[RESENHA #762] ALMA? - GAIL CARRIGER


Sinopse: Alexia Tarabotti enfrenta uma série de atribulações sociais, quiproquós e saias justas (embora compridíssimas) em plena sociedade vitoriana. Em primeiro lugar, ela não tem alma. Em segundo, é solteirona e filha de italiano. Em terceiro, acaba sendo atacada sem a menor educação por um vampiro, o que foge a todas as regras de etiqueta. E agora? Pelo visto, tudo vai de mal a pior, pois a srta. Tarabotti mata sem querer o vampiro ― ocasião em que a Rainha Vitória envia o assustador Lorde Maccon (temperamental, bagunceiro, lindo de morrer e lobisomem) para investigar o ocorrido.

Com vampiros inesperados aparecendo e os esperados desaparecendo, todos parecem achar que a srta. Tarabotti é a responsável. Será que ela conseguirá descobrir o que realmente está acontecendo na alta sociedade londrina? Será que seu dom de sem alma para anular poderes sobrenaturais acabará se revelando útil ou apenas constrangedor? No fim das contas, quem é o verdadeiro inimigo, e... será que vai ter torta de melado?

Uma das séries de Steampunk mais cultuada do mundo.


Opinião:

Alma é um livro do subgênero Steampunk, que é uma ficção científica com história se passando em séculos passados, mas onde existem tecnologias atuais adaptadas para instrumentos que são reais naquela época. Por exemplo, a existência de medicina ''moderna'' com certas plantas e crença em bactérias e elevadores puxados por cordas e roldanas. Essa ambientação é extremamente interessante, especialmente porque a autora decidiu escrever um romance de época sobrenatural com scifi e comédia. Esse livro é para te tirar da zona de conforto e vai te apresentar uma história que você jamais imaginou.

Então temos aqui uma mocinha solteirona, considerada esquisita pela sociedade por todas aquelas características que a tornam dissonante da ''beleza clássica'' procurada na Era Vitoriana, com muita personalidade e ''sem alma''. Isso quer dizer que Alexia torna os seres sobrenaturais que vivem em volta dela normais quando a tocam. E sim, nessa sociedade vampiros, lobisomens e outras criaturas que só veríamos em histórias de terror vivem normalmente junto aos seres humanos ''mundanos'', regrados por leis que tornam a convivência possível. Já pensou?

Após ser sumariamente atacada por um vampiro (o que é estranho, já que tecnicamente todos deveriam viver em harmonia), Alexia sem querer o mata ao tocá-lo com sua sombrinha. Ela, então, acaba se vendo parceria do chefe dos sobrenaturais, o lobisomen alfa Lorde Maccon, para investigar a morte e desaparecimento de outros seres. Com isso, Alexia se envolve numa trama que vai testar seu bom senso e seu coração.

O mais importante a se dizer sobre esse livro é que é divertidíssimo e muito bem colocado em seu tempo e universo. Nunca é necessário explicar os sobrenaturais rondando a vida dos naturais porque isso é normal para eles e não fica estranho na trama. Em pouco tempo você se pega achando tudo bem aceitável. Os diálogos têm o rebuscamento (mas não são complicados) da fala de pessoas dessa época e todos os personagens têm  um ótimo timing de comédia. A mocinha, claro, é a melhor de todos. Você vai se apaixonar facilmente por ela. 

Esse foi sem dúvida um dos melhores livros que li esse ano e não estava esperando nada dele. Depois que terminei de ler foi pesquisa e vi que é um dos steampunks mais elogiados da atualidade e não é para menos. A autora conseguiu construir uma história envolvendo, concisa, completa e ainda dar bons ganchos para os próximos da série sem te obrigar a ler os outros, caso você não queira. 

Acho que o que  mais deu certo nessa narrativa é que ela é despretensiosa e não se leva a sério. Apesar de ser uma trama muito bem enredada, é também uma história leve e feita para passar o tempo, sem criar aquele arrogante de ''leitura para engrandecer'' que alguns títulos desse gênero forçam para ter (mas tem aquela pitada de crítica social que não poderia faltar). É uma narrativa descompromissada, mas bem estruturada. Recomendo muito pra qualquer pessoa, desde as fãs dos romances de época, até os dos suspense e scifi.  


E a

Postar um comentário

0 Comentários