[RESENHA #823] OS LUSÍADAS - LUÍS DE CAMÕES

  


Sinopse: O maior clássico da língua portuguesa também está à venda em nossa editora. Os Lusíadas, de Luís de Camões, é o que de melhor podemos oferecer às nossas crianças. 

Pensando no estudo da obra e em todos os esforços para conhecer a história, a língua e a cultura por meio dela, lançamos essa edição didática que facilita o trabalho de elaboração de comentários e anotações. Ela vem com margens espaçosas, capa dura, página de separação aos cantos, apenas duas estrofes por página e espaço reservado para quaisquer notas. É perfeita, portanto, para o estudo pessoal. E sem contar com o poema de Manuel Bandeira, “A Camões”, que logo nas primeiras páginas homenageia o nosso Príncipe dos Poetas!

Resenha: Escrito por um dos maiores nomes da literatura lusófona, o poeta português Luís de Camões (considerado o maior nome do classicismo por muitos), "Os Lusíadas" foi publicado originalmente em 1572, período esse das grandes navegações, época em que Portugal era uma das grandes potências marítimas do mundo e estava em plena expansão comercial, bem como dominava boa parte do continente sul-americano.

Os Lusíadas é uma narrativa de enaltecimento dos grandes homens/heróis de Portugal, em especial do navegador, explorador e administrador português Vasco da Gama, que algumas décadas antes, na companhia de outros marinheiros, deveria encontrar um caminho pelos mares para chegar até as Índias orientais, algo que ocorreu entre os anos de 1497 e 1499. Ao mesmo tempo, o autor discorre sobre fatos envolvendo grandes vilões daquele tempo.

Aliás, para contar a história do povo português e de Vasco da Gama, Camões inspirou-se na antiguidade clássica, utilizando o poema épica, um gênero poético que faz uso da grandiloquência para contar a história de um povo, algo que podemos conferir em Ilíada ou Odisseia do grego Homero e até mesmo em Eneida, do poeta romano Virgílio.

Ao longo da leitura fica claro que grande parte do poema inicia-se no "In media res" (no meio das coisas, técnica literária em que a narrativa começa no meio da história), ou seja, Camões optou pela ação e acompanhamos a viagem de Vasco da Gama com seus companheiros já em curso para o Cabo da Boa Esperança, lugar esse que servia como ponto para alcançarem a Índia, passando pela costa do continente africano.

Durante a viagem, os lusitanos enfrentam diversas dificuldades e contratempos, muitas delas foram impostas pelos mouros, por alguns povos hostis e outras dificuldades que foram criadas pelo deus Baco, que visa dificultar ao máximo a empreitada de Vasco da Gama e seus companheiros. Não obstante, os portugueses ainda precisam enfrentar um gigante que personifica o Cabo das Tormentas e até mesmo tempestades mortais. Contudo, os portugueses demonstram coragem, eles comprovam o seu valor no mar e fazem prevalecer a fé cristã nas dificuldades.

Apesar da fé cristã do povo daquela época, fica claro a presença da mitologia greco-romana nas interferência cometidas pelos deuses da antiguidade clássica durante a viagem dos portugueses. Essa interferência também pode ser benéfica, pois os marinheiros portugueses são auxiliados pelo deus Marte e deusa Vênus, enquanto são perseguidos por Baco e Netuno. Além disso, o próprio autor em alguns momentos invoca em sua narrativa as ninfas como forma de inspiração. Essas figuras mitológicas são citadas e consideradas criaturas demoníacas em um documento de liberação dado pela inquisição.

Os Lusíadas foi dividido em dez cantos que foram subdivididos em estrofes de oito versos. Aliás, existe uma divisão em partes e são elas: Proposição, Invocação, Dedicatória, Narrativa e Epílogo. Em cada uma dessas cinco partes Camões revela sobre o que versará, pedindo inclusive ajuda para as ninfas do rio Tejo iluminação necessária para contar sobre as grandes aventuras dos portugueses. Camões também dedica a sua obra ao rei D. Sebastião, ao tempo que nos mostra essa fascinante história sobre os heróis das grandes navegações, heróis esses responsáveis pela expansão comercial de Portugal, tudo contado com muito lirismo. Contudo, a narrativa da história fica sob a ótica do grande e famoso navegador português, Vasco da Gama, mas em alguns momentos passa por personagens de menor relevância.

A leitura de "Os Lusíadas" não foi algo fácil, mas também esteve longe de ser extremamente difícil, reside mais no fato da minha falta de experiência em ler poemas épicos. Contudo, foi uma leitura prazerosa, edificante e desafiante. Eu simplesmente adorei o tom de louvor e exaltação de Camões para com a história do seu povo, bem como em relação as conquistas e feitos dos portugueses, o que é demonstrado não apenas por meio das Grandes Navegações, mas também por meio da história de próprio Portugal desde os seus primórdios.

Outro aspecto interessante é que o uso da mitologia greco-romana foi apenas para fins artísticos, deixando claro que o povo português era fiel apenas ao Deus cristão. Aliás, essa posição de Camões é importante se levar em conta o seu tempo, pois os seus escritos eram analisados pela Inquisição, ou seja, podendo haver censura ou até mesmo perseguição ao autor.

Os Lusíadas é um grande clássico, é um livro canônico e certamente assusta muitos leitores por sua complexidade, ainda que em muitas vezes essa complexidade resida apenas no campo das aparências. Para auxiliar a leitura o leitor poderá realizar pesquisas e também contar com leituras de apoio para facilitar a compreensão, o que vai deixar a leitura mais prazerosa. Esse livro é simplesmente um grande tesouro da língua portuguesa! Recomendo para todos que queiram conhecer um pouco sobre a pátria mãe!

Sobre o autor: Luís Vaz de Camões (Lisboa[?], c. 1524 — Lisboa, 10 de junho de 1580) foi um célebre poeta de Portugal, considerado uma das maiores figuras da literatura em língua portuguesa e um dos grandes poetas do Ocidente.

Pouco se sabe com certeza sobre sua vida. Aparentemente nasceu em Lisboa, de família da pequena nobreza. Sobre sua infância tudo é conjetura mas, ainda jovem, terá recebido uma sólida educação nos moldes clássicos, dominando o latim e conhecendo a literatura e história antigas e modernas. Pode ter estudado na Universidade de Coimbra, mas sua passagem pela escola não é documentada. Frequentou a corte de Dom João III, iniciou sua carreira como poeta lírico e se envolveu, como narra a tradição, em amores com damas da nobreza e possivelmente plebeias, além de levar uma vida boêmia e turbulenta. Diz-se que por conta de um amor frustrado se autoexilou na África, alistado como militar, onde perdeu um olho em batalha. Voltando a Portugal, feriu um servo do Paço e foi preso. Perdoado, partiu para o Oriente. Passando lá vários anos, enfrentou uma série de adversidades, foi preso várias vezes, combateu bravamente ao lado das forças portuguesas e escreveu a sua obra mais conhecida, a epopeia nacionalista Os Lusíadas.

De volta à pátria, publicou Os Lusíadas e recebeu uma pequena pensão do rei Dom Sebastião por seus serviços prestados à Coroa, mas em seus anos finais enfrentou dificuldades para se manter. Logo após a sua morte a sua obra lírica foi reunida na coletânea Rimas, tendo deixado também três obras de teatro cômico. Enquanto viveu queixou-se várias vezes de alegadas injustiças que sofrera, e da escassa atenção que sua obra recebia, mas pouco depois de falecer sua poesia começou a ser reconhecida como valiosa e de alto padrão estético por vários nomes importantes da literatura europeia, ganhando prestígio sempre crescente entre o público e os conhecedores e influenciando gerações de poetas em vários países. Camões foi um renovador da língua portuguesa e fixou-lhe um duradouro cânone; tornou-se um dos mais fortes símbolos de identidade para a sua pátria e é uma referência para toda a comunidade lusófona internacional. Hoje a sua fama está solidamente estabelecida e é considerado como um dos grandes vultos literários da tradição ocidental, sendo traduzido para várias línguas e tornando-se objeto de uma vasta quantidade de estudos críticos.

Ficha técnica:
Título: Os Lusíadas
Autor: Luís de Camões
Editora: Domine
Páginas: 580
Ano: 2021
ISBN: 9788559180237
Onde comprar: Domine - Livraria do Italo

Postar um comentário

0 Comentários