[RESENHA #862] PÉPLUM - BLUTCH


Sinopse: Considerado um dos maiores nomes do quadrinho francês contemporâneo, Blutch mistura seu traço alucinante com elementos do clássico Satiricon, de Petronio, William Shakespeare, Fellini e Robert Crumb .

Durante o Império Romano, um grupo de ladrões descobre uma bela mulher em uma caverna, presa em um gigantesco bloco de gelo. Eles discutem o que fazer com ela, mas se afundam em intrigas e acusações. Apaixonado pela mulher congelada, o jovem Públio Cimbro inicia uma estranha e perigosa jornada para a capital.

Resenha/Opinião: Criado pelo quadrinista francês Blutch (Christian Hincker), Péplum foi publicado originalmente em 1997 na França e chegou ao Brasil no ano de 2020 por meio da Editora Veneta, aliás, essa é a primeira do autor francês a chegar no Brasil. 

Péplum é uma adaptação livre do clássico romano Satíricon de Petrônio, Blutch nos leva para o Império Romano, mais especificamente para o período em que o Imperador Júlio César governava o vasto império romano. Contudo, Júlio César não é o foco da história, aqui somos apresentado a nobre (Patrício) chamado de Públio Cimbro, um nobre que foi exiliado por César e agora acompanhado de outros personagens está explorando uma caverna e no local encontram uma mulher dotada de tamanha beleza que pode ser comparada as deusas romanas e gregas, o grande problema é que essa mulher está em um bloco de gelo, ou seja, congelada.


Públio e seu grupo discutem o que fazer com ela e após algumas discussões eles resolvem transportá-la e durante um ano, Públio e seus companheiros carregam essa mulher misteriosa que continua congelada, o grande problema é que há uma série de acusações e intrigas entre os integrantes desse grupo, o que serve para deteriorar o certo equilíbrio que havia entre eles.

só que misteriosamente durante esse período eles não cruzam com nenhuma alma viva, nenhum outro ser humano aparece para eles e durante esse período há algumas baixas. Há um interesse em vender essa mulher em algum mercado, mas aos poucos cresce em Públio uma obsessão inexplicável por essa mulher que o impede de vendê-la. Contudo, o destino prega peças na vida de Públio e ele se vê sem essa mulher que está em um bloco de gelo, pois ela é tirada de suas mãos por pessoas poderosas, mas tamanha é a sua obsessão que ele faz de tudo para recuperá-la e para recuperar o seu bem mais valioso, Públio precisa enfrentar perigos e adversidades, inclusive situações que coloca em risco a sua própria vida. 


Péplum foi uma leitura magnífica ao meu ver, primeiro pela ambientação, tendo em vista que somos levados para a época do Império Romano, mas também pelo aspecto visceral e violento apresentado por Blutch. Péplum é também interessante por ser uma adaptação de Satíricon, um livro magnífico que tive o prazer de ler esse ano. Fica claro que Blutch bebeu de outras fontes para criar esse universo de Péplum, pois ele inspirou e fez uso de elementos de grandes nomes como o autor Shakespeare e o cineasta Frederico Fellini.

Blutch nos apresenta um enredo maravilhoso, pois aborda temas como a política romana, obsessão ou desejo, violência e amor. Péplum é simplesmente um álbum/graphic novel arrebatadora e chocante, Blutch nos apresenta e descreve o comportamento do protagonista da forma mais nua e clara possível. Eu recomendo a leitura para todos que curtem estudar ou ler sobre Império Romano, mas também para todos aqueles que apenas querem uma ótima leitura.

A Veneta está de parabéns pelo trabalho realizado, pois nos presenteia com uma edição em capa dura, apresenta ilustração na guarda, papel de qualidade e um belo acabamento, formato 28 x 21.


Sobre o autor: Christian Hincker, mais conhecido pelo pseudônimo Blutch, nasceu em 1967 em Estrasburgo, França. Ganhou o apelido na universidade de artes, por sua semelhança com um personagem da HQ Les Tuniques bleues.

Após se formar, participou de um concurso da revista Fluide Glacial e passou a produzir histórias curtas para diversas publicações alternativas, tornando-se um colaborador regular da Lapin, da editora L’Association. Em 1996, começou a publicar Péplum na (À Suivre), uma das mais importantes revistas de quadrinhos da França, casa de autores como Hugo Pratt, Jacques Tardi e Milo Manara.

Reunida em uma edição integral em 1997, a série tornou-se umclássico, transformando Blutch em um dos grandes nomes da bande dessinée. Suas criações posteriores tornaram-se sucessos de crítica e público, ganhando três prêmios Angoulême. Em 2010, o festival realizou uma grande exposição retrospectiva de sua carreira.

Ficha técnica:
Título: Péplum
Autor: Blutch
Tradução: Alexandre Barbosa de Souza
Editora: Veneta
Páginas: 160
Ano: 2020
ISBN: 9788595710658
Onde comprar: Amazon - Veneta

Postar um comentário

0 Comentários