[RESENHA #795] O ESTADO SERVIL - HILAIRE BELLOC

 

 

Sinopse: O Estado Servil é um livro escrito por Hilaire Belloc, em 1912, sobre economia. Apesar de mencionar a teoria do Distributivismo, pela qual o autor e seu amigo G. K. Chesterton tornaram-se famosos, a obra evita defender explicitamente este sistema econômico. O livro delineia a versão de Belloc da história econômica da Europa: começando na Antiguidade, quando a escravidão era um pilar do sistema produtivo, seguindo através da economia medieval, baseada na servidão e na trabalho agrário, até chegar ao capitalismo moderno. O autor argumenta que o desenvolvimento do capitalismo na Inglaterra, tal qual ele o define, não foi uma consequência natural da Revolução Industrial, mas o produto da dissolução da antiga organização econômica baseada nos mosteiros medievais. O economista austríaco Friedrich Hayek considerava O Estado Servil uma obra sumamente importante, e tomou-a como referência na escrita do seu clássico “O Caminho da Servidão”. 

Resenha/Opinião: Escrito por Hilaire Belloc e publicado originalmente em 1912, "O Estado Servil" inicia-se com uma introdução elaborada pelo próprio autor explicando a sua motivação e caminhos que o levaram a escrever o Estado Servil, em especial, sobre aspectos do trabalho assalariado em relação aqueles que possuem os meios de produção.

Durante a leitura percebemos que Hilaire Belloc nos apresenta e oferece uma história clara e breve da economia na Europa. O autor expõe uma tese interessante ao defender que a sociedade industrial da forma que conhecemos tem a tendência de em determinado momento reestabelecer a escravidão. 

Belloc declara que a nossa sociedade moderna e livre conduz os meios de produção nas mãos de poucos e esta apresenta um desequilíbrio, mas que tal desequilíbrio tende alcançar uma estabilidade através do trabalho compulsório exigível para aquelas que não possuem ou detém os meios de produção. Essa é a definição do Estado Servil oferecida pelo autor estabelecida na visão de uma sociedade em que indivíduos e famílias serão obrigados por lei a trabalhar em benefício de outras famílias e indivíduos.

Ainda na visão de Belloc, o homem moderno, via de regra, por não possuir as propriedades produtivas, é um escravo assalariado. Ele é um escravo de um capitalista mais rico que é mais experiente e detém mais conhecimentos no campo econômico. Todavia, Belloec acredita que em vários estados, enquanto líderes políticos tentam libertar o dito proletariado do julgo do homem rico, na verdade, eles estão prendendo-o ainda mais nesse tipo de escravidão. Outro aspecto interessante que caracteriza o homem e o deixa ligado ao Estado Servil são as leis de seguro-desemprego e até mesmo a imposição de um salário mínimo.

O Estado Servil permite nos apresenta uma perspectiva e melhor compreensão dos dias de hoje. Aliás, fica claro que há críticas ao modelo capitalista em relação a instabilidade inerente do sistema, tendo em vista as inúmeras discrepâncias e desequilíbrios entre aspectos sociais, culturais e jurídicos, bem como as distribuições de propriedade que os grandes capitalistas detém em relação aos proletários ou trabalhadores. Contudo, devemos lembrar que essa análise foi realizada na industrialização ocorrida na Inglaterra até o início do século XX e tais discrepâncias entre os grandes capitalistas e proletários foram reduzidas.

Em suma, eu não sou um estudioso de economia, apenas de história e do direito, mas estou adentrando no campo da ciência política e esse livro foi uma grata surpresa principalmente por apresentar diversos temas, passando pela economia, ciência política e sociais, aspectos do direito e teoria geral do Estado. Essa é uma leitura esclarecedora e essencial para entender um pouco mais sobre o desenvolvimento do Estado, os aspectos do capitalismos e socialismo, mas também para entendermos as diversas realidades socioeconômicas presentes na humanidade.

Sobre o autor: Hilaire Belloc (1870-1953), foi um escritor, historiador, poeta e ativista político anglo-francês da primeira metade do século. Nascido na França, naturalizou-se britânico em 1902. Belloc compôs dezenas de livros abrangendo diversos assuntos. É considerado, ao lado de seu amigo íntimo G.K. Chesterton, de H.G. Wells e de George Bernard Shaw, um dos quatro principais autores da Era Eduardiana. Sua proximidade com Chesterton era tamanha, que seus contemporâneos usavam o termo Chesterbelloc para designar a parceria

Ficha técnica:
Título: O Estado Servil
Autor: Hilaire Belloc
Editora: Danúbio
Páginas: 180
Ano: 2017
ISBN: 9788567801117
Onde Comprar: Amazon - Editora Danúbio

Postar um comentário

0 Comentários