[RESENHA #785] CONTOS: VOLUME III - H. P. LOVECRAFT

Sinopse: Nesta edição, volume III da coleção, reunimos alguns dos contos mais famosos de H. P. Lovecraft, que fazem parte de seu “Horror Cósmico”. O volume contém “A cidade sem nome”; “A coisa na soleira da porta”; “O cão de caça”; “O depoimento de Randolph Carter” e “Os sonhos na casa da bruxa”. Mais uma leitura imperdível para os amantes do horror. 

Resenha: A resenha da vez é novamente para explorar o horror cósmico e fantástico de um autor que deixou o anonimato e passou a ser respeitado pelos universos e personagens fantástico que criou. Aliás, esse reconhecimento demorou um bom tempo, pois Lovecraft alcançou a fama e popularidade apenas após a sua morte. No final de 2020 a editora Martin Claret publicou o terceiro volume com cinco contos do autor, você pode conferir abaixo.

A cidade sem nome: Aqui Lovecraft nos apresenta um explorador que está atravessando um deserto na companhia de um camelo. Ele deseja encontrar  as ruínas de uma cidade temida e misteriosa que pertenceu a uma civilização sem nome. Com pouquíssimas informações sobre o local, o explorador durante a sua jornada descobre algumas pistas, até que em determinado momento ele se depara com algumas ruínas e construções inconsistentes. Ao se aprofundar nas ruínas, o protagonista aos poucos descobre sobre o povo que ali viveu e qual era o seu relacionamento com os povos humanos daquela época.

Opinião: Esse conto é conduzido e tem apenas um personagem, mas isso não é nenhum problema. É interessante acompanhar as descobertas realizadas pelo explorador, os textos apresentados nos quadros nessas ruínas, representando monólogos a partir do seu ponto de vista e observação. Esse é um conto que pode assustar alguns leitores que não estão habituados com a escrita e histórias do Lovecraft e o mais legal é que não dá para ter muita ideia do que esperar sobre o desfecho da história, aliás, é um final que surpreende.

A coisa na soleira da porta: Essa é a história de Edward Derby, contada pelo seu amigo Dan e ambos são moradores da cidade de Arkham. Edward nasceu em uma família abastada e foi mimado desde jovem. Demonstrando um grande intelecto, Edward sempre estudou muito o ocultismo e esoterismo, isso o afastou da vida social, ele na verdade possuía poucos amigos e com o passar do tempo tornou-se uma pessoa fechada e introspectiva.

Em determinado momento da sua vida ele conheceu a misteriosa Asenath Waite, para alguns uma feiticeira e filha do sombrio Epharaim Waite. Tão logo passou a ter contato com ela, Edward Derby se apaixonou por essa mulher, a qual o seu amigo Dan lamentou e reprovou a situação, pois ela não era vista com bons olhos por todos. A relação entre Edward e Asenath tornou-se próxima e ao mesmo tempo perigosa, algo que com o passar do tempo gerou problemas e pesadelos jamais imaginados por ele.

Opinião: Esse conto está entre aqueles chamados de "Mitos Cthulhu" em que há criaturas bizarras e grotescas como seres meio-peixes e meio-homem, onde há horrores mórbidos e situações repletas de mistérios e suspense. Esse é um conto bem construído, a história é bem contada, apresenta uma atmosfera sombria e o final é surpreendente. Em suma, é um conto com a marca de Lovecraft e é imperdível!

O cão de caça: Nesse conto acompanhamos dois saqueadores e profanadores de túmulos, o protagonista da história e seu amigo John que possuem o hábito de roubar objetos e principalmente crânios nos túmulos do cemitério de Londres. Os "espólios" conquistados são realocados para um "museu" privado. Em certo momento os saqueadores descobrem informações sobre um cemitério na Holanda onde há um túmulo que remonta vários séculos e desperta muito interesse na dupla.

No túmulo jaz um cadáver de aproximadamente quinhentos anos, mas esse não é um apenas um cadáver antigo e qualquer, pois pertencia a um profanador de túmulos. Após saquear o cadáver, a dupla obtém um amuleto, o grande problema é que desse momento em diante uma criatura bizarra passa a persegui-los e atormentá-los, só que essa criatura não tem pressa de castigar os profanadores.

Opinião: Apesar de contar com um final de certa forma previsível, "O cão de caça" é um conto bem interessante, pois há terror e mistério no ar, além disso existe uma perpetuação do sinistro por meio dos hábitos da dupla que vive perturbando o descanso dos mortos. É interessante o aspecto comportamental dos personagens, principalmente do protagonista que em alguns momentos não é nada racional. O ser que assombra a dupla é misterioso e serve para provocar e apavorar a dupla. Em suma, eu gostei bastante do conto.

O depoimento de Randolph Carter: Escrito no ano de 1919 e publicado originalmente em 1920, nessa história acompanhamos o relato, ou melhor, o depoimento à polícia de Randolph Carter sobre o desaparecimento do seu amigo Harley Warren. Randolph foi a última pessoa que viu Warren e por isso ele é tido como o principal suspeito e responsável pelo desaparecimento de Warren. Randolph conta para a polícia tudo o que é capaz de lembrar sobre a noite em que seu amigo desapareceu, as informações são passadas, mas tudo o que ele conta parece ser incompreensível, as suas explicações causam desconfiança a polícia e ele se apega ao seu depoimento para provar a sua inocência.

Opinião: O interessante desse conto é que o mal não é apresentado, não sabemos ao certo o que ele é, mas ainda assim esse ser misterioso atormenta e aterroriza os personagens, o horror está no ar e de forma algo oculta. Eu fiquei imaginando essa criatura medonha aterrorizando as vítimas. Um ponto positivo nesse conto é a escrita do autor, pois é simplesmente elegante e me agradou muito.

Os sonhos na casa da bruxa: Nesse conto acompanhamos Walter Gilman, ele é um universitário e estuda na faculdade da cidade de Arkham. Gilman em determinado momento resolve fazer diversas pesquisas misturando cálculos, física e matemática em geral com folclore, incluindo a histórias sobre a Prisão de Salém. Ele passa seu tempo mergulhado nas pesquisas e estudos científicos no sótão de uma velha casa que outrora pertenceu a uma bruxa. O grande problema é que ele passa a ter visões e pesadelos terríveis onde vislumbra uma criatura tétrica e sua dona, a bruxa Keziah Mason e seus dias mudam completamente.

Opinião: Esse é mais algum dos muitos contos que Lovecraft escreve utilizando do tema sonhos e o interessante aqui é que os sonhos são a parte principal e servem para descrever a história ainda que de forma fragmentada. Outro aspecto interessante é que esses sonhos são insanos e bizarros. Esse conto é curtinho e bem eletrizante, o que achei bem positivo. A história apresentada é interessante, envolvente e vibrante, serve também como porta de entrada aos mitos lovecraftianos.

Opinião geral: Esse volume III nos apresenta contos magistrais, não é à toa que Lovecraft é considerado um dos grandes mestres do horror, ele é fenomenal ao narrar o inconcebível, ao criar cenários que mechem com a nossa imaginação, abusando é claro das descrições, isso torna a experiência mais vívida, torna a leitura mais prazerosa.

O suspense, mistério e horror estão presente todos os contos, mas em alguns de forma mais acentuada e em outros nem tanto, em alguns as histórias são mais agonizantes e misteriosas, já em outras o autor é mais sutil. O autor trabalha novamente com o tema sonhos, algo que está presente no conto "Os sonhos na casa das bruxas" e eu acho essa temática muito legal, aliás, essa temática é algo recorrente nos contos do autor e a cada vez me surpreendo mais com a capacidade dele criar contos loucos e sinistros com esse tema.

Em suma, falar de Lovecraft é "chover no molhado", pois é um autor que gosto muito, já li e reli diversos contos dele e mesmo assim sou surpreendido pelo autor, ainda assim eu fico fascinado com a escrita dele. Recomendo a leitura de "Contos: Volume III" para todos aqueles que querem conhecer os trabalho do Lovecraft, bem como para aqueles que já conhecem em parte ou no todo, pois os contos são envolventes e a leitura flui muito bem.

Sobre o autor: Howard Phillips Lovecraft, filho de Sarah Susan Phillips e Winfield Scott Lovecraft, nasceu na casa de seus avós maternos em 20 de agosto de 1890 em Providence, Rhode Island, Estados Unidos. Lovecraft tinha uma saúde delicada, fato que lhe impedia de frequentar a escola assiduamente. Lovecraft, foi uma criança precoce. Aos três anos foi alfabetizado, lia e recitava poemas. Aos cinco anos leu As Mil e Uma Noites; e aos seis escreveu O Poema de Ulisses, obra rimada com 88 linhas inspirada na Odisséia. A partir daí, o jovem estuda em casa sem o acompanhamento de tutores. Retorna para a mesma escola em 1902. Neste período, interessa-se por astronomia e redige o "Jornal de Astronomia de Rhode Island" que teve 69 edições.

Em 1936, a notícia do suicídio do seu amigo Robert E. Howard deixou-o profundamente entristecido e abalado. Nesse ano, a doença que o mataria (câncer no intestino) já avançara o bastante para que pouco se pudesse fazer contra ela. Pelos meses seguintes, Lovecraft aguentou dores cada vez mais crescentes, até que, a 10 de março de 1937, viu-se obrigado a internar-se no Hospital Memorial Jane Brown. Ali morreria cinco dias depois. Contava então 46 anos de idade.

Ficha técnica:
Título: Contos - Volume III
Autor: H. P. Lovecraft
Tradução: Thelma Médice Nobrega
Editora: Martin Claret
Páginas: 176
Ano: 2020
ISBN: 9786586014815
Onde comprar: Amazon

Postar um comentário

1 Comentários

  1. Oie ^^
    Infelizmente raramente leio contos. Não é um tipo de história que eu goste. Mas achei a capa muito bonita.
    Beijos

    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir