[RESENHA #832] AS FILHAS DE DANA - SIMONE O. MARQUES

Sinopse: Um romance de época diferente de todos que você já leu! Um livro intenso, que nos apresenta a realidade de um dos piores momentos que a humanidade viveu: a inquisição. Mergulhe na história, vivencie o sofrimento e se apaixone por essas personagens fortes, independentes e nada submissas, que vão contra tudo que a sociedade da época espera de uma mulher. A perseguição religiosa mostra a intolerância e a ignorância absurda das pessoas daquela época. Mas será que nos dias de hoje isso realmente acabou? 

Resenha/Opinião: O livro conta com quatro partes, separadas para contar a história de quatro mulheres, em diferentes momentos da história, mas todas ligadas por um fato, a missão de suas vidas, que está entrelaçada na história. 

Na primeira parte, acompanhamos a história de Adele. Ela é uma jovem que vive em uma vila pagã e está grávida quando um grupo de homens à serviço da igreja chega e ameaça sua crença, exigindo que todos se convertessem. Adele entra em trabalho de parto e em meio ao fogo colocado pelos inquisitores, Diogo, filho do líder deles, acaba por ajudar a mulher a fugir e dar a luz para sua pequena filha. O destino dos dois se une, assim como da mãe da jovem, que segue viagem com eles, fugindo da família de Diogo e em busca de um lugar seguro para criar a pequena menina. Mas Diogo possui um irmão gêmeo que não deixa de ir atrás do irmão, querendo provar que ele se juntou aos pagãos. Diogo, por outro lado, se vê cada vez mais apaixonado por Adele e, após muitas provações da mãe da jovem, ele acaba sendo aprovado para permanecer ao lado da mulher e aceita suas crenças, a apoiando e fazendo o necessário para manter sua nova família à salvo, até mesmo enfrentar sua família e seu passado, se assim for necessário. 

Na segunda parte, temos a vida de Danielle sendo contada. Ela é filha de Adele e, assim como a mãe, possui uma missão. Desde jovem, Danielle foi ensinada pela avó a ouvir os desejos da Grande Deusa a quem servem e por isso, mesmo que sua missão seja ir parar do outro lado do oceano, nas terras conhecidas como Brasil, está firme de que é o caminho que deve seguir. Danielle, porém, conhece Guilherme, um jovem que se deslumbra com ela e está disposto a seguir com a jovem para onde for preciso, mas que, segundo a avó da menina, não possui a força necessária. É Guilherme, porém, que a ajuda a fugir quando sua vila é ameaçada e, através dele, Danielle conhece Antonio, o irmão mais velho do rapaz, que, assim como o irmão, se deslumbra com a jovem e, especialmente, com sua força. Danielle vê nele a força e o amor que sempre sonhou, assim como sua ajuda para seguir com sua missão, que não é fácil, pois mesmo que no Brasil a influência da igreja seja menor, ainda possui alguns religiosos que não aceitam suas crenças. 

Na terceira parte, a história contada é de Teresa, filha de Danielle e Antônio. A menina é deixada pelos pais após um ataque à vida de sua mãe. Ela cresce acreditando que sua mãe morreu, assim como seu irmão mais novo. Criada pelos donos das terras onde seus pais trabalhavm como se fosse neta deles, ela sempre teve tudo e cresceu com a crença na igreja, apesar das histórias de sua infância. Quando, porém, a verdade sobre a morte de sua mãe surge, percebendo que ela na verdade teve de fugir, a influência da força da Deusa começa a se fazer presente na vida da jovem, que enfrentra suas próprias lutas, como todas as outras precisaram, para poder ser livre e viver seu amor. 

Na quarta parte, há uma grande passagem de tempo, onde a história contada é de uma das descendentes das jovens das histórias anteriores. Adelaide é dada como bruxa por sua família, presa em uma casa de acolhimento por conta de seu jeito em falar com uma árvore na propriedade de sua casa, uma árvore que foi plantada por Teresa, com o fruto entregue por seu pai para que ela pudesse estar ligada com sua mãe. Adelaide acaba sendo vista pelo padre novo que chega à casa e, surpreendendo a si e a todos os demais, eles acabam vivendo um romance escondido e proibido, que resulta em uma gravidez, imediatamente desaprovada pelas irmãs do local. A criança é entregue pelo pai da menina à irmã da Adelaide, onde ela cresce sem saber suas origens de fato, mas livre, recebendo, assim como as demais, a missão de manter viva a linhagem das filhas de Dana, para o momento onde não serão mais perseguidas. 

O livro é dividido em quatros histórias, se passando em diferentes momentos históricos, isso deixa bem claro que não importa o tempo que passe, a intolerância religiosa é um assunto antigo e que persiste até hoje. 

Primeiro temos com Adele, que vivia isolada do resto da população, em uma vila, adorando seus deuses, vivendo livre tendo que passar a fugir para ser quem sempre foi e viver o seu amor e sua fé. Diogo, seu companheiro e filho de um dos líderes da inquisição, que sempre foi considerado diferente da família, foi quem viu como tudo isso era errado antes mesmo de se apaixonar por ela. Eles foram o casal que mais me conquistou, pois foi possível perceber a veracidade dos sentimentos dos dois. 

Com Danielle, a filha dela, não é tão diferente. Mesmo tendo se passado algum tempo e ela indo para uma terra diferente, a perseguição e intolerância continua, e ela, assim como a mãe, precisa esconder suas crenças. Mas ainda pior, Danielle precisa fugir, aparentar estar morta, para que sua filha tenha uma chance de viver. O início de Danielle e Antônio não me agradou muito, mas depois ele se tornou um dos mais queridos e fortes personagens para mim. 

Teresa teve a história mais tranquila, já que ela cresceu em meio a igreja e sem vínculos com as crenças de sua mãe. Mas, como filha de Dana, em determinado momento a sua força seria mal vista, já que a mulher deveria sempre ser submissa. O romance dela foi o mais leve, mas também o mais inocente, capaz de aquecer o coração. 

Já a história de Adelaide se passa muitos anos a frente das anteriores, mas mostra que a intolerância religiosa permanece, assim como o preconceito com mulheres, que são consideradas bruxas por homens não controlarem seus impulsos perto delas. O romance dela acontece com o padre que chega no local, sendo ainda mais proibido e escandaloso e triste. 

Das quatro histórias, a minha favorita foi a primeira, de Adele e Diogo, que tiveram que enfrentar a inquisição em sua forma mais forte e lutar para sua família sobreviver. As demais tiveram muitos pontos que me deixaram um pouco desconfortável, mas a mensagem por trás de cada história, de cada luta, fez com que esse livro se tornasse impossível de largar e uma história carregada de reflexão. 

Sobre a autora: Paulistana, nascida no ano em que o homem pisou na lua e de Woodstock. Formada pedagoga e mestre em Educação. Escreve desde 2007. Autora de séries de ficção histórica e fantasia, com títulos no mercado (2015): Série Sabores do Sangue, livro Agridoce; Série Os Tesouros da Tribo de Dana, livro Dois Mundos; Série Crônicas do Reino do Portal, livro O enigma da Adormecida e Saga As Filhas de Dana, livros: Paganus, Samhain e Beltane. Autora de vários contos de fantasia, suspense e terror, publicados em antologias desde 2008.

Ficha Técnica:
Título: As Filhas de Dana
Autora: Simone O. Marques
Editora: Ler Editorial
Páginas: 784
Ano: 2021
ISBN: B08XDLC6SZ
Onde Comprar: Amazon

Postar um comentário

0 Comentários