[RESENHA #776] A ORDEM DO DIA - ÉRIC VUILLARD

Sinopse: Os bastidores de dois dos momentos-chave da Segunda Guerra Mundial: o apoio dado pelos maiores industriais da Alemanha a Hitler e a anexação da Áustria ao Reich A ordem do dia, vencedor do prêmio Goncourt 2017, é uma narrativa histórica, gênero-aposta nos maiores mercados editoriais do mundo. É um fenômeno de vendas na Europa, em especial na Espanha, onde foi publicado pela Planeta/Tusquets España. Nele, narra-se de forma crua, direta e irônica, sem rodeios ou meias-palavras, os bastidores de dois dos momentos-chave da Segunda Guerra Mundial: o apoio dado pelos maiores industriais da Alemanha a Hitler e a anexação da Áustria ao Reich. 20 de fevereiro de 1933.

Resenha: Escrito pelo autor francês Éric Vuillard, "A ordem do dia" foi publicado originalmente em 2017 e no mesmo ano venceu o prêmio literário francês Goncourt. Vuillard nos apresenta uma narrativa de ficção histórica e aqui acompanhamos a ascensão do Terceiro Reich. A trama começa com uma reunião secreta no dia 20 de fevereiro de 1933 quando diversos magnatas alemães (proprietários de grandes empresas) se reúnem e decidem apoiar, bem como financiar o Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães, partido esse comandado por ninguém menos que Adolf Hitler.

Durante a reunião, o recém nomeado Chanceler da Alemanha Adolf Hitler recebeu a promessa de apoio financeiro de empresas como a Bayer, IG Farben, BMW, Allianz, Shell e outras. O objetivo de Hitler era arrecadar cerca de 3 milhões de Reichsmarks (moeda oficial da Alemanha na época), mas também afastar a ameaça comunista que ganhava força no território alemão e também suprimir a força que os sindicatos demonstravam.

Mas os planos de Hitler não pararam por ai, pois o líder máximo alemão tinha em mente uma política expansionista e o primeiro passo para aumentar os domínios alemães, bem como a exploração de matérias primas passava pela anexação da Áustria e para isso ele contava com a indiferença ou silêncio de outros líderes europeus, ao mesmo tempo empregou uma guerra psicológica com o chanceler austríaco. No final das contas Hitler conseguiu o que queria, anexou a Áustria aos domínios da Alemanha de forma pacífica e contou com o apoio de boa parte dos austríacos para isso.

Opinião: A Ordem do Dia é um livro que me fascinou e muito, pois trata-se de uma história concisa que desafia as percepções da história e principalmente do tempo, é movido um pouco pela ironia, talvez para alguns possa haver um excesso de ironia ao descrever situações, mas também por personagens históricos que contribuíram para esse período negro da história através da destruição e genocídio. É interessante que atrás dos fatos são inúmeros fatores e decisões tomadas para satisfazer determinado grupo ou figura política pela famosa troca de favores.

Um aspecto importante abordado pelo autor são as propagandas nazistas, pois em diversos momentos Hitler e o Partido Nazista lançaram mão de propagandas falsas para ludibriar o povo alemão e líderes dos países europeus. Essas propagandas também serviram para que o Terceiro Reich infligisse medo e terror nos opositores, fossem eles internos ou externos.

Vuillard nos apresenta diversas informações e momentos sobre a ascensão do partido nazista ao poder, como o quanto foi importante o apoio financeiro concedido pelas empresas alemãs para que o partido se mantivesse no poder, mas também para eliminar obstáculos e dar prosseguimento aos objetivos traçados por Hitler como a anexação da Áustria. Outro aspecto que influenciou a ascensão do Terceiro Reich foram os ótimos discursos diante do pessimismo do povo alemão devido a derrota na Primeira Guerra Mundial e pela humilhação sofrida com o Tratado de Versalhes de 1919.

O fato de Vuillard apresentar os bastidores desse período entre as duas guerras mundiais é fascinante, pois ele esclarece e demonstra todo o poderio político e também o peso desse poder junto às nações importantes daquela época, o que fica claro que a narrativa apresentada foi construída com base em evidências e documentos históricos.

Em suma, essa foi uma leitura rápida (são apenas 160 páginas) e fluiu muito bem, pois a linguagem utilizada é envolvente e de fácil compreensão. Eu recomendo "A ordem do dia" para aqueles que gostam de história, romance/ficção histórica ou apenas um bom livro.


Sobre o autor: Éric Vuillard é escritor e diretor de cinema francês. Ele fez dois filmes, L'homme qui marche e Mateo Falcone, este último baseado em uma história de Prosper Merimee. Ele é o autor de Conquistadores que venceu o Prix de l'inaperçu em 2010. Ganhou o Prix Goncourt em 2017 por L'Ordre du jour.

Ficha técnica:
Título: A ordem do dia
Autor: Éric Vuillard
Tradução: Sandra M. Stroparo
Editora: Tusquets (Planeta de Livros)
Páginas: 144
Ano: 2019
ISBN: 9788542216912
Onde comprar: Amazon

Postar um comentário

0 Comentários