[RESENHA #852] FEMINISMO: PERVERSÃO E SUBVERSÃO - ANA CAROLINE CAMPAGNOLO

 

Sinopse: Neste livro, a historiadora e professora Ana Caroline Campagnolo revê a trajetória do feminismo, confrontando as alegadas motivações e supostas conquistas do movimento com suas reais conseqüências na história cultural do Ocidente e, em especial, do Brasil.Em vez de adotar a periodização consagrada que divide a história do feminismo em três "ondas", Campagnolo identifica cinco fases que marcaram o desenrolar desse movimento de traços ideológicos. Essas etapas remontam ao século XV e se estendem até os nossos dias, "em que se vê ameaçada a civilização que nossos antepassados levantaram a peso e ouro e esforço de sangue".

Resenha/Opinião: Vou iniciar essa resenha com uma citação da própria autora: “Quero convencer o meu leitor de uma verdade apenas: o feminismo é um movimento político que contribui para o desentendimento e a crescente amargura entre os sexos, acelera, a desagregação familiar, induz à eterna insatisfação e à libertinagem sexual, valendo-se para isso de discursos sofistas, pesquisas fajutas e manchetes tendenciosas, geralmente às custas do dinheiro de contribuintes alheios ou contrários a tais objetivos.”

A maioria dos pontos abordados são muito polêmicos e passíveis de discussão. A obra é escrita a partir da experiência pessoal que a autora, declaradamente Cristã e originária do que chamamos de família tradicional brasileira com posicionamentos ultra conservadores e politicamente defensora da extrema direita, teve com o feminismo, levando o leitor a criar um juízo de valor, questionando o valor moral das simpatizantes do movimento as quais ela teve contato em sua vida, generalizando e classificando o comportamento de todas como hostis frente as convicções religiosas defendidas por ela.  

A autora diz que a escola é um espaço de desvirtuamento da moral e que desvia a mulher de seus reais valores familiares, tendo sua liberdade dentro de casa, sendo boa esposa e mãe. A liberdade sexual é abordada como promiscuidade e temas como aborto ou divórcio são demonizados nesta obra. Assim como a saída da mulher de casa indo em direção ao mercado de trabalho é tida como um “não amor” aos filhos, falta de dedicação e irresponsabilidade.


Há em todas as páginas contestações morais e religiosas do movimento, assim como elogios à posturas modestas, submissas e conformistas defensoras de que o papel da mulher em nossa sociedade é ser a base forte de uma família, se abstendo de qualquer ambição pessoal em nome da manutenção da moral e bons costumes.

Todas as obras devem ser lidas e observadas com olhar crítico, precisamos entender os antecedentes de todas as situações e buscar embasamento para elaborar qualquer tipo de crítica ao que os autores nos passam. Feminismo: Perversão e subversão é uma obra inquietante, no mínimo, e incômoda, até certo ponto, para as pessoas que em qualquer grau são simpatizantes do movimento feminista. Para entender suas páginas minha dica pessoal é de que os leitores busquem mais informações e pesquisem vídeos em que a autora fala sobre seus posicionamentos ultra-conservadores antes de iniciar a leitura.


Sobre o autora: Ana Caroline Campagnolo nasceu em Itajaí, Santa Catarina, em 26 de novembro de 1990. Presbiteriana, graduou-se em História pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó e é professora desde 2009. Em 2018, foi eleita Deputada Estadual de Santa Catarina pelo Partido Social Liberal (PSL), com mais de 34 mil votos.

Ficha técnica:
Título: Feminismo: Perversão e subversão
Autor: Ana Caroline Campagnolo
Editora: Vide Editorial
Páginas: 404
Ano: 2019
ISBN: 9788595070547
Onde Comprar: Amazon - Vide Editorial

Postar um comentário

7 Comentários

  1. Achei a proposta do livro muito interessante e necessária, espero ter chance de conhecer melhor a leitura, adorei suas considerações sobre a história.

    ResponderExcluir
  2. Oi Priscila!

    Eu precisei reler o inicio da sua opinião para ver se eu tinha lido certo kkkkk pessoalmente me espanta demais pessoas que pensam assim recebam espaço de fala, mas estamos em uma sociedade democrática e com toda certeza ela tem público para o livro.

    Sinceramente, não tenho vontade de tentar entender o que se passa na cabeça de uma pessoa tão conservadora, até porque tenho certeza que ela não faria o mesmo com o livro que abordasse o feminismo de forma positiva. O mais doido para mim é que sem o feminismo ela nem teria permissão para escrever esse livro, vai entender esse povo doido.

    Beijos!
    Eita Já Li

    ResponderExcluir
  3. Oi Priscila.

    Estou tento a oportunidade de conhecer mais detalhes sobre este livro através da sua resenha e com certeza é um daqueles livros bem polêmicos que divide opiniões e abre caminhos para varias discussões. Confesso que sei muito pouco sobre feminismo, mas tenho vontade de ter mais informações sobre o assunto. Por isso vou anotar sua dica literária. Parabéns pela resenha.

    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Ler sobre o feminismo é muito importante para todos. Seja mulher ou não. Parece ser uma super indicação ❤️

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem?
    Não conhecia o livro, mas certamente não é o tipo de leitura que eu faria. Até entendo que precisamos entender pontos de vista diferentes, mas acho que uma visão tão atrasada quanto a que foi apresentada pela autora é algo que eu com certeza não teria a menor paciência para ler. Mas para quem quer conhecer ou entender melhor as perspectivas tidas como conservadoras acredito que seja uma leitura interessante.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  6. Realmente para ler este livro é preciso muita pesquisa anterior e em conjunto com a leitura. Existem muitas citações que aparecem no livro que estão totalmente descontextualizadas.

    ResponderExcluir
  7. Estou terminando de ler o livro, sou formada em Direito, e é uma obra incrível. Tirem essa visão preconceituosa e leiam. É uma obra muito fundamentada, transparente e informativa. Me arrependo de não ter lido antes. Aliás, para esse 2022 será o melhor livro para inciar o ano. Valeu cada centavo.🙏♥️ Feliz 2022.

    ResponderExcluir