[RESENHA #880] HISTÓRIAS (LIVRO I - CLIO) - HERÓDOTO


Sinopse: Primeira obra da clássica série Histórias de Heródoto, composta por 9 volumes. Este livro, dedicado à musa Clio, expõe as origens das inimizades entre bárbaros e helenos, que, segundo ele, aconteceram por meio dos raptos de mulheres realizados por todos. Parte do texto foi recitado em público nas cidades de Atenas e Olímpia, o que rendeu ao autor a fama de ser um bom recitador, tendo recebido uma quantia significativa como prêmio pela qualidade da sua leitura. Com esta obra, sua intenção foi fazer com que os acontecimentos passados não ficassem extintos entre os homens e os feitos grandiosos e maravilhosos, uns realizados por helenos e outros por bárbaros, não ficassem sem glória, registrando ainda os demais assuntos e o motivo da guerra uns contra os outros.

Resenha/Opinião: Eu particularmente adoro história, principalmente a história da antiguidade e um dos grandes historiadores da humanidade é Heródoto, ele nasceu no século V a.C. em Halicarnasso, hoje Bodrum na Turquia. Talvez você não saiba, mas Heródoto é o grande responsável por nos trazer histórias da Grécia antiga, Pérsia e também sobre o Egito. Em 2015 a Edipro começou a publicar a série composta de nove livros sobre a antiguidade e tenho o prazer de compartilhar com vocês esse primeiro volume intitulado de Clio (referência à musa Clio).


Histórias é sem sombra de dúvidas uma das obras mais conhecidas de Heródoto, pois aqui o autor aborda e relata acontecimentos de duas das maiores nações e culturas da antiguidade, grega e persa (ocidente e oriente). Contudo, Heródoto não aborda apenas aspectos sociais, culturais ou políticos, ele relata as causas, motivações e efeitos das guerras entre essas duas nações (guerras medo-persas). Aliás, a inimizade entre os helenos e bárbaros (no caso os persas) iniciou por intermédio do rapto de mulheres. Contudo, os raptos ocorriam em ambos os lados.

Heródoto logo no início de sua exposição fala sobre a Ásia Menor, começando pela Lídia que era governada pelo rei Creso, esse ascendeu ao poder graças a uma traição. Heródoto também relata o encontro de Creso com Sólon um estadista, legislador e poeta que percorria a Ásia Menor em direção ao Egito e posteriormente para Sárdis. Fica claro por meio do autor que os helenos (gregos) tinham o hábito de viajar e conhecer outros territórios, bem como outras culturas, eles tinham esse hábito porque acreditavam que assim poderiam se tornar mais sábios. Outro aspecto interessante é que aparentemente o helênicos, desde a sua origem, sempre falaram a mesma língua.


No decorrer da leitura o autor deixa claro as maquinações políticas que ocorriam entre os gregos, a busca pelo poder, muitas vezes alcançado por meio de traições, ou seja, havia uma instabilidade política entre os povos helênicos, o que dificultava a união em face aos povos estrangeiros. As velhas rivalidades serviram de motivação para invasões e conquistas, mas também para a realização de sacrifícios, bem como para o surgimento de impérios.

Durante a segunda parte do livro Heródoto deixa um pouco de lado os gregos e passa a discorrer sobre os persas, aqui conhecemos Ciro, que ao contrário de Creso não ascendeu ao poder por meio de maquinações e traições. Ciro quando criança foi rejeitado, mas com o passar dos anos demonstrou ser um guerreiro competente, corajoso e inteligente, qualidades essas que serviram para liderar o seu povo e conquistar novos territórios. Foi durante o seu governo que a Pérsia conseguiu dominar a Ásia menor, inclusive conquistando territórios que pertenciam a Grécia e parte dessas conquistas ocorreram pela incompetência e ignorância de Creso.

Esse primeiro volume me surpreendeu positivamente, pois Heródoto lança mão de diversas informações e há notas explicativas para compreender melhor o contexto histórico. A antiguidade foi um período violento, pois ocorreram inúmeras lutas, batalhas e guerras, sejam elas pela via diplomática ou militar. Aliás, esses embates ocorreram por motivos banais, seja por causa de religião, mulher, pedaço de um pequeno território, mas também pela morte de figuras importantes e até mesmo por causa da morte do filho de um rei.


Outro aspecto que quero ressaltar é que podemos ver de forma clara e nítidas as diferenças entre os usos e costumes dos povos do ocidente e oriente. Essas diferenças ficam claras nos aspectos comportamentais, no uso ou não da ética, bem como nos aspectos morais. Nessa guerra cultural fica claro que as mulheres gregas tinham uma certa liberdade sobre as suas vidas e destino, algo que era praticamente inexistente na vida das mulheres persas. Uma coisa é clara, o ser humano independente do tempo vai fazer de tudo para ter poder e riqueza em suas mãos e com isso vai controlar a vida e o destino de seus pares.

Eu recomendo a leitura desse primeiro volume de Histórias para todos aqueles que querem conhecer aspectos políticos, sociais e culturais, mas também mitológicos sobre a Pérsia e Grécia antiga. Esse livro é simplesmente imperdível!

A Edipro está de parabéns pela edição, fica claro o esmero e capricho, a revisão ficou muito boa e não há o que falar sobre a tradução da Maria Aparecida. As fontes ficaram confortáveis e as folhas são levemente amareladas (papel pólen), a própria gráfica utilizada é a Geográfica, gráfica essa que trabalha com editoras bem cultuadas, mas que não vem ao caso citá-las.

Sobre o autor: Foi geógrafo e historiador helênico, considerado o continuador de Hecateu de Mileto, nascido no século V a.C., mas há dúvidas da cidade em que nasceu. Alguns historiadores grafam em língua helência Halicarnasso e outros Túrio. Heródoto manteve contato com o poeta trágico Sófocles, além de ter convivido com outros expoentes da produção literária e cultural de seu tempo. Por influência da política expansionista de Péricles, que defendia a disseminação de uma cultura pan-helênica, Heródoto teria aceitado participar de uma expedição de colonização e fundação da cidade de Túrio, em 443 a.C., onde teria redigido os livros de suas Histórias. Heródoto também realizou viagens para conhecer o mundo, adquirir conhecimento e sabedoria, partindo para a região do Mar Negro, conhecendo a Cítia, o Egito, a Babilônia, Cirene e vários territórios da Ásia Menor.

Ficha técnica:
Título:
Histórias (Livro I - Clio)
Autor: Heródoto
Tradução: Maria Aparecida de Oliveira Silva
Editora: Edipro
Páginas: 176
Ano: 2015
ISBN: 9788572839198
Onde comprar: Amazon - Edipro

Postar um comentário

1 Comentários

  1. Eu adoro ler sobre essa época, consumo tudo que possível sobre a Grécia, Roma e Pérsia!

    ResponderExcluir