[RESENHA #813] INQUEBRÁVEL - ROBSON GABRIEL

Sinopse: Dor. Esta é a única coisa que consigo sentir agora. Jamais pensei, em toda a minha vida, que seria abandonado por aqueles que diziam me amar. A sensação de impotência é agonizante, parece que vai rasgar o meu peito e destruir o restinho do eu que ainda sou. Eu juro que tentei ser o garoto perfeito, o exemplo em tudo que fazia, mas chega uma hora em que a gente precisa se libertar. O verdadeiro Daniel estava bem ali, diante dos meus pais. Eles diziam me amar, mas aquilo não passava de uma mentira baseada em uma vida de controle. Quando o pior aconteceu, pensei que estava sozinho, mas eu não estava. Foi quando percebi que os elos que formei nesta pequena jornada eram mais fortes que aço, todo o amor que senti conseguiu resistir ao trauma, se tornou inquebrável. Então, quero que vocês saibam que, assim como eu, não estão sozinhos. Não desistam de quem realmente são quando a dor te fizer chorar sem motivos. Vocês já sabem como foi o começo desta história. Estão prontos para saber como ela termina?

Resenha: Inquebrável é a continuação de "Imperfeito". Neste livro, Daniel está voltando para casa após um acidente que sofreu no livro anterior, ou ao menos é isso que sua mãe deixa ele entender, pois não quer que o filho, que esqueceu muito do que aconteceu em sua vida, se lembre de detalhes específicos. Daniel, porém, sente que não é mais bem vindo em casa, sente que ha algo de errado e percebe que a mãe está escondendo alguma coisa dele. 

Quando sua memória volta aos poucos, ele pede ajuda para seu melhor amigo, Andy, para descobrir tudo o que aconteceu e o que sua mãe não quer que ele descubra. Mas Andy, mesmo não concordando com o que a mãe do rapaz faz, não conta tudo o que sabe. Ao invés disso, Andy vai atrás de um especialista, para entender o porquê Daniel não lembra de tudo e o que pode fazer para o ajudar. 

Em sua busca de ajudar o amigo, Andy conhece os amigos de Daniel e se aproxima, especialmente, de Bernardo, o namorado de Daniel quando tudo aconteceu e o convence a procurar o rapaz antes que tudo seja descoberto da pior forma possível. Mas ao mesmo tempo, as verdades sobre a vida como ela está atualmente, explodem para Daniel, que precisa aprender a lidar com as mudanças repentinas, o preconceito e, especialmente, seus próprios sentimentos confusos sobre amar duas pessoas. 

Opinião: Inicialmente fiquei perdida com a história, porque recebi o segundo livro sem antes ter lido o primeiro. Mas o fato de Daniel não se lembrar do que aconteceu, fez com que eu acabasse entrando na história e descobrindo tudo junto com ele, o que me ajudou a sentir um pouco o que ele sentia e me simpatizasse um pouco mais com ele.

Daniel é um personagem que, normalmente, eu acharia difícil de me simpatizar. Ele é muito egocêntrico e mimado, pensa muito no que ele sente, nos erros dele, no que ele sofre e esquece que as pessoas ao redor dele também sentem alguma coisa, também sofrem e também erram. Mas o fato de ele estar tão confuso sobre tudo, acabou por me fazer compreender um pouco melhor o que ele estava passando. 

Quanto a Andy, ele foi, de longe, o meu personagem favorito. Tudo o que Daniel tem de egocêntrico, Andy tem de altruísta. Foram diversas as vezes que ele colocou os sentimentos de Daniel acima dos seus, que correu atrás para fazer o outro sorrir, mesmo que ele mesmo tivesse vontade de chorar. E foi atrás do namorado do amigo, mesmo sentindo um amor impossível de conter por ele. Andy foi um exemplo do que amar uma pessoa significa, além de ter seus próprios problemas, que o tornaram tão humano. 

Bernardo foi o personagem que eu menos gostei. Ele apareceu apenas para completar um trio, essa foi a sensação que tive. Ele não correu atrás de ninguém, precisaram sempre ir atrás dele. Por mais que ambos sentissem algo bom por ele, Bernardo sempre me passou a impressão de ser ele por ele, e seu prazer acima de qualquer outro sentimento. Mas não egocêntrico a ponto de ser ciumento. 

Houve um ponto no final da história que achei um pouco forçado acerca da relação dos personagens; que se fosse colocada de uma forma mais "lenta", mostrando melhor os sentimentos dele, me convenceria melhor, mas foi rápido demais e acabou não me convencendo muito. Porém, gostei muito da obra do ponto de vista de Andy, das lições acerca da aceitação da família em relação a opção sexual dos personagens e, especialmente, a própria aceitação. Foram lições importantes e que foram tratada de forma sutil. 

Sobre o autor:  Viciado em livros desde criança, o paulista e estudante de Jornalismo Robson Gabriel desenvolveu o blog Perdido em Palavras, viveu seus amores literários, criou fã clubes de séries e mediou eventos para os mais diversos tipos de leitores. Foi a partir daí que começou a contar suas próprias histórias e, desde então, nunca mais parou de escrever. Robson participou da antologia Todas as cores, com o conto “O primeiro beijo” e a edição auto publicada do romance Imperfeito se manteve entre os cem livros mais vendidos da plataforma durante o primeiro mês de seu lançamento, e foi o mais vendido no mesmo período na categoria LGBT.

Ficha Técnica:
Título: Inquebrável
Autor: Robson Gabriel
Editora: Ler Editorial
Páginas: 204
Ano: 2017
ISBN: 9788568925449
Onde Comprar: Amazon

Postar um comentário

0 Comentários