[RESENHA #852] FEMINISMO: PERVERSÃO E SUBVERSÃO - ANA CAROLINE CAMPAGNOLO

 

Sinopse: Neste livro, a historiadora e professora Ana Caroline Campagnolo revê a trajetória do feminismo, confrontando as alegadas motivações e supostas conquistas do movimento com suas reais conseqüências na história cultural do Ocidente e, em especial, do Brasil.Em vez de adotar a periodização consagrada que divide a história do feminismo em três "ondas", Campagnolo identifica cinco fases que marcaram o desenrolar desse movimento de traços ideológicos. Essas etapas remontam ao século XV e se estendem até os nossos dias, "em que se vê ameaçada a civilização que nossos antepassados levantaram a peso e ouro e esforço de sangue".

Resenha/Opinião: Vou iniciar essa resenha com uma citação da própria autora: “Quero convencer o meu leitor de uma verdade apenas: o feminismo é um movimento político que contribui para o desentendimento e a crescente amargura entre os sexos, acelera, a desagregação familiar, induz à eterna insatisfação e à libertinagem sexual, valendo-se para isso de discursos sofistas, pesquisas fajutas e manchetes tendenciosas, geralmente às custas do dinheiro de contribuintes alheios ou contrários a tais objetivos.”

A maioria dos pontos abordados são muito polêmicos e passíveis de discussão. A obra é escrita a partir da experiência pessoal que a autora, declaradamente Cristã e originária do que chamamos de família tradicional brasileira com posicionamentos ultra conservadores e politicamente defensora da extrema direita, teve com o feminismo, levando o leitor a criar um juízo de valor, questionando o valor moral das simpatizantes do movimento as quais ela teve contato em sua vida, generalizando e classificando o comportamento de todas como hostis frente as convicções religiosas defendidas por ela.  

A autora diz que a escola é um espaço de desvirtuamento da moral e que desvia a mulher de seus reais valores familiares, tendo sua liberdade dentro de casa, sendo boa esposa e mãe. A liberdade sexual é abordada como promiscuidade e temas como aborto ou divórcio são demonizados nesta obra. Assim como a saída da mulher de casa indo em direção ao mercado de trabalho é tida como um “não amor” aos filhos, falta de dedicação e irresponsabilidade.


Há em todas as páginas contestações morais e religiosas do movimento, assim como elogios à posturas modestas, submissas e conformistas defensoras de que o papel da mulher em nossa sociedade é ser a base forte de uma família, se abstendo de qualquer ambição pessoal em nome da manutenção da moral e bons costumes.

Todas as obras devem ser lidas e observadas com olhar crítico, precisamos entender os antecedentes de todas as situações e buscar embasamento para elaborar qualquer tipo de crítica ao que os autores nos passam. Feminismo: Perversão e subversão é uma obra inquietante, no mínimo, e incômoda, até certo ponto, para as pessoas que em qualquer grau são simpatizantes do movimento feminista. Para entender suas páginas minha dica pessoal é de que os leitores busquem mais informações e pesquisem vídeos em que a autora fala sobre seus posicionamentos ultra-conservadores antes de iniciar a leitura.


Sobre o autora: Ana Caroline Campagnolo nasceu em Itajaí, Santa Catarina, em 26 de novembro de 1990. Presbiteriana, graduou-se em História pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó e é professora desde 2009. Em 2018, foi eleita Deputada Estadual de Santa Catarina pelo Partido Social Liberal (PSL), com mais de 34 mil votos.

Ficha técnica:
Título: Feminismo: Perversão e subversão
Autor: Ana Caroline Campagnolo
Editora: Vide Editorial
Páginas: 404
Ano: 2019
ISBN: 9788595070547
Onde Comprar: Amazon - Vide Editorial

Postar um comentário

0 Comentários