[RESENHA #818] PARA UMA OUTRA IDADE MÉDIA - JACQUES LE GOFF

  

Sinopse: Através dos três domínios essenciais da história - o tempo, o trabalho e a cultura -, Jaques Le Goff, um dos mestres da nova história, conduz uma pesquisa em que se aliam a história e a etnologia, em que a Idade Média se torna o lugar de uma antropologia histórica do Ocidente

Resenha/Opinião: Escrito pelo historiador medievalista francês Jacques Le Goff e publicado originalmente em 1977, "Para uma outra idade média: Tempo, trabalho e cultura no Ocidente (Pour un autre Moyen Âge: temps, travail et culture en Occident:18 enssais)" tem por objeto o estudo temas como: tempo, trabalho, sistema de valores, cultura erudita e popular no Ocidente, especificamente durante a Idade Média no continente europeu.

Dentre os muitos temas que me fascinam na história, a Idade Média foi o que despertou inicialmente meu interesse pela história ainda na minha transição de infância para adolescência, o que é claro, aconteceu há muito tempo. Jacques Le Goff é um autor que eu passei a conhecer através de pesquisas sobre temas desse período que compreende entre os séculos V e XV. Aliás, quando tive a oportunidade de solicitar "Para uma outra idade média" na Editora Vozes (2013) eu não pensei duas vezes.

Dividido em quatro partes, a primeira delas é dedicada ao Tempo e trabalho. Nesse primeiro momento o autor descreve a crescente importância do trabalho, algo que em certo momento foi considerado uma atividade proibida pela igreja. Contudo, com o surgimento e crescimento das cidades, a classe mercantil foi ganhando força e importância na sociedade daquele tempo, diante disso, a Igreja mudou de comportamento e logo passou a favorecer a evolução das estruturas econômicas e profissionais, ainda que de forma lenta e com algumas dificuldades. Em alguns séculos, mais especificamente a partir do século XIII, o trabalho passou a ser considerado uma atividade normal diante dos olhos da igreja.

Durante a segunda, o trabalho reside no campo da discussão, só que agora ligado ao pensar, no caso em questão, aos meios universitários, à cidade e também ao poder público. Le Goff nos apresenta questionamentos sobre a função do saber científica e sobre qual seria a sua importância na sociedade medieval, mas também suscita questionamentos sobre a possibilidade do saber e a inteligência serem vendidas, pois seria correto vender um trabalho dessa forma tendo em vista que o pensar é um dom que foi dado por Deus? Seria o pensar e espalhar conhecimentos um ofício? Como a igreja e a universidade medieval viam isso?

Já na terceira parte, salta aos olhos a cultura na Idade Média, qual era a sua ligação com as tradições de séculos passados, mas também como era a divisão entre a cultura popular e a cultura do clérigo, aquela proveniente da igreja. Para Jacques Le Goff há uma clara divisão cultural e é representada como um divisor social, aliás, essa divisão é analisada através das mentalidades, visões, ritos e comportamentos do homem daquela época, seja o dito homem "comum" medieval ou mesmo dos clérigos e daqueles considerados santos.

A quarta e última parte ao meu ver foi a mais densa para mim, pois aqui o autor aborda questões metodológicos, bem como a relação entre o campo da Etnologia com a História, quais foram as suas contribuições no estudo das estruturas sociais, dos objetos e tradições, do cotidiano daquela época.

Me chamou atenção a primeira parte em que o autor abordou a proibição do "trabalho" por parte da Igreja e fiquei pensando como seria os dias de hoje, o mundo atual, se a igreja tivesse de fato conseguido resistir e proibir o trabalho, tendo em vista que a Igreja Católica Apostólica Romana tinha uma grande influência e poder naquele tempo. Outro tema que me suscitou reflexões e profundo interesse foi justamente o campo da cultura, seja ela popular ou eclesiástica, pois assim é possível compreender ainda mais o homem daquele tempo.

Esse livro é interessante e nobre, pois o autor visa estabelecer uma ponta entre a história e antropologia, para aqueles como eu que apenas possuem interesse em estudar a história, essa leitura pode ser em alguns momentos um tanto quanto difícil, pois esse é um livro denso, tem muitas informações e ao longo da leitura pude perceber que o autor faz uso de elementos técnicos em seu texto, eu ainda não li os outros livros do Jacques, mas fica claro que esse é um livro mais acadêmico. É uma leitura que recomendo para todos aqueles que amam história, principalmente para aqueles que tem como objeto de estudo ou curiosidade o período que abrange a Idade Média.

Sobre o autor: Jacques Le Goff (Toulon, 1 de janeiro de 1924 — Paris, 1 de abril de 2014) foi um historiador francês especialista em Idade Média. Autor de dezenas de livros e trabalhos, era membro da Escola dos Annales, pertencente à terceira geração, empregou-se em antropologia histórica do ocidente medieval.

Ficha técnica:
Título: Para uma outra Idade Média: Tempo, trabalho e cultura no Ocidente
Título original: Pour un autre Moyen Âge - Temps, travail et culture en Occidente
Autor: Jacques Le Goff
Tradução: Thiago de Abreu e Lima Florência e Noéli Correia de Melo Sobrinho
Editora: Vozes
Páginas: 536
Ano: 2013
ISBN: 9788532643766
Onde comprar: Amazon - Livraria Vozes

Postar um comentário

0 Comentários