[RESENHA #824] AUTOBIOGRAFIA DE UM ESCRAVO - FREDERICK DOUGLASS

 

Sinopse: “Não há um único homem sob a abóbada celeste que não saiba que a escravidão é errada para si mesmo.”
Frederick Douglass

“Frederick Douglass é um dos homens cuja trajetória pode ser classificada como uma das mais impressionantes da história mundial.

É importante ressaltar que Douglass não é apenas um personagem cuja relevância se reduz à história dos Estados Unidos. Trata-se de um homem cujas ideias e ações possibilitaram uma maior compreensão do mundo em que hoje vivemos e que deixou relatos que nos permitem assistir a como funcionavam as sociedades escravocratas.

Na Autobiografia aprendemos, por meio de seu olhar, de que modo as sociedades construídas sobre o trabalho escravo firmaram, a exemplo do que ocorreu no Brasil, um pacto de todos contra os escravizados, pacto este que está na composição das instituições jurídicas, das instituições políticas e na vida cotidiana.”
Da Apresentação, de Silvio Almeida

Resenha: Livros e filmes que retratam a escravidão sempre chamaram a atenção, pois eu particularmente gosto de estudar o tema, analisar a conduta humana, como era a sociedade nesses períodos em que a escravidão era empregada e também conferir as figuras históricas e comuns que lutaram contra o regime escravocrata. A Autobiografia de um escravo foi publicada pela Editora Vestígio nesse ano de 2021 e aqui podemos conferir a luta e vida de Frederick Douglass, um homem negro que foi escravo nascido na região de Maryland e que lutou contra a escravidão no século XIX nos Estados Unidos.

Dividido em 11 capítulos, acompanhamos a vida de Frederick Douglass, o período em que era escravo e visto apenas como uma propriedade até a sua fuga no ano de 1838. Tão logo iniciamos a leitura conhecemos a infância de Douglass, período esse que foi de sofrimento, pois aos sete anos de idade ele foi separado da sua mãe e ainda pairava sobre ele a suspeita de ser filho de seu próprio dono, um senhor de escravos.


Ainda em sua infância, Douglass é colocado para trabalhar na função de acompanhante de uma criança e o que ele recebe como contraprestação pelo trabalho é apenas o mínimo para sobreviver. Contudo, ele recebe um tratamento humano de uma senhora, que o ensina a ler e escrever. Porém, tais ensinamentos duram pouco tempo, pois o senhor de escravos toma conhecimento dessas aulas e proíbe que Douglass receba qualquer tipo de ensinamento e aprendizado, ou seja, ele não pode mais aprender a ler e escrever.

Desse momento em diante, ainda que haja uma proibição, Douglass não desiste e mantém em si uma força de vontade inabalável de aprender a ler e escrever, por isso, continua o aprendizado por conta própria. O fato de aprender a ler e escrever liberta o pensamento de Douglass como indivíduo, isso serviu como uma libertação dos abusos e sofrimentos que enfrentou e enfrentava, mas também serviu para ter a consciência do poder que o homem branco detinha em suas mãos, pois o homem branco utilizava de todo o conhecimento que tinha para escravizar o homem negro.

Aos poucos Frederick Douglass foi criando consciência e viu a necessidade de lutar pela sua liberdade, mas também para o seus e às escondidas, ele ensinava as outras pessoas escravizadas a ler e escrever, pois ele desejava que cada um fosse libertado, ainda que mentalmente, da condição de escravo, bem como de toda ignorância e desconhecimento que possuíam.

Após 20 anos na condição de escravo, Frederick Douglass consegue fugir do seu senhor e é desse momento em diante que a sua vida muda radicalmente, pois ele se torna um homem livre. É na condição de homem livre que ele publica um manuscrito que serviria como a sua autobiografia. Douglass passou a lutar contra a escravidão, sendo ativista na abolição da escravatura, inclusive viajando pela Europa, onde viu a necessidade de adotar ações pragmáticas nessa luta contra a escravidão.


A Autobiografia de um escravo foi uma experiência de leitura maravilhosa, é impressionante acompanhar a mudança na vida de um homem que através dos próprios esforços saiu da condição de escravo a palestrante, bem como um dos grandes nomes da abolição da escravatura dos Estados Unidos do século XIX.

Em sua autobiografia, Frederick Douglass ele se despe de qualquer veste do rancor, ódio ou triste, ele narra de forma sucinta e clara a realidade do homem de sua época, não há sentimentalismo em suas palavras, mesmo diante das atrocidades testemunhadas e vividas na pele, isso já mostra o quanto superior ele era aos homens do seu tempo.

A escravidão é algo que foi praticado ao longo de milhares de anos entre os seres humanos, mas nem por isso deixa de ser um ato abominável e vergonhoso na nossa existência. É simplesmente condenável e impensável subjugar o próximo, não entra em minha cabeça um ser humano ter outro como propriedade e usar dele como bem entender. Mesmo após a abolição da escravatura nos Estados Unidos ou até mesmo no Brasil, as marcas e cicatrizes ainda existem, o racismo e preconceito ainda estão em nossa sociedade e infelizmente acredito que vai demorar muitos e muitos anos para que o ser humano crie consciência que somos todos iguais e irmãos nesse planeta que dividimos e habitamos.

Em suma, apesar de tantos anos após a sua morte, Frederick continua sendo um ser humano inspirador, seja por sua luta contra o racismo e escravidão, mas também como exemplo de um homem que saiu da escravidão, ou seja, da condição de inexistência para ser tornar um estadista, escritor e ativista dos direitos humanos. Essa é uma leitura necessária e importante para conhecermos a nossa história como seres humanos, mas também a importância e influência que Frederick Douglass teve na luta contra a escravidão.


Sobre o autor: 
Frederick Douglass é um ex-escravo norte-americano que se tornou líder do movimento abolicionista dos Estados Unidos. Foi uma das principais vozes de seu tempo na defesa pelos direitos da população negra no período pós-abolição. Também é autor de My Bondage and My Freedom (Meu cativeiro e minha liberdade), e The Life and Times of Frederick Douglass (A vida e a época de Frederick Douglass).

Ficha técnica:
Título: Autobiografia de um escravo
Autor: Frederick Douglass
Tradução: Oséias Silas Ferraz
Editora: Vestígio
Páginas: 208
Ano: 2021
ISBN: 9786586551297
Onde Comprar: Amazon - Grupo Autêntica

Postar um comentário

0 Comentários