[RESENHA #870] O ÚNICO AVIÃO NO CÉU: UMA HISTÓRIA ORAL DO 11 DE SETEMBRO - GARRETT M. GRAFF


Sinopse: Neste livro monumental, o jornalista e historiador Garrett Graff conta a história como ela foi vivida ― e nas palavras de quem a vivenciou. Com base em transcrições nunca antes publicadas, documentos recentemente tornados públicos, entrevistas e relatos de quase quinhentos funcionários do governo, bombeiros, testemunhas, sobreviventes, amigos e familiares das vítimas, Graff pinta um retrato vívido e humano do 11 de Setembro. Assim, ouvimos a voz dos funcionários do aeroporto que, sem saber, conduzem terroristas para seus voos, e também a dos comissários de bordo dentro dos aviões sequestrados. Em Nova York, os bombeiros enfrentam uma cena de horror inimaginável nas Torres Gêmeas. Mais do que simplesmente uma coleção de depoimentos de testemunhas oculares, O único avião no céu é a história de como pessoas comuns lutaram contra eventos extraordinários: o pai e o filho trabalhando na Torre Norte, pegos em extremos diferentes da zona de impacto; o bombeiro em busca de sua esposa que trabalha no World Trade Center; a telefonista que promete compartilhar as últimas palavras de um passageiro com a família dele. O único avião no céu narra as experiências de homens e mulheres que se viram no centro de um acontecimento sem precedentes na história. O resultado é uma exploração única, profunda e marcante da humanidade em um dia que mudou o curso do mundo e da vida de todas as pessoas.

Resenha/Opinião: 11 de Setembro (uma terça-feira) é uma data que marcou a vida de milhões de pessoas de diferentes formas, nessa época eu estudava de manhã e recordo que nesse dia eu cheguei cedo da aula, como de costume liguei a televisão e logo após uma grande emissora aqui no Brasil começou a transmitir ao vivo o atentado as Torres Gêmeas, naquela oportunidade eu tinha 16 anos e fiquei assombrado com audácia do Talibã e ao mesmo tempo a ineficácia dos Estados Unidos em impedir um atentado de tamanho porte. Ainda com a televisão ligada e ao vivo, não demorou para a segunda torre ser atingida. Em meios ao fogo e fumaça lembro de ver pessoas se jogando das torres, a comoção era enorme, ou seja, foi um evento que marcou a minha vida, ainda que indiretamente.

O jornalista norte-americano Garrett em seu livro "O único avião no céu" nos apresenta depoimentos até então desconhecidos, bem como inúmeros personagens e até mesmo documentos oficiais que até pouco tempo eram sigilosos. Logo no primeiro capítulo temos o relato do Capitão Frank Culbertson, um astronauta que estava a bordo da estação espacial internacional. Culbertson tomou conhecimento do que aconteceu por causa do contato diário que realizava com a base. Após a notícia estarrecedora, Culberston resolveu vasculhar Nova York do espaço e após localizar a cidade o que ele conseguiu ver através de uma câmera foi uma bolha cinzenta que envolvia todo o sul da ilha de Manhattan, o que ficou no astronauta foi o sentimento de horror e impotência ao saber que dezenas de milhares de pessoas estavam sendo feriadas ou mortas.


O primeiro avião sequestrado que foi jogado na Torre Norte (Wolrd Trade Center), foi um avião comercial da American Airlines, ele cruzou os céus de Manhattan, atravessando a ilha longitudinalmente e surpreendendo os cidadãos quando às 8h46 ocorreu o desastre. Segundo os relatos, momentos antes do atentado uma sombra passou pela rua 42 com a Oitava Avenida e isso ocorreu por uma fração de segundo, a rua inteira ficou encoberta e um breve momento depois um estrondo foi ouvido, para Juana Lomi parecia um caminhão, só que o barulho era alto demais. Bruno Dellinger também ouviu o som do avião, mas era um barulho aterrorizante, isso foi algo que o marcou.

Após 15 minutos do primeiro atentado o inimaginável ocorre, exatamente às 9h03, voando a 950 quilômetros por hora, o voo 175 da United também alvo de sequestro pelo Talibã se chocou com a Torre Sul (Wolrd Trade Center Dois), em um ângulo enviesado. A primeira parte do avião a se chocar e penetrar na Torre Sul foi justamente a asa esquerda do avião que penetrou na altura dos andares 77 e 78. Esse segundo avião passou muito próximo do helicóptero do Departamento de Polícia de Nova York que precisou realizar uma manobra evasiva. Segundo relatos a explosão desse segundo avião estrondosa e o avião atravessou o prédio, a tristeza e desolação era total naqueles que estavam próximo do evento. Destroços e até mesmo uma roda desse avião caíram na rua próxima a Torre Sul, as pessoas correram para se proteger.

Os atentados não pararam por aí, pois uma terceira aeronave atingiu o Pentágono, mas os estragos não foram avassaladores como nas Torres Gêmeas e uma quarta aeronave foi impedida de chegar ao seu alvo, pois naquele momento os passageiros e tripulantes souberam o que aconteceu no país e graça a coragem deles o avião teve a sua queda antecipada em um local seguro.


Ao longo da leitura nos deparamos com centenas de relatos, são depoimentos de pessoas comuns (civis), mas também de militares (bombeiros, forças armadas, policiais), pessoas que de alguma forma vivenciaram direta e indiretamente esse fatídico dia, pessoas que ajudaram a organizar a área afetada e evitar que maiores incidentes ocorressem, mas que principalmente tentaram salvar as pessoas que estavam nas Torres Gêmeas.

O autor acredita que os americanos e o próprio governo dos Estados Unidos perderam uma certa ingenuidade que ainda tinham a partir daqueles atentados ficando bem claro que esses ataques foram organizados e coordenados. O grande problema é que após os atentados surgiu aquele clima de paranoia e desconfiança modificando profundamente a vida dos americanos. Fica claro durante a leitura que a segurança dos aeroportos até o dia 11 de Setembro era frouxa, não havia um grande controle do que entrava e saia dos aeroportos, até mesmo grandes edifícios como as Torres Gêmeas eram considerados acolhedores e abertos ao público, algo que mudou drasticamente.

Esse livro possui mais de 560 páginas e no decorrer da leitura fica claro que o autor realizou diversas e profundas pesquisas, bem como inúmeras pesquisas para elaborar esse livro que é simplesmente magistral ao retratar de forma viva e real essa triste página história dos Estados Unidos, mas que de certa forma afetou a humanidade. Em suma, esse é um livro incrível e envolvente, é rico em informações e recomendo para todos que querem saber mais sobre o 11 de Setembro.



Sobre o autor: É historiador e jornalista. Escreveu para publicações como The New York Times, Esquire e Rolling Stone. É autor de THE THREAT MATRIX: INSIDE ROBERT MUELLER'S FBI.

Ficha técnica:
Título:
O único avião no céu: Uma história oral do 11 de setembro
Autor: Garrett M. Graff
Tradução: Julia Debassi
Editora: Todavia
Páginas: 560
Ano: 2021
ISBN: 9786556921693
Onde comprar: Amazon - Todavia

Postar um comentário

0 Comentários