[RESENHA #794] FELIZ ANIVERSÁRIO, CLARICE - HUGO ALMEIDA

 

Sinopse: Em 2020, centenário de nascimento de Clarice Lispector, completam-se também 60 anos da publicação de Laços de família, seu mais célebre livro de contos. Para essa dupla comemoração, 27 ficcionistas brasileiros dialogam com a obra da escritora e a homenageiam, nesta coletânea que traz narrativas inspiradas em cada um dos contos de Laços de família. Intertextuais ou não, as recriações têm pontos de vista bem diferentes ou mesmo opostos. São, em geral, duas por conto de Clarice, uma escrita por mulher e outra por homem, quase sempre de estados e idades distantes, numa amostragem da rica e diversificada literatura brasileira contemporânea. Enriquecem o volume depoimentos de cada um dos autores sobre a “gênese dos contos”.

“Seja qual for o ponto irradiador, a escrita nova abre-se em perspectivas múltiplas, em que os laços de família e outros laços possíveis no campo das relações humanas são aqui revisitados na sua complexidade e no seu mistério. Eis um modo ao mesmo tempo instrutivo e divertido de se reinventar Clarice, numa demonstração de que seu legado, precioso, continua bem vivo entre nós.”

Nádia Battella Gotlib

Resenha/Opinião: Pensar em Clarice Lispector e falar de sua obra é uma grande responsabilidade, dona de várias faces e podendo ser interpretada de várias formas, ela tem a característica de, em suas obras, transparecer sempre o enfrentamento entre o idealismo e a pura realidade.

Gosto de pensar, e dizer, que temos várias Clarices que podem ser interpretadas por meio de vários ângulos e olhares diferentes. Com isso, gostaria de demonstrar o quão peculiar foi essa autora nascida na Ucrânia e brasileira naturalizada, que escrevia em versos simples para, segundo ela mesma dizia: “tentar compreender melhor a vida”.

O livro “Feliz aniversário, Clarisse” conseguiu captar exatamente a ideia de múltiplas interpretações da obra, respeitando a complexidade da autora. Os 13 contos nele apresentados são assinados por ficcionistas brasileiros de ambos os gêneros, com origens e visões de mundo distintas, o que torna a composição ímpar. Uma obra para o leitor se deliciar em cada linha.

Uma coisa importante me veio à cabeça durante a leitura e gostaria de deixar aqui registrado que por não serem contos completamente intertextuais com a obra original de Clarice, não existe a necessidade de algum leitor deixar de apreciar este livro por ainda não ter lido a autora. Preciso dizer também, aos leitores que ainda não se entregaram a esse prazer, que estão deixando de conhecer obras que são divisores de águas, tanto na literatura, quanto na vida. Sendo assim, aqui está um bom ponto de partida, para quem quer começar a conhecer essa joia da literatura nacional.

Conhecer “Laços de família”, obra de Clarice na qual foram inspirados os contos dessa edição de comemoração do centenário da autora, não é excludente para apreciar este livro, mas, preciso confessar, que conseguir ler os textos e relacioná-los de alguma forma às palavras da autora dão um tempero a mais na leitura.

Então, se você é um leitor que aprecia a escrita simples sobre assuntos densos, está com a obra certa nas mãos. Aqui é possível experimentar a inquietação de sentimentos, empatizar com a dor dos personagens, nos apaixonarmos com eles, e sentir o estranhamento com o mundo, característica marcante de toda obra de Clarisse, aqui resgatados.

Não vou ousar escolher um dos contos como meu preferido pois poderia estar cometendo alguma injustiça com todos os outros, cada um deles tem sua própria beleza e individualidade, aconselho ao leitor não ler todos os contos ao mesmo tempo, meu conselho é respeitá-los como as histórias individuais que são, para assim conseguir aproveitar cada pequeno detalhe de cada um deles.

Sobre o autor: O livro é composto de 13 contos, cada um com um autor correspondente. O organizador desta obra, Hugo Almeida, (Nanuque, MG, 1952) deixou a cidade natal com menos de dois meses, passou a infância na Bahia (pai baiano, mãe mineira), morou 22 anos em Belo Horizonte e desde 1984 vive em São Paulo. Jornalista formado pela UFMG (1976), é doutor em Literatura Brasileira pela USP (2005), com tese sobre A rainha dos cárceres da Grécia, de Osman Lins. Em 2016, organizou e publicou a coletânea Nove, novena: variações. Organizou (e prefaciou) Osman Lins: o sopro na argila (2004), ensaios, e, com Rosângela Felício dos Santos, Quero falar de sonhos (2014), artigos de OL. É autor do romance Mil corações solitários, Prêmio Nestlé-1988; de Viagem à Lua de canoa, incluído no PNBE em 2011, de Cinquenta metros para esquecer (contos, 1996), e outros livros.

Ficha técnica:
Título: Feliz aniversário, Clarice
Autor: Hugo Almeida, organizador
Editora: Autêntica
Páginas: 272
Ano: 2020
ISBN: 9786559280032
Onde Comprar: Amazon

Postar um comentário

0 Comentários