[RESENHA #908] VALIS - PHILIP K. DICK


Sinopse: Horselover Fat é um homem melancólico e obsessivo que acredita ter experimentado uma revelação divina após ser atingido por um raio de luz rosa. Fat acaba se convencendo de que uma entidade superior, que já foi Buda e Jesus, está para nascer a qualquer momento, e não vai descansar enquanto não a encontrar. Publicado em 1981, Valis é uma obra perturbadora, enigmática, genial e cruelmente engraçada. Um dos últimos trabalhos escritos por Philip K. Dick, o livro diz muito sobre o autor e os inquietantes anos finais de sua vida, seus pensamentos e sua visão de mundo.

Resenha/Opinião: Em 1974, o escritor norte-americano de ficção científica Philip K. Dick passou por um "evento psicológico" ou uma epifania (nas palavras do próprio autor). Após tomar uma dose cavalar de pentotal sódico para realizar a extração de um dente do siso, Dick chegou em casa e precisou pedir remédio para dor. Ao atender a porta e encarar a luz do sol refletida em um pingente em forma de peixe adornando o pescoço da entregadora, um raio de informação foi disparado para o seu cérebro. Dick teve uma revelação: o mundo ao redor não passava de um holograma sobreposto a Roma Antiga. Durou apenas um instante, mas foi o suficiente.

Depois desse episódio, a cabeça de Dick passou a ser habitada por uma mente que falava línguas mortas e tinha lembranças de dois mil anos atrás. E não parou por aí! Dick foi avisado por essa mente de que seu filho sofria de uma rara doença e que deveria ser operado às pressas. Correram com a criança ao médico, e adivinhe? Foi descoberta uma hérnia estourada e o menino foi salvo por pouco! Loucura ou epifania, muitas outras coisas malucas aconteceram, mas acho que já deu pra entender o espírito da coisa. Por que estou contanto tudo isso? Porque é disso que se trata "Valis".

Publicada originalmente em 1981, a obra é basicamente uma autobiografia romanceada do episódio que ficou conhecido como a epifania de PKD. Após a morte de uma amiga, Horselover Fat é atingido por um raio rico em informação e passa então a acreditar ter sido contatado por uma entidade superior que lhe faz revelações. Caminhando na tênue linha entre sanidade e loucura, Fat parte em busca da encarnação desse ser divino na Terra, arrastando consigo seus amigos em uma epopeia marcada por personagens lunáticos e por um humor ácido. Aliás, o ácido aqui não fica só no humor. Ambientado na colorida Califórnia dos anos 70, o romance explora com fartura o consumo de drogas. Temas como psicologia, teologia e filosofia também surgem ao longo da leitura, o que faz de "Valis" um livro divertido e ao mesmo tempo inteligente.

Essa é, sem dúvida, a obra fundamental para entender a peculiar mente de PKD (se é que isso é possível) e, consequentemente, seu trabalho mais sombrio e perturbador. Ao lê-lo, você acaba fazendo várias conexões com outros de seus romances e contos, percebendo o quanto eles foram inspirados em suas experiências e passando a compreender melhor a obra Dickiniana como um todo. Logo, esse não é um livro indicado para os leitores de primeira viagem de PKD. A leitura não é das mais fáceis e será de maior proveito para aqueles que já estão mais familiarizados com a vida e obra do autor.

Infelizmente, a suposta epifania acabou acarretando graves consequências na vida de PKD. A maior parte de sua carreira literária se resumiu a publicações de baixo custo em pequenas editoras e as dificuldades financeiras o acompanharam até o fim de sua vida. Dias melhores viriam com as inúmeras adaptações de sua obra para o cinema, a mais famosa delas, o clássico "Blade Runner" (1982), com a qual o próprio autor esteve envolvido no projeto mas veio a falecer pouco antes do lançamento. Depois vieram "O Vingador do Futuro" (1990), "Assassinos Cibernéticos" (1995), "Impostor" (2002), "Minority Report" (2002) e muitas outras, o que fez de PKD um dos autores mais adaptados e, consequentemente, populares do gênero.

Sobre o autor: Philip Kindred Dick nasceu nos Estados Unidos em 1928. Ao longo de sua vida e de sua carreira, nunca deixou de suspeitar do mundo a sua volta em aparência e essência. O profundo questionamento da condição humana e da verdadeira natureza da realidade tornou-se uma marca indelével de sua obra. Embora não tenha tido o justo reconhecimento em vida, várias de suas obras tornaram-se conhecidas ao serem roteirizadas e transformadas em grandes sucessos do cinema, como o clássico Blade Runner, baseado no romance Androides sonham com ovelhas elétricas?, O vingador do futuro, Minority Report e Os agentes do destino, entre outros filmes, que foram inspirados em contos de Dick. Autor de mais de cento e vinte contos e trinta e seis romances, entre eles Valis, Ubik, Os três estigmas de Palmer Eldritch e os premiados O homem do castelo alto e Fluam, minhas lágrimas, disse o policial, Philip K. Dick morreu em 1982, aos 53 anos, em decorrência de um acidente vascular cerebral.


Ficha técnica:
Título:
Valis
Autor: Philip K. Dick
Tradução: Fábio Fernandes
Editora: Aleph
Páginas: 320
Ano: 2021
ISBN:
 9786586064780
Onde comprar: Amazon - Aleph

Postar um comentário

0 Comentários