[RESENHA #923] FELICIDADE CONJUGAL - LEV TOLSTÓY


Sinopse: Publicado em 1859, quando o escritor tinha pouco mais de trinta anos, 'A Felicidade Conjugal' é talvez a primeira obra-prima de Lev Tolstóy e prenuncia um tema que terá muita importância na vida do autor russo: o tema do desejo, neste caso apreendido do ponto de vista feminino.

Resenha/Opinião: Lev Tolstóy ou Liev Tolstói é sem sombra de dúvidas um dos maiores escritores de todos os tempos, algo que fica claro em seus romances e contos em que podemos acompanhar as suas críticas sociais, mas também suas visões religiosas e filosóficos que em certa altura de sua vida bateu de frente contra a Igreja Ortodoxa e contra o próprio Estado e suas instituições. Essas suas crenças e visões serviram para o surgimento de um movimento social mais conhecido como o Tolstoísmo.


Felicidade Conjugal foi dividido em duas partes, ambas são narradas por Maria Aleksándrovna, uma jovem mulher de aproximadamente 17 anos que nasceu em um berço de ouro, ou seja, é integrante de uma família rica, mas ela perdeu os seus pais e agora ela conta apenas com a companhia de sua irmã mais nova Sônia (Sofia) e Kátia (Katerina), uma velha amiga e governanta que criara as irmãs. Com a morte de seu pai, Maria ficou profundamente devastada e não via muito sentido em sua vida, além do mais, ela simplesmente não tinha vontade de fazer mais nada, a tristeza tomou conta de sua vida.

Mas a vida não é feita apenas de tristeza, dor e perda, pois em certo dia Serguéi Mikháilovitch, um velho amigo da família vai visitar as irmãs e ele percebe o quanto Maria cresceu e se tornou uma linda mulher. Como Maria ainda é jovem, Serguéi passa a cuidar das finanças para que as irmãs possam ter um futuro seguro, além disso, ele se torna o tutor de Maria e passa a visitar a casa para ensinar ou corrigir ela em algo. É através desse contanto frequente que surge em Maria um sentimento de admiração por Serguéi, ao ponto dela se pegar pensando nele e esperando por sua volta e não demora muito para ela perceber que Serguéi também anda pensando nela.


Com o passar do tempo ambos revelam os sentimentos que nutrem um para o outro. Maria deseja ficar com Serguéi e se casar com ele, mas o tutor tem dúvidas sobre qual decisão deve tomar, pois ele é um homem maduro de aproximadamente 37 anos e ela é uma jovem mulher com cerca de 17 anos, ou seja, ela ainda nem chegou a flor da idade e tem muito que aproveitar na vida.

A Felicidade Conjugal é uma novela extremamente envolvente e serve muito bem como porta de entrada para aqueles leitores que querem conhecer a escrita de Tolstóy e desbravar as histórias que ele criou. Além disso, o autor consegue de forma sucinta captar o surgimento das paixões, os obstáculos que devem ser superados para chegar ao estágio do amor e até mesmo do casamento. Tolstóy demonstra que ao longo de uma relação podem surgir momentos de ciúme, ofensa, desgaste e até mesmo humilhações, sentimentos esses tão opostos daqueles que surgem do amor.


Diferentemente de outras de suas obras, em Felicidade Conjugal o autor não foca nas críticas políticas ou sociais, tendo em vista que a Rússia estava em ebulição devido as reformas feitas pelo Imperador Alexander II, mas sim na intimidade do ser humano, em especial no desejo. Tolstóy nos faz refletir no quanto somos capazes em ceder determinadas coisas em prol de um relacionamento e até onde vai a nossa liberdade nesse relacionamento, mas também nos mostra quais são as consequências dos nossos atos e escolhas para a nossa vida, bem como para a vida do nosso cônjuge.

Em suma, Felicidade Conjugal é uma obra maravilhosa e você será capaz de ler em apenas um dia, pois a escrita de Tolstóy é magistral, os diálogos e monólogos por ele criado são construídos de forma equilibrada e com maestria, a sua escrita é simplesmente envolvente. Por fim, deixo os meus parabéns para a Biblioteca Alta Cultura por essa linda edição e para quem não sabe, a Alta Cultura é um clube de assinatura voltando para literatura clássica.


Sobre o autor: Tolstóy 
é considerado um dos maiores escritores de todos os tempos. Além de sua fama como escritor, Tolstóy ficou famoso por tornar-se, na velhice, um pacifista, cujos textos e ideias batiam de frente com as igrejas e governos, pregando uma vida simples e em proximidade à natureza. A dúvida paira no ar, será que essa relação entre duas pessoas tão opostas poderá prosperar?

Ficha técnica:
Título: Felicidade Conjugal
Autor: Lev Tolstóy
Tradução: Viktoriya Semenova
Editora: Biblioteca Alta Cultura
Páginas: 132
Ano: 2021
ISBN: 9786589838159
Onde Comprar: Biblioteca Alta Cultura

Postar um comentário

0 Comentários