de comunicação com seus antigos amigos pelo mundo é por um velho aparelho de fax. Foi a partir desses faxes enviados pelo editor que a lenda dos comics norte-americanos Joe Kubert, um dos artistas com os quais Rustemagi manteve contato, decidiu registrar em quadrinhos os dois anos e meio de privações e medo dessa família na cidade sitiada. Publicada pela primeira vez em 1996, a HQ rendeu ao já renomado desenhista - que trabalhou com personagens como Gavião Negro, Tor e Sargento Rock - alguns dos maiores prêmios mundiais dos quadrinhos, incluindo o Eisner, o Harvey e o do Festival Internacional de Angoulême. Fax de Sarajevo é um registro incisivo da guerra e do genocídio na Bósnia e Herzegovina, que figuram entre os capítulos mais sangrentos da história mundial. A adaptação da obra ao português do Brasil foi feita por Sidney Gusman, jornalista super especializado em quadrinhos e detentor de 14 prêmios do Troféu HQ Mix.

Resenha: Fax de Sarajevo foi criado com uma missão: Mostrar ao mundo, através de uma homenagem inclusive, como foi realmente o cerco de Sarajevo nos anos 90 com a guerra da Bósnia ou, pelo menos, pela visão de alguém que realmente esteve todo tempo lá no meio do inferno.


Ervin Rustemagi, realmente, não queria voltar para Sarajevo, pois as notícias não eram muito animadoras. Mas, sua mulher Edina estava com muitas saudades de sua mãe e família, então, Ervin, concordou em voltar para casa.

Mas logo na primeira noite as coisas começaram a se mostrar bastante perigosas e terríveis, quando bombardeios começaram a acontecer perto da casa da família Rustemagi e de seus vizinhos, resultando em mortes pelas ruas da vizinhança. Percebendo que tiveram muita sorte, Ervin decide que iriam sair da cidade, porém, logo descobriu que Sarajevo estava sitiada e quem tentasse fugir era massacrado pelos sérvios nas estradas bloqueadas.

Não demorou muito e logo descobriram que a ordem de Milosevic, presidente da Sérvia era a matança. Na verdade ele queria o que ficou denominado de "limpeza étnica", que nada mais era o massacre do povo de Sarajevo, por exemplo, e as pessoas estavam sendo assassinadas exatamente com embasamento nessa ordem vindo do alto escalão do governo sérvio.


Mais ataques aconteceram e a cada dia a vida de Ervin e de sua família corria mais e mais perigos com os bombardeiros, snipers e soldados invadindo casas e matando todos os moradores, com exceção das mulheres que eram levadas para perpetuar a raça sérvia. 

Ervin não podeira ficar parado e enquanto o mundo enlouquecia, a única forma de contato com o exterior era através de faxes que ele redigia e mandava para algumas pessoas como seu amigo Joe Kubert. Foi através dessa comunicação que ele pode informar dos acontecimentos da cidade e também começar a formular uma maneira de sair dali juntamente com sua família. 

Mas as coisas não foram tão fáceis para a família Rustemagi e quando sua casa foi finalmente atingida e totalmente destruída, todo seu trabalho de anos no meio dos quadrinhos foi perdido para sempre. Além de tudo que os Rustemag haviam perdido o mundo dos quadrinhos europeus também tinham perdido tesouros incalculáveis do grande e, agora, extinto, acervo de Ervin. Mas isso, era só o começo.


Opinião: Impressionante!! É uma das qualidades de Fax de Sarajevo de Joe Kubert, só para começar. Se você como eu está na faixa dos 40 anos ou mais, com certeza vai se lembrar das imagens que Pedro Bial nos trouxe quando ficou alguns dias em Sarajevo nos anos 90. Se isso já era impressionante naquela época, imagine você ser observador, através da bela arte de Kubert, de uma parte da história dessa guerra que dizimou mais 12.000 pessoas em um período de quase quatro anos.

Tendo como ponto principal a família Rustemagi, Kubert demostra toda a crueldade, desespero e terrores que jamais poderíamos pensar que um ser humano infligiria na sua própria espécie. Não tem como não se emocionar quando vemos grupos de crianças sendo atingidas por snipers que eram pagos "por cabeça", sem importar se essas "cabeças" eram mães, pais, avôs e avós e, o pior, crianças.

Sempre tivemos como parâmetro de horror da guerra, principalmente, a Segunda Grande Guerra Mundial que marcou gerações e ainda hoje causa repulsa e medo, principalmente aos que ainda estão vivos e tem essa "bagagem" em sua história. Mas a guerra da Bósnia com o Cerco de Sarajevo, com certeza ganha da pior forma possível, no terror.


Mas mesmo sendo uma história bastante pesada, Fax de Sarajevo é uma HQ fenomenal. Não só por sua história, mas pela arte e também por sua apresentação que é totalmente impecável. Kubert, incrementou toda a obra apresentando a cada início de capítulo, os faxes do título, onde Ervin ora contava o que estava acontecendo ora pedia ajuda ora apenas "conversava". Aliás, em se tratando de ajuda internacional, tenho certeza que todos vocês vão ficar surpresos em como Sarajevo foi tratada pela comunidade internacional, inclusive a ONU.

Nessa bela edição de capa dura da Via Leitura, temos também uma releitura com fotos da família e do certo de Saravejo em fora resumida de cada capítulo apresentado antes na forma de HQ, o que torna tudo mais emocionante ainda. Então, não se surpreenda se durante a leitura vocês sentirem os olhos marejarem, pois é assim que me senti durante quase toda a leitura de Fax de Sarajevo.


Portanto, se você gosta de HQs, uma história surpreendente, real e ainda por cima uma edição muito bem cuidada, então, meus amigos leitores e leituras, Fax de Sarajevo de Joe Kubert publicado pela Via Leitura, selo da Editora Edipro é sem sombra de dúvidas I-M-P-E-R-D-Í-V-E-L.


Sobre o Autor: Joe Kubert (1926 – 2012) é considerado um dos mais importantes artistas dos comics norte-americanos. O quadrinista fez história com seu trabalho em títulos como Tor, Tarzan, Sargent Rock e Gavião Negro, além de ter desenhado ícones dos quadrinhos de super-heróis como Batman e Flash, pela DC Comics, e Motoqueiro Fantasma e Justiceiro, pela Marvel. É reconhecido, ainda, como o primeiro artista norte-americano a ser convidado para desenhar uma história de Tex, fummetti italiano sobre o velho oeste que é, até hoje, um dos quadrinhos mais cultuados no mundo. Seus filhos, Adam e Andy Kubert, herdaram a profissão do pai atuando hoje como desenhistas das gigantes americanas Marvel e DC. Joe deixou, ainda, outro legado: a Joe Kubert School of Cartooning and Graphics, renomada escola de arte e histórias em quadrinhos dos Estados Unidos, que formou alguns dos grandes artistas de comics atuais.


Sobre a Adaptação: Sidney Gusman adaptou a tradução portuguesa para o português brasileiro. Sidney é um dos mais reconhecidos jornalistas especializados em histórias em quadrinhos no Brasil, além de ser, atualmente, um dos editores da Maurício de Souza Produções, responsável pelas HQs da Turma da Mônica. É o editor-chefe do Universo HQ, um dos principais sites especializados no assunto no país. Com seus livros e trabalhos sobre quadrinhos, já recebeu 14 prêmios do Troféu HQ Mix, o maior reconhecimento dos quadrinhos nacionais.

Ficha Técnica:
Título: Fax de Sarajevo
Autor: Joe Kubert
Adaptação: Sidney Gusman
Editora: Via Leitura Quadrinhos [Edipro]
Páginas: 208
Ano: 2016
ISBN: 9788567097343
Onde Comprar: Amazon

Postar um comentário

0 Comentários